“Sou Pré – Candidato a Prefeito de Pedreiras” (Marcílio Ximenes)

Marcílio Ximenes / pré candidato a Prefeito de Pedreiras
Durante seis dias o blog  fez uma enquete com a seguinte pergunta: “Se as eleições fossem hoje em quem você votaria para Prefeito de Pedreiras?” Vários nomes de supostos pretensos candidatos fizeram parte da relação, entre eles Marcílio Ximenes, gerente da Mearim Motos Honda, que apareceu na segunda colocação com 41% da preferência dos leitores.
A equipe do blog determinou que os nomes que ficassem em 1° e 2° lugares seriam entrevistados.
Procurado por nossa produção, o gerente da Mearim Motos Honda, Marcílio Lira Ximenes nos concedeu uma entrevista. Pedreirense no auge dos seus 35 anos de idade ele falou sobre negócios, administração, sigla partidária e confirmou que será candidato a Prefeito de Pedreiras no próximo ano.
Blog do Sandro Vagner –  Desde quando você é funcionário da empresa Mearim Motos Honda?
Marcílio Ximenes – Sandro, é com muito orgulho vamos fazer agora completar 15 anos de Honda. Comecei na Imperial Motos com seu Valdeci Jr. Entrei como office boy. E Deus abençoou e foi quando entrou um novo grupo e comprou a Imperial, isso vai fazer 13 anos no dia 1° de novembro, que passou a ser Mearim Motos Honda. Passei à parte de vendas, depois fui auxiliar de gerência, e há oito anos atrás, Deus nos capacitou e tive a oportunidade de estar gerente, você não é gerente, você estar gerente. Tem sido muito bom. A Honda cresceu muito no país, hoje nós temos uma participação muito boa de mercado, isso significa 95% do mercado. No Brasil é maior participação numa região, é a participação da Mearim Motos.
Blog do Sandro Vagner – A crise municipal afetou as vendas na Mearim?
 Marcílio Ximenes – Hoje, a Mearim está em 32 cidades. E nós temos pesquisas mensais frequentes de mercado. Essa crise, na realidade, vou ser bem franco com você, não é só em Pedreiras não! Tem cidades aqui que caíram as vendas em 50% e 70%, aqui pertinho. Então, a realidade tá quase geral com uma série de fatores. Vejo um grande perigo e converso isso com muita gente, é o comércio sustentando o comércio, que uma hora pode dá um “boom”, uma hora isso pode estourar, porque o comércio só, não pode aguentar o comércio. Por exemplo: Lima Campos perdeu muito com a explosão dos caixas eletrônicos, esses roubos aos bancos no mínimo deixa uma cidade parada durante no mínimo seis meses. Então, hoje eu não vejo que a crise seja só isso, isso, isso, não! Então é questão de segurança, de administração pública, federal, estadual… é um pacote e cada um tem sua forma de contribuir pra esse momento que nós estamos vivendo.
Blog do Sandro Vagner – Como político, pedreirense e como gerente, como você ver hoje a administração do Prefeito Totonho Chicote?

Marcílio Ximenes – Vemos hoje que ele está tendo um pouco de dificuldade. Não é só ele, tem muita gente, pego o gancho da resposta anterior. Agora, tudo se passa por gente. Tem que ser repensado a questão de gente, gente pra trabalhar, que toma de conta de que parte. E às vezes o gestor fica mais ou menos refém. Ouvi um comentário sobre a dificuldade para se arrumar pessoas técnicas para determinados cargos. Existe uma lei, existe teto que você não pode pagar “X” valor a mais pra um um secretário, e esperar que ele faça um trabalho bom por “X” valor. Se você pegar um engenheiro, uma pessoa formada, uma pessoa graduada em cada área específica pra ganhar aquele “X” valor de secretário, não compensa e ele não tem tempo. A coisa pública é muito rápida, e ao mesmo tempo ela é muito burocrática. Se não houver um planejamento, isso, hoje é em tudo, e se você entrar numa prefeitura sem saber o que vai fazer, sem assessores bons, lá na frente vai dá tudo errado.
Blog do Sandro Vagner – Solidariedade. Sobre esse partido.
Marcílio Ximenes – Solidariedade é um Partido que o então Deputado Federal Simplício Araújo trouxe para o Maranhão, eu tive o prazer de ser o primeiro Presidente dele estadual, passei um mês como Presidente, então já estou na história, né? É um partido novo que nasceu com ideais interessantes, eu me identifiquei bastante com uma linha para jovens, mulheres, para idosos, com um braço também na Força Sindical e nos movimentos sociais. E surgiu quando o Brasil vivia momentos diferentes.Por que mesmo que não haja mudanças grandes, que eu acho que vai ter. Essas mudanças só vão acontecer no ano que vem, nas eleições, pois as mudanças só acontecem no nosso ciclo, aqui, mas é o povo mesmo, a maioria que elege! Será que houve essa mudança da realidade? Será que o pessoal está preparado agora pra colocar quem é capacitado mesmo? Quem estudou pra estar lá? Quem tem currículo de administração? Quem já administrou alguma coisa? É muito fácil você colocar um nome, até por que a Democracia lhe dá esse direito de ser candidato, tudo bem! Agora, cabe ao povo, eu acho que já passou da hora de escolher pessoas que tenham capacidade e que tenham responsabilidade.
Blog do Sandro Vagner – Nas eleições você seria candidato a vereador. Desistiu por que?
Marcílio Ximenes – Não pude sair devido um compromisso que eu tinha com a empresa, eu não poderia ser irresponsável, mas meu irmão, David, foi candidato ficou entre os cinco mais votados, mas não foi eleito por causa da questão de legenda. Fui pré-candidato a Deputado Estadual, agora, mas após uma conversa do grupo, Klebinho foi o candidato, pois não poderia sair dois e nós o apoiamos. Meu nome está à disposição, Sandro, o que eu gosto de falar sempre, é o seguinte: Não existe candidatura imposta, nós já vimos todas candidaturas impostas, é cara uma candidatura imposta e eu não tenho como pagar por isso. Eu não tenho coragem de tirar nada da boca do Lucas e da Rana, não! Um só tem três anos e meio a outra tem um ano e meio, eles não podem se sustentarem, que são meus filhos. Então eu não tenho coragem de tirar da boca dos meus filhos pra ser irresponsável; quando é que eu sou irresponsável? Quando eu compro um voto, compro uma liderança, compro tudo. Quando uma candidatura não parte do povo fica complicada, eu não tenho como pagar esse preço. Agora, o meu nome tá à disposição, sempre vai está. Estou estudando pra isso, estudo dia e noite pra isso, por que sem se capacitar não tem como, e ficar com esse discurso de: “Ah! É, por que eu sou bonzinho, faço isso ou faço aquilo.” Quem nunca administrou nada na vida e colocar o nome por que tem dinheiro, por que tem um relacionamento, por que “X” acha  que eu sou um bom candidato, ou por que eu tenho uma família grande, ou por que o “X” já foi o não sei o que, acha que eu sou um nome bom, tenho um nome limpo; ah, por que eu tenho a menor rejeição. Acho que não é por ai. Nós vamos correr e cair no mesmo poço. Ou se vota por responsabilidade, capacidade, ou vamos correr juntos e cair no mesmo poço, e ai vão ser mais quatro,cinco, seis anos se aumentar, de TACA.
Blog do Sandro Vagner – Não sendo pré – candidato já pensa em apoiar alguém nas próximas eleições?
Marcílio Ximenes – Não! Hoje eu sou pré-candidato. Já foi dito isso. Eu sou pré-candidato a Prefeito de Pedreiras. Já é conversado com o grupo. As pessoas que nos cercam no Solidariedade e os amigos que me acompanham todos são sabedores disso. Temos um grupo, tem Klebinho, tem Simplício – que é o nosso líder – e temos conversado muito sobre isso. E, claro, vamos pra frente, tá chegando a eleição, vamos ver o que tá acontecendo, ver a aceitação, e falo de novo, por que essa aceitação tem que vim do povo. Quando o povo quer, Sandro, depois que ele vira a cabeça não tem pra ninguém. E nós estamos conversando muito com Klebinho, com Simplício, e claro que o melhor nome será o candidato pra vencer. Não tenho vaidade nenhuma em ser Prefeito. Eu quero fazer parte da contribuição e acho que tenho como contribuir. É muito fácil você ir pra uma roda de amigos e falar de “A”, do “B” ou do “C”, é muito fácil você falar de educação sem ter noção de educação, da saúde, sem nem saber o que é. Ah, por que roubaram isso, ou aquilo! Quero ver, meu amigo, é solução. Eu quero ouvir é solução. Se não sabe nada disso é melhor parar de falar. Diz quando entrar o que tu faria! É nesse campo de discurso que eu quero entrar. Se for botar “B” sem experiência administrativa, “É TACA”.  

Em Apenas 15 Dias

Chegamos a visualização de n° 10.000!

O blog agradece a todos pela preferência e pela confiança depositada em nossa equipe. Esperamos contribuir sempre com todos, na certeza de mantê-los informados aqui e também no exterior.
Nosso propósito é manter essa linha de fidelidade, respeito e principalmente imparcialidade.
Sem os nossos parceiros isso seria impossível.
Obrigado! Essa é a única palavra que podemos expressar nesse momento.

Força Tática Persegue Suspeitos Após Empreenderem Fuga

Momento da colisão
Hoje pela manhã dois suspeitos, que estavam em uma motocicleta Honda amarela, foram surpreendidos pela Força Tática em frente à agência do Banco do Brasil de Pedreiras. Ao serem abordados pelos policiais os dois elementos empreenderam fuga, mas foram perseguidos pela guarnição. 
Viatura da Força Tática de Pedreiras
No bairro do Engenho, na Rua Sebastião Curvina, em alta velocidade, os fujões não contavam com a agilidade da PM, e sem ter como voltar, acabaram colidindo contra a viatura. Os dois jovens sofreram algumas escoriações.
Moto envolvida na fuga dos suspeitos
Tenente Euclides, que estava no comando da Força Tática, informou que um dos suspeitos já tem passagem pela polícia, que através de uma denúncia anônima estaria usando um revólver.
Os dois, incluindo um adolescente foram conduzidos ao 19° Batalhão de Polícia Militar para prestarem esclarecimentos sobre a fuga desesperada. 

Fonte: Tony Maranhão

Na Casa Branca, repórter da Globo é rechaçada por Obama



Nem Obama aguenta jornalismo vira-lata da Globo.
Jornalista da Globo News pergunta pra Dilma como ela reage sabendo que os EUA acham que o Brasil é uma força regional, não global. Obama pega o microfone: eu discordo, Brasil é um player global, o mundo precisa dele e o Brasil está na frente de todas as discussões.
*****
Obama: Encaramos o Brasil como um poder mundial e não regional
Presidenta Dilma Rousseff fez reunião de trabalho com colega norte-americano nesta terça. Para Obama, o Brasil é um parceiro indispensável na luta contra a fome e a pobreza
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou, em coletiva de imprensa, nesta terça-feira (30), que o país norte-americano vê o Brasil como um poder mundial. A resposta foi dada a uma jornalista brasileira que havia afirmado que o Brasil era visto como um poder “regional”.
“Encaramos o Brasil como um poder mundial e não como regional”, respondeu Obama, acompanhado pela presidenta Dilma Rousseff.
“Os países eles passam por crises e dificuldades. O fato de passarem por crise e dificuldades não pode implicar em que haja qualquer diminuição do papel de um país. Até porque um país só é, de fato, um grande país se ele é capaz de superar as dificuldades”, disse Dilma, em defesa do papel do Brasil na liderança mundial.
Além disso, o presidente norte-americano ressaltou a importância do Brasil na luta contra a fome e a pobreza. Para ele, o Brasil é um “parceiro indispensável” nesta questão. Durante a visita, Dilma convidou Obama para as Olimpíadas de 2016, que acontecerão no Rio de Janeiro.
De acordo com a presidenta Dilma, Brasil e EUA estabeleceram, durante a visita dela ao país norte-americano, uma agenda bilateral em áreas como comércio, investimentos, mudança do clima, energia, educação, defesa, ciência, tecnologia e inovação.
“Reforçamos nosso diálogo sobre temas da agenda internacional, como o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável, algo que é essencial para o mundo e para cada um dos nossos países, governança econômica e financeira, paz e segurança”, disse Dilma.
Também nesta terça, Dilma e Obama anunciaram o compromisso do governo brasileiro de, até 2030, recuperar 120 mil km² de florestas. Além disso, o termo assinado também prevê que o Brasil implemente políticas para eliminação do desmatamento ilegal.
“Nós queremos chegar no Brasil a desmatamento zero até 2030 – desmatamento [ilegal] zero até 2030. E também queremos virar a página e passarmos a ter uma política clara de reflorestamento. Isso é importantíssimo para o Brasil, tem a ver também com os nossos compromissos próprios que assumimos no Código Florestal”, explicou a presidenta.
Durante a visita aos Estados Unidos, a presidenta Dilma e Obama também entraram em acordo para facilitar a entrada de viajantes frequentes do Brasil, pelo Global Entry. Além disso, foi celebrado acordo para que a população brasileira que vive nos EUA tenha cobertura da previdência social.
Fonte: viomundo.com.br

Morreu o Ex-Vereador de Pedreiras Pedro Batista Ribeiro

Pedro Batista Ribeiro – Ex-vereador

Morreu ontem, em São Luís, o ex-vereador Pedro Batista Ribeiro, 78 anos de idade. Batistão, como era conhecido foi comerciante proprietário da Casa Ba Ba, que, durante muitos anos funcionou na Avenida Rio Branco, hoje, atende os clientes na Rua Crescêncio Raposo.
Agora pouco, aconteceu uma celebração de corpo presente na residência de sua filha, na Rua Crescêncio Raposo. Pedro Batista Ribeiro era natural de Magalhães de Almeida. Foi vereador, presidente da câmara de vereador e secretário em várias administrações.
O enterro acontecerá daqui a pouco no cemitério do Alto São José.

Mega-Sena pode pagar R$ 6,8 milhões nesta quarta-feira

O
sorteio do concurso 1.718 da Mega-Sena, que será realizado nesta quarta-feira
(1º), poderá pagar o prêmio de R$ 6,8 milhões para quem acertar as seis
dezenas. O sorteio será realizado a partir das 20h (horário de Brasília), na
cidade de Osasco (SP).
De
acordo com a Caixa Econômica Federal(CEF),
se um apostador levar o prêmio sozinho e aplicá-lo integralmente na poupança,
receberá aproximadamente R$ 45,5 mil por mês em rendimentos. Caso prefira,
poderá adquirir 11 imóveis de R$ 600 mil cada, ou uma frota de 45 carros de
luxo.
Para apostar

A Caixa Econômica Federal faz os sorteios da Mega-Sena duas vezes por semana,
às quartas-feiras e aos sábados. As apostas podem ser feitas até as 19h (de
Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima
custa R$ 3,50.
Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de
dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com
apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio
milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para
uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a
probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Crédito para safra 2015/2016 começa a ser liberado hoje

BRASÍLIA – Produtores rurais de todo o país poderão
contratar, a partir de hoje (1º), os empréstimos do Plano Safra 2015/2016. Ao
todo, o governo oferecerá R$ 187,7 bilhões em crédito para operações de
custeio, de investimento e de comercialização da produção. Os financiamentos
podem ser contratados nos bancos que operam crédito rural.
Segundo o Ministério da Agricultura, a maior parte
do crédito, R$ 147,5 bilhões, destina-se ao custeio das lavouras e à
comercialização da produção. Desse total, R$ 94,5 bilhões terão juros
subsidiados – 7,75% ao ano para o médio produtor rural e 8,75% ao ano para os
grandes agricultores – e R$ 53 bilhões terão juros de mercado.

Para as operações de investimento, como compra de
máquinas e modernização de instalações, o Plano Safra oferece R$ 38,2 bilhões
em crédito. Estão disponíveis ainda R$ 2 bilhões para a estocagem de álcool.
Fonte: imirante.com.br

Câmara rejeita proposta para reduzir a maioridade penal

Painel da Câmara com o resultado da votação
A Câmara
dos Deputados rejeitou, na madrugada desta quarta-feira (1º/7), votar a
Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal para 16
anos. O texto teve 303 votos favoráveis. Para alterar a Constituição, seriam
necessários 308 deputados. A discussão do tema começou às 20h, após a votação
de outras duas matérias.
O texto
rejeitado pelos parlamentares foi criado pelo relator da matéria na comissão
especial, deputado Laerte Bessa (PR-DF). Acertado com os líderes do PSDB e do
PMDB, entre outros partidos, o texto de Bessa reduzia a maioridade penal apenas
para crimes hediondos, crimes dolosos contra a vida (latrocínios e homicídios,
por exemplo), furto qualificado e outros. Cunha pode por em votação, nos
próximos dias, o texto original da PEC, apresentado em 1993 por Benedito
Domingos (DF), e que reduz a maioridade para todos os crimes.
O
presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, afirmou que o texto original
de Bessa ou outra alternativa poderá ser votada na próxima semana ou ficar para
o segundo semestre, dependendo da votação em segundo turno da reforma política,
tema que classificou como prioridade. “Se a votação do texto original ou de
alguma (proposta) aglutinativa atingir (308 votos), ótimo. Se não é porque a
Casa quer permanecer com a legislação existente”, afirmou.
De acordo
com o líder do governo, José Guimarães (PT-CE), a prioridade agora é votar
propostas alternativas, como a que aumenta a punição para menores infratores
por meio de uma alteração do Estatudo da Criança e do Adolescente (ECA).
“Aprovar (a redução da maioridae penal) do jeito que estava era um retrocesso.
E agora nós vamos reunir com os líderes da Casa. Não derrotados e nem vencidos
(…) Prevaleceu o bom senso”, afirmou. O Senado pode votar amanhã substitutivo
de projeto de lei do senador José Serra (PSDB-SP) que altera de três para oito anos
a punição para menores de 18 anos.
Protestos
Desde
cedo o dia foi de tensão no Congresso. O momento mais crítico foi por volta das
18h, quando cerca de 200 manifestantes e a Polícia Legislativa entraram em
confronto na entrada do Anexo II da Câmara. Estudantes contrários à redução
gritavam palavras de ordem e tentaram entrar no prédio. Em resposta, 50
policiais usaram spray de pimenta para dispersar o protesto. Em seguida, outros
300 manifestantes que estavam na Esplanada foram para o local. Um trecho da
pista S1 foi fechada e cerca de uma hora depois a manifestação se dispersou.
Por
determinação da Presidência da Câmara, a entrada no plenário foi limitada a 200
senhas distribuídas pela manhã a lideranças partidárias de forma proporcional
para que repassem ao público. A capacidade da galeria do plenário é de 300
pessoas. De acordo com Cunha, a restrição visava preservar a segurança. “É a
garantia que é colocada pelos bombeiros à segurança da Casa. Não é questão de
ter espaço. Você tem que ter possibilidade de evacuação sem risco de vida de
ninguém”, afirmou o parlamentar.
Mesmo com
habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), 60 manifestantes
contrários à redução da maioridade penal tiveram dificuldades de entrar na
Casa. Dezenove integrantes da União dos Estudantes (UNE) e da União Nacional de
Estudantes Secundaristas (Ubes) e outros 41 integrantes da organização
Amanhecer Contra a Redução tiveram o acesso limitado pela Polícia Legislativa.
“A minha senha é o habeas corpus, uma decisão do STF”, disse Mateus Weber,
diretor de Comunicação da UNE.
Outros
manifestantes foram impedidos de acessar o Salão Verde da Câmara, que dá acesso
ao plenário da Casa. A restrição motivou uma manifestação, com gritos de
“Cunha, não esquece é decisão do STF”. Durante outra confusão, no anexo II, o
deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) caiu no chão. Ele disse que foi empurrado,
mas não sabe por quem. “Os manifestantes estavam dizendo que eu não ia
poder entrar e me empurraram. Eu nem sei de que lado eles estavam”,
afirmou. O parlamentar se posicionou a favor da redução em ocasiões anteriores
e em discurso na tribunal do plenário, disse que iria se abster.

No
departamento de Polícia Legislativa, pelo menos duas registraram queixas. A
deputada Moema Gramacho (PT-BA) disse ter sido agredida verbalmente por um
manifestante favorável à redução. Um manifestante favorável à redução disse ter
sido alvo de injúria racial. O homem também “golpeado no rosto por um objeto
contundente”, segundo o diretor da Polícia Judiciária da Câmara, Roberto
Peixoto. Um estrangeiro da Costa do Marfim, supostamente envolvido na confusão,
foi encaminhado para o Departamento de Polícia Civil do DF por estar sem
documentos.

Fonte: correiobrziliense.com.br

Senado aprova reajuste escalonado da tabela do Imposto de Renda

Senado aprovou
nesta terça-feira (30), em votação simbólica, a medida provisória que fixa um
reajuste escalonado da tabela do Imposto de Renda. Pelo texto a correção irá
variar de 4,5% a 6,5%, conforme a faixa de renda. A MP segue agora para sanção
da presidente Dilma Rousseff.
Editada
em março pelo governo federal, a MP está em vigor desde abril e irá afetar o
Imposto de Renda declarado pelos contribuintes em 2016.
Pelo
novo modelo, que tem correções diferentes para cada faixa de renda, estão
isentos os contribuintes que ganham até R$ 1.903,98 – o equivalente a 11,49
milhões de pessoas. O reajuste de 6,5% na tabela vale apenas para as duas
primeiras faixas de renda (limite de isenção e a segunda faixa).
Na
terceira faixa de renda, o reajuste proposto será de 5,5%. Na quarta e na
quinta faixas de renda – para quem recebe salários maiores – a tabela do IR
será reajustada, respectivamente, em 5% e 4,5%, pelo novo modelo.
Com a
MP, quem ganha de R$ 1.903,99 a R$ 2.826,65 pagará 7,5% em imposto de renda.
Para rendas entre R$ 2.826,65 a 3.751,05, o imposto será de 15%.  Quem
ganha de R$ 3.751,06 até 4.664,68 pagará 22,5%. A faixa mais alta, com imposto
de 27,5%, inclui todos com remuneração acima de R$ 4.664,68.



Apesar de encaminhar voto a favor da aprovação da MP, o líder do PSDB no
Senado, Cássio Cunha Lima (PB), criticou o fato de o reajuste da tabela do IR
não ser válido para o ano fiscal por inteiro, mas apenas a partir de abril,
quando a medida provisória foi editada pelo governo. O tucano chegou a
apresentar um destaque (proposta de alteração) ao texto, que acabou
rejeitado. 
“O
governo esta comendo mais quatro meses do trabalhador brasileiro e nesses 4 meses,
de forma mais grave, sem nenhum tipo de reposição dos períodos inflacionários.
Ou seja, durante 25% do ano o trabalhador vai pagar imposto de renda sem nenhum
reajuste, o que na prática significa aumento da carga tributária”,
afirmou.
Após a
fala de Cássio Cunha Lima, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), subiu
à tribuna para defender a MP. “O espírito de que essa proposta é aquilo o
que foi possível de se fazer, de que foi fruto de amplo diálogo e com a
consciência de que o reajuste não é linear, mas tem intuito de beneficiar
aqueles de menor renda”, afirmou.
Veto anterior
O Senado havia aprovado no dia 17 de dezembro de 2014 a Medida Provisória 656,
com a inclusão de uma emenda que previa reajuste de 6,5% na tabela do Imposto
de Renda. A aprovação ocorreu horas após o texto ser chancelado pelaCâmara e
a matéria segur para sanção da Presidência da República.
No dia
20 de janeiro, a presidente Dilma Rousseff vetou o trecho na MP que corrigia a tabela
do IR de pessoas físicas. A ideia inicial do governo era propor um reajuste
menor para a tabela do Imposto de Renda em 2015, de 4,5%, a exemplo do que foi
feito nos últimos anos.
Na
justificativa do veto, a presidente escreveu que a medida traria renúncia
fiscal, ou seja, menos pessoas pagariam o imposto, sem indicação de meios para
compensação.
Isenções
Os
senadores também mantiveram duas emendas que foram aprovadas na Câmara e
contrariam o governo por representarem renúncia de receitas. Uma delas isenta o
óleo diesel da Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS) e da
Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS).

A outra
emenda prevê que professores terão direito de deduzir do imposto de renda os
valores gastos na compra de livros e materiais pedagógicos.
Fonte: g1.com.br

OMS certifica Cuba como 1º país a eliminar transmissão materna do HIV

A
Organização Mundial de Saúde (OMS) certificou nesta terça-feira (30) Cuba como
o primeiro país a eliminar a transmissão entre mãe e filho de sífilis e HIV,
destacando o papel do sistema de cuidados primários de saúde na ilha.
“O
sucesso de Cuba demonstra que o acesso universal e a cobertura universal de
saúde são viáveis e são de fato a chave para o sucesso, mesmo contra tais
desafios complexos como o HIV”, afirmou Carissa Etienne, diretora da
Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), uma filial regional da OMS, em
coletiva de imprensa.
Em 2013,
apenas dois bebês nasceram com HIV em Cuba, e apenas três nasceram com sífilis
congênita – bem abaixo dos limites estabelecidos pela OMS para a eliminação da
transmissão.
Para o
ministro de Saúde Pública de Cuba, Roberto Morales Ojeda, o reconhecimento da
OMS “constitui um alto reconhecimento ao sistema nacional de saúde
cubano” que é, segundo ele, “acessível, gratuito e universal”.
O
sucesso de Cuba reforça a necessidade de que os sistemas de saúde na América
Latina e no Caribe se fundamentem no cuidado primário, segundo Etienne.
“Assim, é possível enfrentar desastres naturais, doenças infecciosas ou
qualquer outra coisa”, afirmou.
Segundo
a OMS, outros seis países e territórios da América estão em condições de
solicitar da OMS a validação da dupla eliminação destas doenças: Anguila,
Barbados, Canadá, Estados Unidos, Montserrat e Porto Rico.
Mais
oito países da região conseguiram eliminar apenas a transmissão de mãe para
filho do HIV e 14 conseguiram eliminar apenas a transmissão da sífilis
congênita, informou a organização em comunicado.
Segundo
a OMS, a cada ano cerca de 1,4 milhões de mulheres vivendo com HIV ficam
grávidas no mundo, e caso não recebam tratamento existe até 45% de chances de
transmitir o vírus a seus filhos.
Mas
desde 2009, o número de crianças que nascem a cada ano com HIV caíram quase
pela metade, ao passar de 400 mil para 240 mil em 2013.

Por
outro lado, quase um milhão de grávidas em todo o mundo se infectam com sífilis
anualmente, o que pode resultar em morte ou em infecções neonatais graves.
Fonte: g1.com.br