Vou Falar! Atenção!

Marcílio Ximenes – Gerente da Mearim Motos

Não percam! Amanhã no blog. Uma entrevista com o gerente da Mearim Motos Honda Marcílio Ximenes.


Assuntos: Política, negócios, administração e muito mais.


Marcílio Ximenes foi o segundo colocado com 61%, da enquete realizada pelo blog, quando perguntou: “Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para prefeito de Pedreiras”?


Aguarde!

57 Dias de Festa!

Começaram hoje (30/06), as comemorações dos 57 anos do Armazém Paraíba. Em Pedreiras, os clientes lotaram a loja, que abriu em novo estilo, para oferecer mais conforto a todos. Durante o aniversário serão sorteados 57 caminhões de prêmios. 
Armazém Paraíba – Pedreiras – MA

Nesta terça-feira, (30/06), os clientes que já estão acostumados com as promoções do Armazém Paraíba, ganharam cupons em dobro para concorrer aos valiosos prêmios. Todos os setores da loja ficaram lotados. Ninguém perdeu a promoção. Cada setor em oferta chamou à atenção de todos.

Clientes colocando cupons na urna
Clientes na loja

Vendedora

Filas e mais filas se formaram nos caixas, devido a promoção de peso, que só o Armazém Paraíba é capaz de realizar, afinal, são 57 caminhões e um pode ser seu. Basta comprar, preencher o cupom, colocar na urna e aguardar o dia do sorteio.

Filas nos caixas
Ronnie Von (gerentePedreiras) e Vicente Coutinho(Ger. Regional)

Ao lado do gerente Regional, Vicente Coutinho, o gerente da Loja de Pedreiras, Ronnie Von ficou satisfeito pelo começo da grande festa.

Crediário
Conforto aos clientes

Durante 57 dias de festa, não vão faltar promoções diárias. Você compra e ainda pode ganhar um caminhão com tudo do bom e do melhor. Tudo por conta do Armazém Paraíba. 

Cliente acompanhada da mãe

Enquanto os clientes faziam suas compras, Ronny Alberto e Banda proporcionaram o melhor da música popular brasileira.

Ronny Alberto e Banda
“Zezinho” – locutor
  Dantas – Locutor   
Setor de tecidos

Arraiá do “Seu Zé”, Parte II

Arraiá do “Seu Zé” – conjunto Primavera
A temporada junina está acabando, mas os momentos marcantes ficarão para sempre na memória de que participou de alguma festividade. Foi o caso dos moradores da Rua dos Jasmins, no Conjunto Primavera, que realizaram um arraial, para juntar os amigos, bater aquele papo gostoso, gozar da derrota dos flamenguistas! E, claro, dançar quadrilha. 
Olha a cara do tocador
Quem é o cantor?
Vão roubar o bolo!!!
Foi tudo improvisado, mas deu certo. Como dizem por ai: “Filho de peixe, peixinho é”. O puxador, Lucena, filho de um grande brincante de quadrilha de Pedreiras, Neilton Lucena, foi quem animou os casais. Não faltaram os tropeços, mas, a festa terminou mesmo foi em alegria, que contagiou até os convidados.
Quadrilha dos jasmins
Eita, animação, sô!
Um forro-pé-de-serra não faltou, com direito a tocador mirim e muito mais. O cantinho mais visitado foi o tirar “fotografia”. As poses, vixe! As mais inusitadas, num bom sentido.
Na palma da mão

Olha o túnel!
A família Lucena que homenageou o arraial com o título, “Arraiá do Seu Zé”, foi para lembrar o senhor José Josias. Claro, que as boas lembranças deste grande pai de família, não faltaram. 

Ao final, a festa foi coroada de êxito. E, com certeza no próximo ano vai ser melhor ainda.

‘TENHO DITO”

Maranhão, 6 meses de mudanças

Flávio Dino – Governador do Maranhão
Manter a fidelidade ao nosso Programa de Governo, construído pelo povo
e aprovado nas urnas no ano passado, tem sido a linha-mestra das ações que
adotamos na administração do Estado. Fazemos isso para recuperar o tempo
perdido devido a décadas de patrimonialismo político que, ao dedicar-se
integralmente a negócios privados e interesses familiares, esqueceu de garantir
ao povo do Maranhão as conquistas alcançadas em todo o país, em face da
ampliação dos direitos sociais ao longo do século passado. A verdade é que
a má política negou aos maranhenses o acesso ao ciclo de direitos sociais, como
é retratado pelo terrível IDH que possuímos.
Em seis meses de Governo que se completarão esta
semana, o Maranhão deu passos importantes em direção ao desenvolvimento
com justiça social. São iniciativas que abrangem desde
o incentivo à produção familiar, com o início da implantação dos
“sisteminhas” produtivos, até a recuperação asfáltica em aproximadamente
20 cidades pelo Programa Mais Asfalto e outras 20 rodovias intermunicipais
atualmente em obras. Em junho, finalizamos o primeiro ciclo do Mutirão
Mais IDH, chegando a São João do Caru. No total, foram realizados
aproximadamente 70 mil expedições de documentação para garantia de direitos e
120 mil atendimentos em Saúde nos 30 municípios foco do programa.
Ações como essa recebem repercussão
positiva em todo o Brasil e em organismos internacionais importantes, como o
efetuado pelo embaixador da Organização das Nações Unidas (ONU) no
Brasil, Jorge Chediek, a quem agradeço pelo apoio dado à causa do
combate à pobreza no nosso território. Ele esteve no Maranhão
recentemente para conhecer os primeiros projetos focados na redução
das desigualdades sociais e, ao saber detalhes do Plano de Ações
“Mais IDH”, destacou o esforço de toda a nossa equipe em promover justiça
social no Estado.
Em outra vertente, estamos adotando medidas econômicas
anticíclicas para enfrentar a crise por que passa o país, aumentando os
investimentos e garantindo reajuste salarial aos servidores públicos, dentre os
quais destaco os professores que receberam 13% de aumento e hoje têm uma das
melhores remunerações do país; e os policiais, que tiveram a maior readequação
salarial da história no Maranhão, com aumentos e promoções.
Também reduzimos impostos com o programa “Mais
Empresas” e sancionamos esta semana a nova tabela do SIMPLES, estimulando o
empreendedorismo e fazendo com que nosso Estado venha quebrando recordes na
criação de empresas. Nos primeiros cinco meses do ano, 11.658 novos negócios
foram gerados, mostrando que estamos lutando juntos contra a crise nacional e
internacional, que atingiu fortemente vários setores exportadores.
E vem muito mais por aí.
Nesta semana, vamos oficializar a criação
do Cartão do Programa Bolsa Escola, que em janeiro de 2016 concederá, com
recursos do Tesouro Estadual, uma espécie de 13ª parcela para
que os beneficiários do Bolsa Família, que tenham filhos alunos de escolas
públicas, possam comprar material escolar de qualidade para utilizar ao longo
do ano. Essa é uma medida que visa beneficiar não apenas a educação dos mais
pobres, mas que também dinamizará a economia regional e aquecerá os pequenos comércios,
já que o consumo das famílias chegará, em janeiro, a cerca de R$ 65 milhões
adicionais, exclusivamente com material escolar.

À medida que vamos avançando na implementação de
políticas sociais, benefícios tributários, investimentos e obras, os maranhenses
vão fortalecendo a certeza de que estamos no caminho certo. Aqui, agradeço aos
74% dos maranhenses que registram em pesquisa aprovar esse novo projeto de
desenvolvimento que vai se consolidando, passo a passo, em nosso Estado. Vamos
continuar mobilizando toda a energia cívica possível para que o
Maranhão se encontre com seu verdadeiro destino, no qual haja oportunidade
para todos. É esta causa que nos movimenta!

Estudantes fazem protesto na Esplanada contra redução da maioridade penal

O
grupo chegou a ocupar todas as faixas do Eixo Monumental, no sentido do
Congresso Nacional
Estudantes
de todo o país e organizadores de movimentos estudantis se reúnem na manhã
desta terça-feira (30/6), na Esplanada dos Ministérios, em um protesto contra a
Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/1993, que prevê a redução da
maioridade penal. O movimento, que teve início no Museu Nacional e chegou ao
espelho d’água do Congresso Nacional, atrai aproximadamente 350 pessoas, de
acordo com a Polícia Militar.



Alguns
jovens de movimentos como União Nacional dos Estudantes (UNE) e União
Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) acamparam na Esplanada com o
intuito de fazer o protesto antes da votação da PEC, na Câmara dos Deputados,
marcada para a tarde desta terça-feira.

Antes
do protesto, a presidente da UBES, Bárbara Melo, afirmou que o movimento
pretendia mobilizar cerca de quarenta escolas e universidades de Brasília para
o ato. “Estudantes de Santa Catarina, Goiás, Tocantins, Rio de Janeiro e
São Paulo estão vindo participar. Esperamos mais de cinco mil pessoas aqui.
Queremos mostrar que menos cadeias e mais educação é a solução”. 

Fonte: correiobraziliense.com.br

Pedro sobre Pedreiras

Imagem de São Pedro
Regional os Iguais
Antes do início da procissão
a banda de fanfarra “Regional os Iguais”, das cidades de Coroatá e Codó,
alegrou os fieis que estavam em frente à Igreja de Santo Antônio de Pádua.
Iniciando a procissão 
O percurso é o mesmo de
todos os anos. Saiu da igreja, indo direto ao Parque Maratá.  À frente a cruz, depois a Bíblia e o andor
com a imagem de São Pedro.
Canoas aguardando o início da procissão
Altar no Parque Maratá
Às margens do Rio Mearim
muita gente parece marcar o local, para não perder esse momento tradicional no
encerramento do festejo. Um pequeno altar com a imagem do padroeiro, idealizado
pela família Maratá, também faz parte da tradição.
Pedido de Socorro
Pedidos de proteção
As canoas enfeitadas são
atrações à parte. Cada uma tenta trazer uma mensagem, por exemplo: “Salve o
Mearim e o Surubim”. Até pedidos de proteção para a classe de pescadores com um
desenho de São Pedro ganhou destaque entre os participantes.
Frei Fabiano, Padre José Geraldo e Padre Luís
Francisco e Sebastos
Os Padres José Geraldo e
Luis, acompanhados do pároco de Trizidela do Vale, Frei Fabiano, abençoaram os
participantes, pedindo proteção a Deus na descida do Rio até o local onde foi
celebrada a missa de encerramento. 
Saindo do Parque Maratá
Fieis às margens do Rio Mearim
As margens do Rio Mearim
muita gente acompanhou a passagem da procissão fluvial. Sobre a ponte, toda
extensão foi tomada por fieis e curiosos que foram registrar esse momento de fé
e de beleza, proporcionado pelos pescadores da colônia Z-28, em parceria com o
Santuário de São Bendito e a Pastoral da Pesca.

Multidão do outro lado do Rio/Triz. do Vale
Este ano, como nos demais, a
rampa ficou superlotada. Do outro lado da margem uma imensidão de devotos
acompanhou os momentos mais emocionantes desse festejo, que contou, ainda, com
a participação do Padre José Alberto.
Fieis na rampa
Padres José Geraldo e José Alberto

No próximo ano os simples e
humildes pescadores estarão mais uma vez no leito do Rio Mearim, para
proporcionar uma imagem perfeita para qualquer visão.
Multidão sobre a ponte do Rio Mearim

Pedreiras. Uma Outra Cara Durante um Feriado

Pedreiras, durante o feriado
Parece uma cidade deserta. Mas, estamos em Pedreiras, “Princesa do Mearim”, pelo menos, até enquanto não tomem até o seu cajado, pois, a coroa, ela perdeu faz tempo, destruída pelos filhos “ilustres”, que se dizem tem amor por uma terra de bons costumes e excelentes famílias. Mas, isso é uma outra história.

Quem foi ao centro da cidade neste feriado de São Pedro, percebeu a tranquilidade; trânsito fluindo com toda paciência, e até local para estacionar foi possível encontrar, sem nenhum constrangimento se quer.

Agências bancárias

Agências bancárias fechadas, mas não se preocupe. Quem tem conta vencendo hoje, pode pagar amanhã sem nenhum acréscimo. 

Avenida Rio Branco
A cidade do, “já teve”, se fosse mais cuidada, ainda poderia voltar a reinar com sua esplêndida coroa. Ainda é tempo de resgatar tudo isso, mas do jeito que as coisas andam,  e, a preocupação dos nossos representantes é atirar para todos os lados e doa a quem doer; o possível vai ficando cada vez mais distante. 

Festejo de São Pedro. A Mudança Murchou

Local onde era realizado o festejo de São Pedro
Hoje (29/06), é feriado em Pedreiras. O santo padroeiro dos pescadores ganhou esse direito de feriado desde a administração do saudoso ex-prefeito Pedro Barroso. A alegria sempre contagiou os participantes, que durante todo dia, antes da procissão fluvial, ficavam em frente a capela do padroeiro acompanhado uma banda de fanfarra intitulada “Regional os Iguais”, da cidade de Codó. Mas o que testemunhamos hoje, foi uma tristeza sem fim. Barraca vazia, capela fechada e apenas usuários de craque, que aproveitam o local ermo, para alimentar o vício.
Barraca sem nenhuma atração
Capela do padroeiro, fechada
Será que essa mudança fez bem aos moradores do bairro Matadouro? Essa resposta, ouvimos de uma das fundadoras do festejo, a senhora Raimunda Gama.
Raimunda Gama – Fundadora do festejo

Blog do Sandro Vagner – Como a senhora se sente em passar em frente a Barraca e não ver mais a bandinha tocando?

Raimunda Gama – Você sabe, que toda mudança ela murcha. Na verdade, o que faltou, se a gente continuar, por que é na avaliação que nós vamos saber, se a gente continuar, a bandinha não era pra estar silenciada, era pra está ali, na sua casa. Nós tivemos o café da manhã de confraternização na rua da Golada. A bandinha era pra tá animando. Eu achei muito interessante a mudança, mas a gente não regou tão bem, então tiveram algumas “coisinhas” que murcharam. Então, eu acredito o seguinte: que na proporção da caminhada, que não é só pelo fato de ter saído, que a gente deixava tão murcho, mas eu senti uma falta tremenda, quando eu cheguei e achei um silêncio e, fiquei muito triste, por que não acompanhei hoje a bandinha tocando. Então, eu espero que não deixemos isso murchar.

Canoas que participarão da procissão fluvial

Blog do Sandro Vagner – E o festejo de São Pedro, como surgiu?

Raimunda Gama – Olha! O festejo de São Pedro, de verdade, de verdade, nós temos uns 40 anos de festejo. Eu, Raimunda, tenho 53 anos de igreja, e logo que eu comecei, não tinha festejo. E após anos que eu trabalhava na igreja, eu, e um tio meu chamado Arlindo Rodrigues começamos ali, em frente a casa de Zeca Batista, era ali a Colônia. E ali, nós começamos timidamente, fazendo uma reza, mais com crianças por que os pescadores eram poucos, não tinha ainda organização de classe. Logo depois veio seu Alfredo Braúna, seu Bezerrinha, Carlos Martins (ex-prefeito de Pedreiras), que ajudaram na criação da organização de classe. Tínhamos até um bloco chamado “Surubim”, que foi fundado para eles puderem brincar. Era uma coisa muitos simples, nunca se imaginava que chegasse a uma festa do porte que é hoje, onde Pedreiras fecha o comércio para Pedro. É muito bonito quando se constrói uma história dessa que foi passando de geração em geração. Olhando a caminha você diz assim: “Olha que coisa linda, que organização!” Mas, às vezes, a gente esquece de quem começou os primeiros passos. Uma coisa que lembro muito bem, é que tinham mais crianças rezando do que adultos.
Andor do Santo
Cruz, sendo preparada
Na igreja de Santo Antônio de Pádua, todos trabalham para deixar o andor e outros adereços prontos. A procissão sairá da matriz em Trizidela do Vale, até o parque Maratá. Depois segue pelas águas do Rio Mearim, que proporciona um dos momentos mais marcante do festejo em honra a São Pedro.

Homem Foi preso Portando uma Faca e Porção de Maconha

Na madruga de hoje, a Força Tática de Pedreiras prendeu Kayo Leandro de Sousa Lisboa conhecido como, “Danda”, de 19 anos de idade. Segundo informações dos policiais, com Kayo foi encontrada uma faca e uma pequena porção de maconha.
Kayo Leandro – Acusado
Após os procedimentos os policiais apresentaram o acusado na Décima Quarta Delegacia de Polícia Civil de Pedreiras.
Faca e maconha que estavam em poder de Kayo
Mesmo diante dos obstáculos que a polícia enfrenta, o trabalho de segurança vem sendo feito, proporcionando segurança aos moradores de Pedreiras e Trizidela do Vale. Segundo Major Maurício comandante do 19° BPM, esse trabalho preventivo vai continuar, também na região.

Ocorrências no 19° BPM de Pedreiras

A polícia militar de Pedreiras prendeu três elementos que estavam portando uma substância  semelhante a maconha, às margens do Rio Mearim. Segundo denúncia anônima eles estariam com uma arma de fogo, mas, avistarem a PM, se livraram do revólver, jogando-o dentro do rio.
R. I. F.
A polícia encontrou, além da droga, uma arma branca. Os três foram conduzidos pela Força tática e encaminhados a delegacia de polícia civil. Os acusados são: Rafael Rocha da Silva, 19 anos, Antônio Carlos Silva Oliveira, 20 anos, e P. I. F, 16 anos.

Luane, já em casa.
Uma criança que estava desaparecida foi encontrada pela Força Tática. Luane Santos de Abreu, 6 anos, mora na cidade de Barra do Corda, e estaria na casa de parentes, na Rua Boa Vista, 38, em Trizidela do Vale. Segundo informações ela teria saído com outras crianças, e não sabia mais voltar para casa. Após contato da população com a PM, a guarnição saiu em busca da criança e conseguiu encontrá-la, chorando. Luane foi devolvida aos responsáveis, que estavam muitos preocupados com o desaparecimento da menina.