Trizidela do Vale: Força Tática prende em flagrante um suspeito de tráfico de drogas

Foi preso na manhã desta quinta-feira (25) em flagrante Fábio Carvalho da Silva, vulgo Fabinho, morador da Rua do Campo, n° 240, Trizidela do Vale. O indivíduo foi encontrado vendendo substância semelhante ao crack. Após ser abordado em sua residência foram encontradas 130 pedras de crack; R$ 480,90 (quatrocentos e oitenta reais e noventa centavos); …

Comente

Trizidela do Vale: Força Tática prende em flagrante um suspeito de tráfico de drogas

Fábio Carvalho/Suspeito/Foto: Polícia Militar

Foi preso na manhã desta quinta-feira (25) em flagrante Fábio Carvalho da Silva, vulgo Fabinho, morador da Rua do Campo, n° 240, Trizidela do Vale. O indivíduo foi encontrado vendendo substância semelhante ao crack.

Após ser abordado em sua residência foram encontradas 130 pedras de crack; R$ 480,90 (quatrocentos e oitenta reais e noventa centavos); duas maquitas; uma balança de precisão; 01 relógio de pulso; 01 dvd player; 03 perfumes; 01 facão; uma tesoura e várias embalagens para droga.

O mesmo foi conduzido à Delegacia e apresentado por tráfico de drogas.

Guarnição: Ten Neris, Cb Ricardo, Sd Miguel, Sd Lins e Sd Aryltton.

Fonte: Tenente Neris

Brasil: Dez pessoas são mortas durante ação da Polícia Militar no Pará

Armamento encontrado em local onde dez pessoas foram mortas, em Pau d’Arco (PA)

Uma ação conjunta das polícias Militar e Civil do Pará terminou com dez pessoas mortas na fazenda Santa Lúcia, em Pau d’Arco (867 km ao sul de Belém), nesta quarta-feira (24).

Trata-se do episódio mais violento ligado à disputa agrária em 21 anos, desde o massacre de Eldorado do Carajás, cidade na mesma região. Na ocasião, PMs mataram 19 sem-terra ligados ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

Os corpos dos nove homens e uma mulher foram levados pela polícia para o necrotério de Redenção (PA). A identidade dos mortos não havia sido divulgada até a publicação desta reportagem.

À imprensa local, a Secretaria Estadual de Segurança Pública do Pará afirmou que os policiais estavam cumprindo mandados de prisão de suspeitos de terem matado um segurança da fazenda Santa Lúcia, alvo de disputa agrária, no início deste mês.

Ainda de acordo com a versão oficial, eles foram recebidos à bala no local e reagiram. No acampamento, teriam sido apreendidas algumas armas de fogo. Não há informação de policiais feridos.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT), no entanto, afirma que se tratou de uma ação de despejo que desrespeitou um acordo que havia desde Eldorado do Carajás.

“A polícia local fez o despejo, descumprindo determinação estadual pós Eldorado dos Carajás, que deve ser feito pela PM de fora”, afirmou o padre Paulo César Moreira, coordenador nacional da CPT.

O novo massacre ocorre em meio a uma escalada de violência ligada a disputas agrárias no Pará. Ao menos 17 pessoas morreram nas últimas semanas no Estado por esse motivo, segundo a CPT.

Em um desses casos, a líder rural Kátia Martins, 43, foi morta a tiros no início do mês no acampamento 1º de Janeiro, a 130 km de Belém, no Pará. Ela era presidente da associação local havia cinco anos.

O Pará é o Estado com mais mortes no campo, de acordo com a CPT. De 2007 a 2016, foram 103 assassinatos. Cerca de dois terços dos casos ocorreu no sudeste do Pará, palco do massacre desta quarta.

Trata-se do segundo massacre no país envolvendo disputa de terras neste ano. Em 19 de abril, nove posseiros e trabalhadores rurais foram mortos a tiros e facadas em Colniza (MT). Um madeireiro da região foi acusado de ser o mandante do crime e está foragido.

Fonte: Folha de São Paulo

Bernardo do Mearim: Acidente fatal envolvendo um Fiat Uno na MA – 119

Foto: Divulgação

Um acidente envolvendo um Fiat Uno, cor preta, placa OEE -6080, Poção de Pedras, na MA-119, próximo ao Município de Bernardo do Mearim, na manhã desta quarta-feira (24) tirou a vida de uma mulher identificada como Elida Brito, que viajava com mais quatro pessoas. O condutor, que pode ser menor, teria perdido o controle do veículo, que capotou várias vezes causando morte imediata da passageira.

Os feridos foram levados para o Hospital de Bernardo do Mearim.

Segundo informações do Blog do Fernando Melo, Élida era casada e deixa um filho de cinco (5) anos de idade.

Brasília: PM e manifestantes entram em confronto em protesto contra Temer

Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress

Centrais sindicais e movimentos de esquerda de todo o país marcham em Brasília contra o presidente Michel Temer (PMDB) e as reformas da Previdência e trabalhista e pela convocação de eleições diretas nesta quarta-feira (24).

Durante o protesto, participantes do ato e Polícia Militar entraram em confronto. Foram disparadas bombas de gás e de efeito moral. A cavalaria da PM chegou a investir contra os manifestantes, que responderam jogando pedras e paus.

As fachadas dos ministérios da Agricultura, Meio Ambiente e Planejamento foram depredadas, e o governo ordenou que todos os prédios da Esplanada fossem esvaziados. Segundo a Secretaria de Segurança do DF, quatro pessoas foram detidas.

Chamado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que lideraram atos contra o impeachment de Dilma Rousseff, e pelas centrais sindicais, a manifestação saiu do estádio Mané Garrincha e segue em direção ao Congresso Nacional.

Os organizadores falam em mais de 100 mil pessoas. A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal afirmou que até as 15h45 havia 35 mil manifestantes. O número estimado de ônibus que vieram de outros Estados é entre 500 e 600.

Em pronunciamento, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, classificou de “baderna” e “descontrole” os episódios de vandalismo e depredação e solicitou reforço das Forças Armadas para controlar a situação na Esplanada dos Ministérios.

O ministro disse que a manifestação “degringolou para violência, vandalismo, desrespeito, agressão e ameaça”. Temer assinou decreto em edição extra do “Diário Oficial da União” que autoriza o emprego das Forças Armadas até a próxima quarta-feira (31) para a garantia da lei e da ordem no Distrito Federal.

Após a PM soltar bombas por mais de uma hora, o gramado da Esplanada dos Ministérios foi esvaziado e os manifestantes seguiram em direção à rodoviária por volta das 17h.

“A gente não merece passar por isso. Quase não tem nada e o que tem, eles querem tirar”, diz o metalúrgico paulista Fernando Oliveira, 27, que saiu do Jabaquara, em São Paulo, na terça-feira (23), às 11h em direção à capital federal.

Entre as muitas categorias presentes, estão os agentes penitenciários, que chegaram a invadir o Congresso durante votação da reforma da Previdência em comissão no início de maio. Eles receberam uma salva de palmas ao passar por um dos carros de som que compõem a manifestação.

Entre as entidades presentes, estão a CUT (Central Única dos Trabalhadores), a UGT (União Geral dos Trabalhadores), a CTB (Central dos Trabalhadores do Brasil), o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), além de membros de partidos, sindicatos locais, entidades estudantis como a UNE (União Nacional dos Estudantes) e movimentos LGBT.

A Força Sindical também se uniu ao protesto contra o governo. Antes da revelação da delação da JBS, a central do deputado Paulinho da Força (SD-SP) se posicionava apenas contra as reformas trabalhista e da Previdência, mas não pedia a saída do governo.

Muitos carregam bandeiras e camisetas com o rosto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “O melhor seria se entrasse o Lula mesmo”, diz a doméstica Elza de Araújo, 51, que veio de Teresina acompanhar a manifestação.

Outros ainda não escolheram candidato. “É tanta safadeza que a gente nem sabe”, diz o motorista mineiro Gabriel, 30. “Eu sei que a gente não aguenta mais o país ser tão hipócrita, e não aguenta mais comer só ovo de mistura.”

A Folha também encontrou manifestantes do Pará, do Rio Grande do Sul, Rio Grane do Norte, Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Distrito Federal e da Paraíba.

TENSÃO

O clima na marcha ficou tenso por volta das 13h30, quando os grupos chegaram ao bloqueio feito pela polícia, em frente ao Congresso.

Homens com máscaras anti gás e camisas laranja da Força Sindical forçaram as grades e instaram as pessoas a invadir o Parlamento.

A Polícia repeliu a tentativa com spray de pimenta. Do alto de um dos carros de som, sindicalistas pediam uma marcha pacífica e que as lideranças controlassem suas bases.

Um cordão humano de dirigentes sindicais foi formado para impedir embates entre manifestantes e a polícia.

O conflito quase saía do controle no início da tarde. A cavalaria e furgões da PM investiram contra manifestantes, que responderam jogando pedras e paus.

“Companheiros mascarados, por favor, retirem suas máscaras. Aqui tem mães, tem trabalhadores honestos. Nosso protesto é pacífico”, disse a senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM).

Na parte de trás da manifestação, dirigentes em carros de som pedem que o público espere, porque “o pau ainda está comendo solto lá embaixo”. Eles pedem que os manifestantes não desçam em direção ao Congresso e não respondam a provocações.

Na altura do Museu Nacional, um jovem se feriu ao tentar acender um rojão e foi rapidamente socorrido pelo Corpo de Bombeiros.

Fonte: Folha de São Paulo

Pedreiras: Servidora da CEF morre após ser socorrida e levada para Peritoró

Janaína Montenegro/Foto: Facebook

Os servidores da Caixa Econômica Federal de Pedreiras, foram surpreendidos com a morte prematura da jovem Janaína Montenegro. Segundo informações, Janaína, que trabalhava na agência, foi encontrada desacordada dentro do banheiro de seu quarto, ontem (23). Levada às pressas para o Hospital Geral de Peritoró, a jovem foi socorrida, teve todo acompanhamento médico, mas infelizmente, não resistiu.

Uma vizinha de Janaína, que pediu anonimato, disse que a mesma estava enfrentando problemas de depressão, fazia tratamento e se encontrava bem. Para os amigos foi um abalo muito grande, quando receberam a notícia sobre a morte dela.

Alegre, descontraída e bastante atenciosa com os clientes da CEF, todos ficaram sem entender o problema enfrentado por ela, que culminou em sua morte prematura.

CEF/Pedreiras/Foto: Sandro Vagner

Em sentimento pela perda da colega de profissão, os servidores da CEF de Pedreiras, estenderam uma faixa preta, em frente à agência, simbolizando luto.

Pedreiras: Palestrante Celso Antunes ficou entusiasmado com a participação do público durante palestra na FAESF

Professor Celso Antunes, durante palestra realizada em Pedreiras/Foto: Samuel Barreto

O evento promovido pela prefeitura de Pedreiras, através da secretaria de educação, foi um incentivo a mais aos educadores, que ganharam novos conhecimentos e reforçaram as ações implantadas e renovadas dentro da sala de aula. O renomado palestrante Celso Antunes tem uma biografia à altura. É formado em geografia pela Universidade de São Paulo, e grande escritor; autor de centenas de livros didáticos, dentre eles um que ajuda elevar a educação: “Novas maneiras de ensinar, novas formas de aprender”.

Celso Antunes veio a Pedreiras, atendendo convite do prefeito Antônio França, que disse ter ficado satisfeito com a palestra realizada ontem (23) aos profissionais de educação do Município. O tema debatido com a participação do público, foi: “Como desenvolver em uma escola pública um ensinou de qualidade”.

Foto: Samuel Barreto

Quem participou da palestra saiu cheio de conhecimentos. Perguntado pelo Blog, sobre o evento educacional, ele disse o seguinte: “No meu aspecto, empolgante! Eu, poucas vezes vi um público tão atento, tão interessado, sobre tudo, disposto a aprender para mudar, e não aprender pra atirar um título, para tirar uma nota; então, me empolgou. A vontade de transformar o saber em fazer, foi uma das coisas mais emocionantes que eu já tive na minha vida, não apenas no nordeste, mas na minha vida“.

Foto: Samuel Barreto

Professor Celso Antunes nos presenteou com uma frase, resumida por ele, ao final da palestra em Pedreiras.

Não sei como será o amanhã, mas sei que ele será como um professor o fizer

A secretária de educação de Pedreiras, Conceição Cunha, ficou radiante em poder, juntamente com o prefeito Antônio França, proporcionar uma palestra tão proveitosa aos servidores da educação de Pedreiras.

Foto: Raira Maria

De escritor para escritor, o poeta Samuel Barreto presenteou o palestrante com uma de suas obras, o livro “Versos Cinzentos”.

Maranhão: Três deputados do Maranhão receberam doações da JBS, segundo delatores

Fotos: Internet

Documentos entregues por executivos da empresa J&F, controladora do frigorífico JBS, mostram que a empresa teria supostamente feito doações nas eleições 2014 para financiar a campanha dos deputados federais Julião Amim (PDT), Rubens Pereira Júnior (PCdoB) e Weverton Rocha (PDT).

Em sua delação, Ricardo Saud fez um “mapa da propina” para políticos. Segundo detalhou o delator, dos mais de R$ 500 milhões doados a políticos pela empresa, no máximo R$ 10 milhões ou R$ 15 milhões não foram propina. O dinheiro, segundo ele, era repassado em contas no exterior, em espécie – e as quantias eram levadas em malas e bolsas –, em doações oficiais – propina disfarçada de doação legal –, ou por meio de empresas ligadas ao políticos.

Segundo a delação dos executivos da empresa JBS, Rubens Pereira Júnior, que é coordenador da bancada do Maranhão na Câmara, teria recebido R$ 150 mil. Já o deputado federal Weverton Rocha e Julião Amim, este licenciado da função para assumir a Secretaria do Trabalho do Maranhão, teriam recebido R$ 100 mil cada.

Procurado pela reportagem, o deputado Rubens Júnior (PCdoB) disse que rebebeu uma doação oficial do partido e que não houve, nem haverá qualquer tipo de contrapartida ou ilegalidade.

Segundo a direção nacional do PDT, a empresa JBS S/A fez doações ao partido de forma legal e devidamente registrada na prestação de contas da campanha 2014, conforme manda a lei eleitoral. A nota diz ainda que esses valores foram repassados para diversos candidatos do PDT em todo Brasil, sem nenhum tipo de contrapartida ou qualquer outra combinação.

Um dos beneficiados pela doação, o deputado Weverton Rocha também que recebeu os valores de forma legal, e que não houve troca de favores. Julião Amim disse ter recebido a doação do partido e que nem ele e nem o PDT cometeram qualquer ilegalidade.

Fonte: g1.globo.com

Brasil: Rocha Loures devolve mala faltando R$ 35 mil da propina, aponta PF

Rocha Loures deixa a pizzaria carregando uma mala

A mala de dinheiro que estava em poder do deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi entregue às autoridades, segundo a Polícia Federal, sem o valor total do dinheiro supostamente pago pela JBS.

Um dos auxiliares mais próximos do presidente Michel Temer, Rocha Loures foi acusado por Joesley Batista de ter recebido R$ 500 mil de propina.

Os advogados do político devolveram a bagagem à superintendência da Polícia Federal em São Paulo na noite desta segunda (22).

No entanto, documento da PF informa que havia 9.300 cédulas de R$ 50 em uma mala “de cor predominantemente preta”, no valor total de R$ 465 mil.

Ou seja, faltam R$ 35 mil do total entregue e relatado pelos delatores.

Joesley disse que Rocha Loures foi indicado pelo presidente para tratar de assuntos de interesse da JBS.

Temer é investigado junto com Rocha Loures em inquérito aberto pelo ministro Edson Fachin no STF (Supremo Tribunal Federal).

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) também é alvo do inquérito, que apura se eles cometeram crimes de corrupção passiva, embaraço à investigação da Lava Jato e organização criminosa.

Fonte: Folha de São Paulo

Pedreiras: IFMA apresentou o Planejamento Estratégico 2016/2020

Fred Maia (Prefeito de Trizidela do Vale)/José Cardoso (diretor-geral do IFMA do campus Pedreiras)/Antônio França (Prefeito de Pedreiras)/Roberto Brandão (Reitor do IFMA)/Carlos César Teixeira (Coordenador do Plano Estratégico) e Peter Dostler (Consultor da STEINBEIS-SIBE do Brasil)/Foto: Sandro Vagner

O IFMA polo Pedreiras foi a 10ª instituição a receber a equipe que apresentou o Planejamento Estratégico para o período 2016/2020. O evento aconteceu na manhã e início de tarde desta terça-feira (23) no Campus Pedreiras, localizado na MA – 381, Rodovia João do Vale, bairro Diogo.

Estiveram presentes o reitor do IFMA, Roberto Brandão; diretor-geral do campus (Pedreiras); José Cardoso, pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional e Coordenador do Planejamento Estratégico, Carlos César Teixeira; o consultor Peter Dostler, da STEINBEIS-SIBE do Brasil, empresa especializada em transferência de tecnologia e conhecimento, que está prestando consultoria para o IFMA na construção do planejamento; os prefeitos de Pedreiras, Antônio França e de Trizidela do Vale, Fred Maia; secretários de educação de alguns Municípios; alunos; os diretores dos Campus de Codó (Wade) e Presidente Dutra (Firmino); representantes sindicais; empresários e a polícia militar.

Aline Emanuelle e Isabele Santos(alunas do IFMA/Pedreiras)/Foto: Sandro Vagner

Em homenagem à terra de João do Vale, duas alunas, Isabele Santos e Aline Emanuelle, dos cursos petróleo e gás e eletromecânica, abriram a solenidade interpretando a música “Pisa na Fulô”.

José Cardoso/Diretor – geral do campus Pedreiras/Foto: Sandro vagner

Após os participantes entoarem o Hino Nacional Brasileiro, o diretor-geral do campus Pedreiras, José Cardoso, deu as boas-vindas a todos. Definiu o planejamento como uma realidade para a região. Disse que os jovens e adultos continuem seus estudos com qualidade, mas que tenham a oportunidade de ingressar no mercado de trabalho com autonomia. Segundo ele, o pensamento de todos é sobre o novo rumo que deverão tomar a partir do fórum realizado em Pedreiras.

Fred Maia/Prefeito de Trizidela do Vale/Foto: Sandro Vagner

Com a participação de 26 alunos de Trizidela do Vale, o prefeito Fred Maia ressaltou sua felicidade em contribuir com a instituição como um grande parceiro do IFMA de Pedreiras. Lembrou a parceria com a instituição, desde sua implantação através do professor Gedeon, quando sempre se colocou à disposição de todos, acreditando que a tendência é o crescimento do IFMA, cada vez mais.

Antônio França/Prefeito de Pedreiras/Foto: Sandro Vagner

O prefeito de Pedreiras, Antônio França, parabenizou a direção do IFMA, e renovou sua parceria, pela importância dedicada aos jovens que participam dos cursos de capacitação oferecidos a todos. Não esqueceu de frisar a participação de outros Municípios que formam a regional de Pedreiras, na discussão do que realmente necessita a região diante da sua realidade.

Roberto Brandão/Reitor do IFMA/Foto: Sandro Vagner

Nós podemos fazer tranquilamente um planejamento estratégico interno, como todas as empresas, repartições e instituições fazem, mas nós queremos um pouquinho mais. Queremos que a comunidade de Pedreiras, de Trizidela do Vale e toda região nos conheça e possa tirar o maior proveito do que é o Instituto Federal do Maranhão, e, para isso, nós precisamos conversar com a comunidade. Para que tudo isso pudesse acontecer, fomos buscar a parceria da STEINBEIS, da Alemanha, que tem uma filial da STEINBEIS – SIBE do Brasil, na figura do Peter, onde ele tem uma vivência de 20 anos de Brasil, tem uma vivência por ter feito planejamento nas universidades, dentre elas a UNB, e tem o conhecimento daquilo que a Alemanha faz de mais qualidade, que a educação através do método Dual. Esse ensino, você trabalha as duas faces da formação do aluno, dentro da escola e dentro da empresa“, disse o reitor do IFMA, Roberto Brandão.

Peter Dostler (Consultor da STEINBEIS-SIBE do Brasil) durante apresentação do plano/Foto: Sandro Vagner

Antes de Pedreiras, os fóruns aconteceram em: São Luís (Monte Castelo), São José de Ribamar, Rosário, Viana, Imperatriz, Porto Franco, Barra do Corda, São Raimundo das Mangabeiras e Carolina. Até o dia 26 de maio, os fóruns acontecerão nas unidades do IFMA em Bacabal (24), Zé Doca (25) e Santa Inês (26).

Fotos: Sandro Vagner

Brasil: Polícia Federal prende assessor de Temer e ex-governadores do DF

Tadeu Filippelli (PMDB-DF), assessor especial da Presidência da República

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira (23) Tadeu Filippelli (PMDB), assessor especial da Presidência da República, e os ex-governadores do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) e Agnelo Queiroz (PT). Os mandados foram expedidos pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília.

As prisões fazem parte da Operação Panatenaico, desencadeada pela PF e pela Procuradoria da República no Distrito Federal para apurar depoimentos prestados em acordo de delação premiada de executivos da Andrade Gutierrez.

Os delatores reconheceram prática de cartel e pagamento de propina em torno da obra de construção do estádio Mané Garrincha, erguido para a Copa do Mundo de 2014 com um superfaturamento, segundo os investigadores, de cerca de R$ 900 milhões.

Há mandados de prisão provisória expedidos contra dez pessoas, incluindo Claudio Monteiro, ex-homem forte do governo Agnelo, e Maruska Lima de Souza Holanda, ex-presidente da Terracap (Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal). A Terracap é uma empresa pública controlada pelo governo do DF. Em abril, o Ministério Público do DF afirmou que a obra do estádio gerou um rombo de R$ 1,3 bilhão nas contas da Terracap.⁠

A operação também cumpre mandado de prisão contra pessoas apontadas como “operadores” dos políticos investigados: Afrânio Roberto de Souza Filho, que atuaria para Filippelli, Sérgio Lucio Andrade (suposto “operador” de Arruda) e Jorge Luiz Salomão (de Agnelo).⁠⁠

José Roberto Arruda (PR) foi o primeiro a chegar na Polícia Federal do DF, por volta das 8h51. Os demais suspeitos estão a caminho da sede da instituição.

O ex-governador do DF, José Roberto Arruda, chega preso à superintendência da PF em Brasília

Filippelli foi vice-governador na gestão de Agnelo e é presidente do diretório do PMDB no DF. Procurada na manhã desta terça, a assessoria de Filippelli não atendeu às chamadas da Folha. A defesa do ex-governador Agnelo Queiroz afirmou que as buscas na casa do político estão em curso e que ele se manifestará somente após ter acesso aos autos. A reportagem tenta contato com os demais suspeitos.

Arruda foi governador do DF de 2007 a 2010, quando caiu após o escândalo chamado “Caixa de Pandora”, que envolveu um esquema de desvio de recursos da administração local. Na época, Arruda, então no DEM, chegou a ficar dois meses preso. Naquele mesmo ano, Agnelo foi eleito governador pelo PT, com Filippelli no cargo de vice.

Foto: Sergio Moraes/Reuters

DESVIO DE RECURSOS

Segundo a PF, o objetivo da ação é investigar uma suposta organização criminosa que fraudou e desviou recursos do Mané Garrincha. “Orçada em cerca de R$ 600 milhões, as obras no estádio, que é presença marcante na paisagem da cidade, custaram ao fim, em 2014, R$ 1,575 bilhão. O superfaturamento, portanto, pode ter chegado a quase R$ 900 milhões”, diz a Polícia Federal.

As informações estão no acordo de delação premiada que a Andrade Gutierrez fez com investigadores da Lava Jato. A Folha apurou que os dados da delação relativos à obra do estádio foram enviados à Justiça Federal por ordem do ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em janeiro e na época relator dos casos da Operação Lava Jato no STF.

São cinco os delatores da Andrade Gutierrez que levaram à deflagração da Operação Panatenaico. “Os detalhes da longa trama criminosa foram dados perante a Polícia Federal pelos diretores
da construtora Andrade Gutierrez, Flávio Gomes Machado Filho, Clóvis Renato Numa Peixoto Primo, Rogério Nora de Sá Rodrigo Leite Vieira e Carlos José de Souza”, escreveu o juiz Vallisney de Souza Oliveira na decisão que autorizou a operação policial.

Ainda de acordo com o juiz, os delatores da Andrade Gutierrez Rogério Nora, Clovis Primo e Flavio Gomes Machado “revelaram que a concorrência licitatória no Estádio teria sido forjada para que vencesse o consórcio Via Engenharia & Andrade Gutierrez e que houve pagamento de propina para os governadores do Distrito Federal (da época) José Roberto Arruda e seu sucessor Agnelo Santos Queiroz, bem como para o então vice-governador do DF, Tadeu Filippelli”.

O documento também diz que há indícios de que Filippelli se associou e cometeu delitos de corrupção e lavagem de dinheiro, tendo feito diversos pedidos de propina à Andrade Gutierrez.

Conforme a decisão do juiz, Afrânio Filho, apontado como “operador” de Filippelli, recebeu 19 “pagamentos de propina” da construtora Andrade Gutierrez, “no percentual de 4% de cada medição, o que revela indícios de
que tenha cometido os delitos de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa”.

Um dos pedidos delatados é para o partido de Filippelli, o PMDB, entre 2013 e 2014, “tendo recebido valores ilícitos também da construtora Via Engenharia, tudo em função da realização das obras e da execução da licitação que a Via Engenharia e a Andrade saíram vencedoras”.

“Assim, os indícios demonstram até agora que Filippelli cometeu diversas vezes o delito de corrupção e de lavagem de dinheiro e ainda de associacção criminosa com os demais membros da “quadrilha” como Agnelo Filho”, afirma a PF.

Os delatores afirmaram que a propina era paga em espécie “até mesmo a beneficiários diretos”. Além de pedir a prisão temporária dos envolvidos, o Ministério Público solicitou a indisponibilidade dos bens dos investigados até o limite de R$ 60 milhões, além do bloqueio dos bens ativos, contas e investimentos da Via Engenharia até o limite de R$ 450 milhões.

O juiz autorizou o bloqueio de R$ 6 milhões em bens de Fillippelli, R$ 10 milhões de Arruda e R$ 10 de Agnelo Queiroz.

LICITAÇÃO SUSPEITA

A hipótese investigada pela PF e pelo Ministério Público Federal é a de que agentes públicos, com a intermediação de operadores, tenham realizado conluios e simulado procedimentos previstos em edital de licitação no estádio Mané Garrincha.

“A renovação do estádio Mané Garrincha, ao contrário dos demais estádios da Copa do Mundo financiados com dinheiro público, não recebeu empréstimos do BNDES, mas sim da Terracap, mesmo que a estatal não tivesse este tipo de operação financeira prevista no rol de suas atividades”, afirma a nota da PF.

A arena Mané Garrincha foi a mais cara da Copa de 2014.

O nome Panatenaico é uma referência ao Stadium Panatenaico, sede de competições realizadas na Grécia Antiga que foram anteriores aos Jogos Olímpicos.

Foram expedidos 15 mandados de busca e apreensão, dez de prisão temporária e três conduções coercitivas para ser cumpridas em Brasília e seus arredores.

TEMER

Filippelli integra um grupo de cinco assessores especiais escolhidos por Temer, no início de seu governo, para despachar em uma sala no terceiro andar do Palácio do Planalto, a poucos metros do gabinete presidencial. Além dele, eram conselheiros próximos do presidente Rodrigo Rocha Loures, José Yunes, Sandro Mabel e Gastão Toledo.

Desses cinco assessores, quatro foram citados em investigações de corrupção. Rocha Loures foi flagrado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviada pela JBS, depois que havia deixado o Planalto para assumir o mandato de deputado.

Yunes pediu demissão em dezembro, quando um ex-executivo da Odebrecht disse que ele recebeu em seu escritório dinheiro pedido pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Mabel foi acusado por outro delator de ter pedido dinheiro para aprovar uma emenda a uma medida provisória em 2004.

Destes, restam no gabinete apenas Mabel, que auxilia Temer na interlocução com parlamentares e empresários, e Gastão Toledo, que é conselheiro jurídico do presidente.

Fonte: Folha de São Paulo