Pedreiras: Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra suspeito de homicídio

A Polícia Civil do Estado do Maranhão, através da 14ª Delegacia Regional de Pedreiras/MA, deu cumprimento na data de hoje, 14/11/18, ao mandado de prisão preventiva exarado em desfavor de JANGO HERCULANO DE SOUSA, conhecido como “JANDINHO” ou “JANGUINHO”, pela prática de homicídio consumado e outro tentando praticados, no dia 26/11/16, por volta das 22 …

Comente

Pedreiras: Polícia Civil cumpre mandado de prisão contra suspeito de homicídio

A Polícia Civil do Estado do Maranhão, através da 14ª Delegacia Regional de Pedreiras/MA, deu cumprimento na data de hoje, 14/11/18, ao mandado de prisão preventiva exarado em desfavor de JANGO HERCULANO DE SOUSA, conhecido como “JANDINHO” ou “JANGUINHO”, pela prática de homicídio consumado e outro tentando praticados, no dia 26/11/16, por volta das 22 horas, durante uma vaquejada que ocorria no Povoado Centro do Utensílio, zona rural do município de Esperantinópolis.

A Polícia Civil no ano de 2017 já havia dado cumprimento a um mandado de prisão preventiva exarado, em desfavor de “JANDINHO”, pelo juízo de direito de Esperantinópolis/MA, por conta dos mesmos fatos. Ocorre que o suspeito foi beneficiado por uma liminar concedida nos autos de um Habeas Corpus e foi posto em liberdade. Nesse mês a liminar foi cassada e um novo mandado de prisão preventiva foi decretado em desfavor do suspeito.

Mais uma prisão efetuada pela equipe da 14ª Delegacia Regional de Polícia Civil.

Brasil: Magistrados do TJMA participam de Encontro de Juízas e Juízes Negros, em Brasília (DF)

Desembargador Bernardo Rodrigues e juiz Marco Adriano com a palestrante Kiusam de Oliveira e uma advogada (Foto: Arquivo Pessoal)

O desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão, Bernardo Rodrigues, e o juiz Marco Adriano Ramos Fonseca (comarca de Pedreiras) participaram do II Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros, realizado em Brasília (DF), no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, entre os dias 8 e 10 deste mês.

O evento reuniu, na capital federal, ministros, magistrados, professores, estudiosos, membros do Ministério Público, defensores, advogados, estudantes e cidadãos, com o objetivo de fortalecer o debate em torno da promoção da igualdade racial.

Ao avaliar positivamente a iniciativa, o desembargador Bernardo Rodrigues destacou que ao discutir a desigualdade racial na magistratura brasileira e propor soluções para enfrentar essa realidade, o encontro contribuiu para evoluir a discussão e conscientizar o público e a sociedade sobre a temática.

“O encontro superou minhas expectativas, foi maravilhoso! A temática foi devidamente abordada em busca do enfrentamento desse problema, pois o preconceito é real em nossa sociedade. Não adianta negarmos esse fato. Precisamos estar atentos e conscientes para diminuirmos essa problemática, essa violência nas ruas. Afinal, todos estamos sujeitos, pretos, brancos, homens, mulheres. E o evento serviu para aprofundar essa discussão”, frisou.

Durante a iniciativa, o desembargador foi convidado para compor a comissão organizadora da próxima edição do encontro.

ENCONTRO – O eixo do II Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros foi a discussão do racismo estrutural, seu significado, sua presença na formação da sociedade brasileira e como ele se manifesta nas diversas instituições e no plano individual.

Diversos assuntos foram abordados na programação, tais como “Representatividade racial nas carreiras jurídicas”, com o ministro Alexandre de Moraes; “Racismo no sistema educacional”, com a palestrante Kiusam de Oliveira; “Práticas no sistema de justiça ao enfrentamento do racismo na busca da inclusividade”, com palestrantes de vários órgãos e instituições, dentre outros.

A iniciativa foi promovida pela Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (Amagis-DF) e pela Associação de Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris).

O evento contou com o apoio da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), com co-realização da Associação dos Magistrados da Paraíba (AMPB), da Associação dos Magistrados do Estado de Pernambuco (AMEPE); da Associação dos Magistrados da Bahia (AMAB), da Associação dos Magistrados Piauienses (AMAPI), da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF), da Associação do Ministério Público do Distrito Federal (AMPDFT) e Ordem dos Advogados Seccional do Distrito Federal (OAB/DF).

CENSO – De acordo com dados do Censo do Poder Judiciário de 2018, realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mesmo a população brasileira sendo majoritariamente preta ou parda, apenas 18,1% da magistratura nacional é negra, derivando-se desse conjunto um total de 16,5% de pardos e 1,6% de pretos. Do universo de 38% de juízas, o número de magistradas autodeclaradas pretas se estabeleceu entre 1% e 2% no Poder Judiciário.

fonte: tjma.jus.com.br

Brasil: Lula presta depoimento em Curitiba no processo do sítio de Atibaia

André Richter – Enviado Especia

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será interrogado hoje (14), a partir das 14h, em Curitiba. Ele será transportado de carro da carceragem da Superintendência da Polícia Federal onde está preso, desde abril, para a sede da Justiça Federal, ambas na capital paranaense. Será a primeira vez que ele deixará a superintendência em sete meses.

Lula vai depor em um dos processos da Operação Lava Jato relativo ao sítio Santa Bárbara de Atibaia (SP). A juíza federal substituta Gabriela Hardt vai conduzir a oitiva.

O ex-presidente foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em outro processo, o caso do triplex em Guarujá (SP).

Gabriela Hardt, da 13ª Vara da Justiça Federal, substitui o juiz federal Sergio Moro, que aceitou ser ministro da Justiça do governo eleito Jair Bolsonaro. De férias e informando que irá pedir exoneração do cargo, Moro é substituído por Hardt.

Caso

O ex-presidente foi denunciado por recebimento de propina das construtoras OAS e Odebrecht. Outras 12 pessoas também estão denunciadas no processo. Lula nega as acusações e diz não ser dono do sítio. De acordo com as investigações, foram feitas reformas e melhorias no patrimônio.

Pelas investigações, as reformas no sítio começaram após a compra da propriedade pelos empresários Fernando Bittar e Jonas Suassuna, amigos de Lula. No laudo elaborado pela Polícia Federal, em 2016, os peritos citam as obras que foram realizadas, entre elas a de uma cozinha avaliada em R$ 252 mil.

A estimativa é de que tenha sido gasto um valor de cerca de R$ 1,7 milhão, somando a compra do sítio (R$ 1,1 milhão) e a reforma (R$ 544,8 mil). A defesa de Lula sustenta que a propriedade era frequentada pela família do ex-presidente, mas ele não é proprietário do sítio.

O empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente da República, e réu por lavagem de dinheiro na mesma ação penal deverá ser interrogado hoje também.

fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Trizidela do Vale: Inaugurações, louvor e grande show marcaram o 24º aniversário do Município

Foto: Sandro Vagner

Durante cinco dias, a Prefeitura de Trizidela do Vale realizou uma brilhante programação, alusiva ao aniversário de 24 anos de emancipação política do município. As solenidades iniciaram na quarta-feira, dia 07 com a sessão solene na Câmara de Vereadores, com entrega de títulos de cidadania e moção de aplausos a vários homenageados.

Nova frota de veículos adquerida com recurso do Município

Na quinta-feira, dia 08, foi realizada uma carreata que saiu da Santinha, na entrada de Pedreiras,  com destino a Trizidela do Vale, onde foi apresentada a nova frota de veículos 0km, comprados com recurso próprio do município, e outros através de emendas parlamentares do deputado federal Victor Mendes.

Hasteamento dos pavilhões

Sexta-feira, dia 09, nas primeiras horas da manhã, foi realizada a solenidade de hasteamento das bandeiras, em frente ao Palácio Municipal, com as presenças do deputado estadual Vinicius Louro, do deputado federal e senador eleito Weverton Rocha, vereadores e demais convidados. Em seguida, foram entregues os veículos para as áreas da saúde, educação, assistência social e administração.

Secretaria Municipal de Segurança e Cidadania

Ainda no dia 09, o  Prefeito Fred Maia inaugurou a Secretaria Municipal de Segurança e Cidadania e a Escola de Música João Muniz.

No povoado Morro dos Caboclos, zona rural do Município, foi feita a entrega de uma nova escola e uma quadra poliesportiva.

Durante à noite, as Igrejas evangélicas realizaram um grande culto, com participação de vários cantores gospel locais e a distribuição de brindes aos participantes.

No sábado, dia 10, data que se comemora a emancipação, a secretaria de esporte realizou a final do campeonato trizidelense de futebol.

Show com Vários Artistas

Sábado à noite, dia 10 de novembro, foi a vez do momento mais esperado pelo público, que foi contemplado com grandes shows que marcaram a noite, superlotando o corredor cultural no Bairro Aeroporto, com apresentação do cantor pedreirense Zequinha Ribeiro e Banda, Matheus Lima, Léo Magalhães e Forró Sacode.

Mais Esporte

Domingo, dia 11, o departamento de juventude concluiu o 4º circuito de ciclismo.

Finalizando e agradecendo pelas benfeitorias, à noite, aconteceu a celebração da Missa em Ação de Graças pelas conquistas do município na Matriz de Santo Antônio de Pádua.

ASSECOM (Assessoria de Comunicação de Trizidela do Vale)

Fotos: Tony Maranhão

Pedreiras: Padre José Geraldo diz “Não vou deixar de ser Padre para ser Prefeito”

Padre José Geraldo Teófilo – Reitor do Santuário de São Benedito/Foto: Sandro Vagner

Na noite desta segunda-feira (12), o Padre José Geraldo, Reitor do Santuário de São Benedito, esteve acompanhando a sessão ordinária dos vereadores, e, na oportunidade, segundo ele, foi à casa do povo, por duas razões:

Primeira razão: Para estender o convite a todos os parlamentares sobre o festejo em Honra ao padroeiro São Benedito, que terá início no dia 16 de novembro.

Segunda razão: Solicitar ajuda dos vereadores para que pudesse ser concluído o Centro Comunitário Paulo VI, que, segundo o Reitor, é o centro de atividades múltiplas do Santuário. Padre José Geraldo disse a todos os presentes, que pretende deixar o local mais bonito para que a comunidade continue a fazer uso do prédio, um desejo que ele espera alcançar.

Sobre a conjuntura atual do Município, Padre José Geraldo teve a palavra facultada, onde alguns edis, chegaram a instigá-lo, para que ele tomasse uma posição, mas para surpresa de todos, o religioso foi muito claro e incisivo, quando disse que não tem pretensão de ser prefeito de Pedreiras. Segundo o Padre, ele não quer perder o brilhante trabalho que faz, se sente feliz em fazer isso pelos pobres, pelos doentes, pelos presos, por àqueles que estão com problemas sérios, até de suicídio.

Ao Blog e ao Programa Portal da Cidade, o Padre José Geraldo disse o seguinte:

Eu não posso deixar de ser Padre pra ser prefeito. Por que, aqui em Pedreiras, a casa nesse momento está cheia. Não vou deixar as pessoas que precisam de um alento, de uma palavra, de uma ajuda, de uma cesta básica, de remédio, que o Padre vá à sua casa, que o Padre corra pra resolver um problema de família. Eu acho que há muitas especulações sobre o meu nome. Eu acho que o povo confunde meu trabalho, achando que eu faço o bem, pensando em ser prefeito de Pedreiras. Eu já me considero uma pessoa que contribui. Continuo apostando no prefeito Antônio França, digo sem bajulação. Ainda faltam dois anos, vamos assumir esses dois anos dele como um plano piloto.”

Diante a grande especulação sobre seu nome com pré-candidato a prefeito de Pedreiras, Padre José Geraldo disse, ainda, que pretende ajudar o Município sendo Padre, mesmo que ele seja transferido, ainda assim, vai continuar ajudando seus irmãos pobres por meios de associações.

Eu não posso pregar a palavra de Deus e depois dizer que sou prefeito. A palavra de Deus não pode ser vendida. Alguns bajuladores malditos estavam querendo fazer a minha intriga com o prefeito. E, eu lhe digo, a gente, no momento, não ta pra apagar fogo com gasolina. Não obscureço, também os problemas sérios, mas o problema não é apagar fogo com gasolina, e esses bajuladores, além de morderem a língua, acredito que são inimigos de Pedreiras, por que amigo de verdade, diz a verdade.”

Ao final, o religioso lançou um desafio. Quem quiser apostar um milhão, que ele não será candidato a prefeito, pode apostar, pois aproveita para pedir ao ganhador, a metade, meio milhão, para construir a Igreja da Imaculada Conceição e uma creche para a Paróquia.

Que o nosso Pastor esteja e continue sempre ao lado dos mais humildes.

Brasil: Ex-prefeito de Baraúna é morto pelo pai após ser confundido com assaltante, na PB

Ex-prefeito de Baraúnas, Alyson Azevedo, foi morto pelo pai, Adilson Azevedo, após ser confundido com assaltante — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

O ex-prefeito da cidade de Baraúna, no Curimataú da Paraíba, foi morto pelo pai após ser confundido com um assaltante na noite desta segunda-feira (12). De acordo com a Polícia Civil, Alyson Azevedo tinha 37 anos e foi até a casa do pai, Adilson Azevedo, também ex-prefeito da cidade, depois de ser chamado por vizinhos porque uma fumaça estava saindo da casa dele e ninguém conseguia acordá-lo.

Alyson correu até a casa do pai e tentou arrombar a porta. Nesse momento, o pai atirou de dentro da casa contra o filho achando que se tratava de um assalto. Alyson Azevedo foi baleado no peito, chegou a ser levado para o Hospital de Picuí, mas não resistiu e morreu.

A fumaça que saía da casa e chamou a atenção dos vizinhos era de uma panela que estava no fogão. O pai, Adilson Azevedo, vai prestar depoimento à polícia nesta terça-feira (13) sobre o caso.

Alyson Azevedo foi eleito prefeito da cidade de Baraúna em 2008, pelo MDB, enquanto seu pai, Adilson Azevedo, foi o candidato eleito das Eleições 2000, pelo mesmo partido, na época ainda PMDB.

fonte: g1.globo.com

Brasília: Técnicos do TSE apontam ‘inconsistências’ nos gastos de campanha de Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro Foto: EVARISTO SA / AFP

Em relatório de 33 páginas entregue ao ministro do TSE Luis Roberto Barroso, técnicos do Tribunal Superior Eleitoral apontaram “inconsistências” na prestação de contas do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e pediram que a campanha forneça, no prazo de três dias, mais detalhes e responda as suspeitas de irregularidades e impropriedades em 16 pontos levantados pelos técnicos da Corte Eleitoral, que vão desde falta de documentação e detalhamento sobre serviços contratados de empresas de tecnologia, documentação para comprovar a impressão de santinhos e materiais de campanha, justificativas sobre a devolução de doações recebidas, e até dados de despesas que não haviam sido declarados nas prestações parciais.

“Ao efetuar o exame das manifestações e da documentação entregues pelo candidato, em atendimento à legislação eleitoral, foram observadas inconsistências ou registros na prestação de contas, relatados a seguir, para os quais se solicitam esclarecimentos e encaminhamento de documentação comprobatória”, diz o relatório.

O documento é assinado pela técnica judiciária Marcela de Araújo, e pelos analistas Carlos Henrique Pinheiro e Alexandre Araújo, todos do TSE. A análise da equipe da Corte Eleitoral faz parte do processo de julgamento das contas do presidente eleito levado a cabo pelo TSE.

“Foram aplicadas técnicas de cruzamento e confirmação de dados (procedimento analítico, análise documental, exame de registros e correlação de informações declarada pelo prestador com outras colhidas de declarações de outros prestadores de contas, além de informações voluntariamente enviadas à Justiça Eleitoral durante a campanha”, diz o documento.

Em um dos casos, que os técnicos apontaram como sendo uma diligência necessária e não uma irregularidade, foi constatado que a campanha não apresentou a documentação necessária para deixar claro o papel de cada uma das empresas envolvidas na vaquinha virtual que arrecadou R$ 3,5 milhões para a campanha de Bolsonaro. A empresa que depositou os valores arrecadados pela vaquinha nas contas da campanha foi a Aixmobil Serviços e Participações, que é registrada no TSE para realizar vaquinhas virtuais, mas a campanha não apresentou o contrato com ela para a prestação de serviços de vaquinha virtual. Os técnicos, porém, constataram que a campanha encaminhou uma documentação referente a doações arrecadadas pela AM4 Brasil Inteligência Digital, empresa cujo contrato com a campanha de Bolsonaro prevê a criação da plataforma de arrecadação virtual “Mais que Voto”, utilizada para conseguir doações na internet.

“Além disso, é importante destacar que a plataforma Mais que Voto está registrada no TSE pela empresa Ingresso Total Serviços Eletrônicos LTDA”, seguem os técnicos no relatório. Diante disso, a equipe do Tribunal pediu que a campanha encaminhe o contrato com a Aixmobil, detalhe as doações arrecadas pela AM4 e também a função das duas empresas e da Ingresso Total na arrecadação de recursos para a campanha do presidente eleito.

Em outro caso que os técnicos da Corte Eleitoral apontaram suspeitas de irregularidade envolvendo uma empresa de tecnologia, foi constatado que o gasto de R$ 147,7 mil com a Adstream Soluções Tecnológicas realizados antes da prestação de contas parcial, mas que não apareceram nela.

Também foram constatadas pelos técnicos divergências entre os dados declarados pela campanha das pessoas que fizeram doação e os dados da Receita Federal, que apontaram que alguns CPFs da prestação de contas eleitorais estariam relacionados a outras pessoas que não as descritas pela campanha. Essa divergência apareceu em doações que somam R$ 5.030.  Os técnicos também apontaram omissões de doações recebidas de outros candidatos da ordem de R$ 20.958 mil.

fonte: oglobo.globo.com

Pedreiras: Suspeito de furto foi preso mais uma vez pela Polícia Militar

Daniel pintor – Suspeito/Foto: Polícia Civil de Pedreiras

Daniel Sousa, conhecido como “Daniel pintor”, 47 anos, foi preso mais uma vez pela Polícia Militar, acusado de ter furtado alguns objetos, entre eles, um tablete e um celular.

Segundo informações do escrivão Braúna, o comprador dos produtos que teriam sido furtados por Daniel, foi até a delegacia de Polícia Civil e fez a entrega dos objetos.

Produtos que foram devolvidos/Foto: Polícia Civil

Essa não é a primeira vez que Daniel pintor se envolve em crime dessa natureza, ele é um velho conhecido das Polícias Militar e Civil, tendo várias passagens pela delegacia de Pedreiras.

Brasil: Ex-ministro de Dilma, Joaquim Levy será o presidente do BNDES de Bolsonaro

A indicação de Levy pode ser considerada uma vitória da visão econômica mais liberal, capitaneada pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, dentro do governo/Foto: Evarista Sá (AFP)

O ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy será o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Atual diretor financeiro do Banco Mundial, Levy já está esvaziando suas gavetas na sede da instituição multilateral, em Washington (EUA), para se mudar para o Rio, substituindo Dyogo Oliveira no comando do banco de fomento brasileiro.

Durante a manhã, fontes que acompanham a formação da equipe de governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmavam que Levy assumiria o cargo sob promessa de ampliar a interação do BNDES com os organismos multilaterais, como o próprio Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Eventuais parcerias para o banco brasileiro captar recursos junto a essas instituições permitiriam ampliar o montante a ser devolvido ao Tesouro no próximo ano.

À tarde, a assessoria  de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, confirmou a ida de Levy para o banco. O economista, que mora hoje nos Estados Unidos, estava em dúvida se aceitava o convite por conta da família — que não deve voltar ao Brasil de imediato —, mas acabou dizendo sim.

Liberal

A indicação de Levy pode ser considerada uma vitória da visão econômica mais liberal, capitaneada pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, dentro do governo. O grupo formado por militares na equipe de Bolsonaro, com visão um pouco mais estatizante, defenderia um BNDES menor, mas com alguma função no financiamento à inovação e aos investimentos em infraestrutura. 

Já para o grupo mais liberal, o BNDES poderia se dedicar apenas às privatizações de estatais e estruturação de projetos de concessões de infraestrutura à iniciativa privada. Essa função teria prazo de validade. Vendidas as estatais e concedidos os principais projetos de infraestrutura em carteira, o BNDES poderia até mesmo ser extinto.

Assim como Guedes, Levy, que é engenheiro naval, tem doutorado na Universidade de Chicago, mais importante centro do pensamento liberal em economia. Secretário do Tesouro Nacional no governo Lula, integrando a equipe montada pelo então ministro da Fazenda Antônio Palocci, foi também secretário de Fazenda no primeiro governo de Sérgio Cabral no Estado do Rio. 

Antes de voltar ao governo federal, no segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff, foi presidente da Bram, a gestora de recursos do Bradesco.

Quando assumiu o Ministério da Fazenda, em 2015, Levy comandou uma primeira rodada de contenção no BNDES, com elevação de taxas de juros. O economista Luciano Coutinho seguiu no comando do banco de fomento, mas o então ministro foi nomeado presidente do Conselho de Administração da instituição, ampliando a vigilância sobre suas ações.

Recursos

A atual programação do BNDES prevê a devolução de R$ 26,6 bilhões ao Tesouro em 2019, conforme o cronograma da reestruturação da dívida com a União, firmada em julho. Mas, na semana passada, o diretor financeiro do BNDES, Carlos Thadeu de Freitas, confirmou ao jornal O Estado de S. Pauloque o banco poderia devolver R$ 40 bilhões a mais, se os desembolsos de 2019 ficarem entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões e não houver necessidade de devoluções ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Ampliar os montantes a serem devolvidos a cada ano significaria acelerar a estratégia de diminuir o BNDES para devolver antecipadamente os R$ 416 bilhões aportados pelo Tesouro entre 2008 e 2014.

fonte: correiobraziliense.com.br

Brasil: Estrutura do Ministério da Agricultura será definida nesta semana

Antonio Cruz/ Agência Brasil/Agência Brasil

A estrutura do Ministério da Agricultura, que poderá englobar pesca e agricultura familiar, será definida nesta terça-feira (13), em Brasília. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, tem reunião marcada com a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), que comandará a pasta. Também é aguardado o anúncio do nome para o Ministério do Meio Ambiente que atuará em conjunto com a Agricultura.

No encontro, Tereza Cristina indicou que quer definir com o presidente eleito as medidas que poderão ser adotadas para garantir mais segurança jurídica para os produtores e a redução de impostos. A deputada federal é presidente da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA) na Câmara.

Tereza Cristina disse que sua intenção é começar o trabalho nas primeiras horas de segunda-feira (12). Engenheira agrônoma e empresária, ela afirmou que vai se sentar com técnicos e especialistas do atual ministério para entender melhor como funciona o trabalho. “É momento de ouvir muito agora”, afirmou a futura ministra.

Para a deputada federal, é fundamental também a definição sobre o Ministério do Meio Ambiente, que inicialmente seria fundido com a Agricultura. Segundo disse, ela espera ter uma relação “muito boa” com o titular que assumir a pasta. Após encontro com Bolsonaro, integrantes da bancada ruralista afirmaram que o nome para o Meio Ambiente será indicado pelo grupo. Não foi citado um nome específico.

fonte: agenciabrasil.ebc.com.br