Urgente: Agência dos Correios de Alto Alegre do Maranhão é Mais Uma vez Assaltada.

Na manhã desta terça feira dia (27), por volta das 10:30 da manhã, dois elementos não identificados assaltaram a Agência dos Correios de Alto Alegre do Maranhão, não foi informada a quantia em dinheiro levada e ainda levaram a arma do segurança.

Após o assalto os elementos fugiram em uma moto pop 100, sem placa, sentido a cidade de Peritoró, mas chegando em frente ao posto Alto Alegre, a moto faltou gasolina. Ai, não teve outra, e caíram no matagal.

Até o fechamento desta matéria a Polícia ainda não tinha localizado os assaltantes. Mas a Polícia, juntamente com a guarda municipal, está fazendo diligência no local, afim de preder esses dois assaltantes.

A qualquer momento mais informações.

Fonte: Klayrton Sousa

Assembleia dos Professores Não Aceita Proposta do Prefeito e a Greve Continua em Pedreiras

Terminou nesse momento a assembleia dos professores de Pedreiras, que avaliou a proposta do prefeito Totonho Chicote, em pagar o rateio do FUNDEB referente ao exercício de 2014, somente em 2016.
 
Após uma hora, ficou decido o seguinte:
 
Os professores só voltarão à sala de aula se o Prefeito aceitar a contra-proposta, sendo o primeiro pagamento no dia  05 de novembro e a segunda no dia 05 de dezembro.
 
Ana Roberta, conversou com o Blog sobre a decissão da assembleia.


 
 

Começou a Assembleia dos Professores. O Que Irá Acontecer?

Ontem, representantes do SINDSERP, professores, presidente do conselho do FUNDEB de Pedreiras, alguns vereadores, o Prefeito Totonho Chicote e o Secretário de Administração Patrício Oliveira estiveram reunidos no gabinete do Prefeito, no CAIC, que desencadeou até uma pequena discussão envolvendo o o Administrador e o vereador Otacílio Fernandes. A reunião, encabeçada pelo presidente da câmara vereador Robson Rios, segundo ele seria para que todos conversassem e chegassem a um acordo sobre a sobra do FUNDEB, referente ao exercício 2014.
O problema, é que os professores já não suportam mais ser enganados, e ontem foram convocados a ouvir mais um blá, blá, que não resultou no que eles queriam, o pagamento, ou seja, o repasse dos valores, que seriam depositados nas contas, conforme acordo firmado entre o Prefeito Totonho Chicote e o Sindicato, que não foi cumprido. Mais uma vez eles saíram com outra proposta, o rateio seria pago em duas parcelas, igual ao acordo passado, com uma pequena diferença, uma será paga no mês de janeiro e a outra em fevereiro do próximo ano (2016).
Nesse momento os servidores estão reunidos em assembleia no Centro Comunitário Paulo VI, avaliando a nova proposta, mas com a mesma intenção do Prefeito, de ratear em duas parcelas, e somente em 2016.
Vamos aguardar o resultado.

Fotos: Raíra/Jaime e Paulo Samuel

Promotor de Justiça Xinga e Agride PM Durante Confusão no Castelão

 

Incidente aconteceu no setor da torcida do Paysandu. – Gustavo Arruda/Imirante

SÃO LUÍS – Xingamentos e agressões viraram caso de polícia. Os envolvidos: um promotor de Justiça do Pará e uma policial militar do Maranhão. Este foi o resultado de uma confusão ocorrida no último sábado (24) durante a partida entre Sampaio Corrêa e Paysandu pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O incidente foi motivo para que a Associação do Ministério Público do Maranhão (Ampem) e Polícia Militar (PM-MA) emitissem notas de esclarecimento. Confira as notas da Ampem e da PM-MA na íntegra.
 
Mas o que exatamente houve no Estádio Castelão no sábado? De acordo com a PM, policiais militares foram acionados a intervir na torcida do Paysandu quando alguns torcedores começaram a realizar ofensas verbais e a arremessar objetos. No entanto, a participação policial teria resultado em mais bate-boca. A confusão ficou mais séria quando o promotor de Justiça Nilton Gurjão das Chagas, membro do Ministério Público do Estado do Pará, “utilizou palavras de calão ofensivas à integridade moral” de uma policial militar.
 
Em nota, a PM garante que, após xingar a policial, o promotor foi além. Nilton Gurjão das Chagas teria agredido a PM no rosto. A agressão foi constatada em Exame de Corpo de Delito realizado pelo Instituto Médico Legal (IML).
 
No entanto, a Ampem divulgou nota onde não confirma qualquer tipo de agressão à policial. Na verdade, o órgão se solidariza com o promotor de Justiça afirmando que houve uso de força excessiva por parte dos policiais no incidente. Segundo a nota, teria sido o promotor paraense a vítima no caso, uma vez que ele teve até um ferimento na cabeça.
 
“Os policiais, que deveriam estar ali para garantir a segurança de todos e assegurar a ordem pública, adentraram na área reservada para a torcida do time paraense e passaram a agir com extrema violência e de forma indistinta contra aqueles torcedores, ocasião na qual também foi agredido fortemente com cassetete o Promotor de Justiça, sobre o qual resultaram lesões nos braços e um ferimento na cabeça”, diz nota divulgada pela Ampem.
 
A Ampem cita que tais policiais “mancham” a Polícia Militar. “É preciso que a nossa honrosa Polícia Militar tome providências urgentes para impedir que agentes estatais como esses continuem a atuar sem qualquer punição, manchando a Instituição perante a sociedade maranhense e o próprio Estado ante os visitantes que aqui chegam”.
 
PM na bronca
 
Por sua vez, a Polícia Militar discorda da nota publicada pela Ampem. A PM-MA garante que todos os procedimentos usados no incidente no Castelão foram “legais de forma imparcial e transparente”. Em sua defesa, a PM condenou as “atitudes desregradas do integrante do MP que se utilizando do cargo público que exerce, comete abuso de autoridade no momento em que agride uma policial militar no exercício de sua função”.
 
O órgão afirma, ainda, que todas as providências necessárias e cabíveis serão tomadas. Uma das ações será comunicar o incidente ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), “para que o autor das agressões contra os policiais militares seja exemplarmente responsabilizado, para que fatos dessa natureza não se repitam”.
 
Fonte: imirante.com.br

Bancos do Maranhão Voltam a Funcionar Nesta Terça-Feira (27)

 

De Jesus / O Estado

SÃO LUÍS – Após 21 dias de paralisação, a greve dos bancários no Maranhão chega ao fim. A decisão foi tomada durante uma assembleia realizada nesta segunda-feira (26), na sede do Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA), em São Luís.
 
Bancos como Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e bancos privados devem normalizar as atividades a partir nesta terça-feira (26). Entretanto, as agências do Banco da Amazônia e do Banco do Nordeste continuam em greve no Maranhão e em outros Estados. Nesta terça-feira (26), uma nova assembleia ocorrerá para ver a situação de ambas as agências.
 
De acordo com a assessoria da SEEB-MA, a categoria não aceitou a proposta oferecida pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), de reajuste salarial de 10%, mas acatou a decisão da maioria dos sindicatos brasileiros e optou por encerrar a greve.
 
A greve
 
Desde o dia 6 de outubro, bancários de todo o Brasil entraram em greve, pedindo reajuste de 35%, PLR de 25% linear, piso do Dieese (R$ 3.377,66), reposição das perdas salariais, isonomia, contratação de mais bancários, respeito à Lei das Filas, saúde, segurança, dentre outras reivindicações. A Fenaban chegou a oferecer 10% de reajuste para salários e reajuste de 14% sobre os vales-refeição e alimentação.
 
Fonte: imirante.com.br

Prefeito Parte Pra Cima de Vereador e o Agride Verbalmente Durante Reunião com Professores

 
 
PrefeitoTotonho Chicote – E ai, vereador, você disse que eu não sou homem?
 
Vereador Otacílio Fernandes – Eu não disse que você não é homem, eu disse que, quem não cumpre seus compromissos não honra as calças que veste!
 
Essa troca de “carinho” teria acontecido antes da reunião começar, foi o que disse ao Blog o vereador Otacílio Fernandes, que se sentiu ameaçado pelo Prefeito de Pedreiras Totonho Chicote.
 
 
Sobre a reunião, o Prefeito propôs outro acordo, pagar o rateio em duas parcelas: uma em janeiro e outra em fevereiro de 2016. Sem a presença da presidente do Sindicato, os professores e representantes do FUNDEB ficaram de levar a proposta, para que a mesma seja avaliada durante mais uma assembleia.
 
Ao pedir a fala, o vereador Otacílio Fernandes, segundo ele, voltou a ser “truncado” pelo Prefeito Totonho Chicote, que teria dito que ele, vereador, estaria alí, apenas para ouvir. Com isso, o parlamentar disse que iria deixar a reunião, uma vez que ele não podia falar, mas contido pelos professores continuou calado durante a reunião. Ao sair novamente da sala o vereador disse que o Prefeito voltou a insutá-lo. “Você anda me chamando de moleque e diz que eu não sou homem! Pois, eu sou homem, eu sou homem!“, teria dito o Prefeito Totonho Chicote, que teve como resposta do parlamentar a seguinte frase: “Eu nunca lhe chamei de moleque, apenas disse que homem que não cumpre seu compromisso não honra as calças que veste“, finalizou.
 
O vereador Otacílio Fernandes informou ao Blog, que não dava mais pra continuar na reunião, após a discussão com o Prefeito, e pediu pra sair.
 
Pelo visto as coisas parecem que só se complicaram cada vez mais.
 
Apenas um lembrete à administração e  a todos os entendidos sobre o repasse do rateio do FUNDEB.
 
Vejam o que diz esse artigo quanto a data do repasse da “Sobra” aos professores:
 
Considerando que o pagamento de abonos deve ser adotado em caráter provisório e excepcional, apenas em situações especiais e eventuais, particularmente quando o total da remuneração dos profissionais do magistério da educação básica não alcança o mínimo de 60% do Fundeb, sua ocorrência normalmente se verifica no final do ano. Entretanto, não se pode afirmar que isso ocorra, ou mesmo se ocorre somente no final do ano, visto que há situações em que são concedidos abonos em outros momentos, no decorrer do ano, por decisão dos Municípios. (ftp://ftp.fnde.gov.br/web/fundeb/remuneracao_do_magisterio
 
Aqui mesmo, em nossa região, existem municípios que realizam o repasse bem antes do fim do ano, o último prazo que tem para efetuá-lo. Por ventura, se os servidores aceitarem esse novo acordo, que já deixa dúvida na cabeça de cada um, eles já ficarão, também, sem receber o abono de 2015, que tem que ser repassado até o fim deste ano. Isso significa dizer, que em 2016 os professores ainda estarão recebendo a “Sobra” de 2014! E, ai?
 
Já ouviram aquele adágio popular:
 
 
 
Gato escaldado tem medo de água fria
 
Ou, esse outro:
 
Cachorro mordido de cobra tem medo de linguiça“.
 
Estamos de olho em tudo.

Ex-prefeito de Joselândia é Condenado Pela Justiça Federal

Foto: Divulgação
 
JOSELÂNDIA – O ex-prefeito da cidade de Joselândia, José Ribamar Meneses Filho, foi condenado pela Justiça Federal, por atos de improbidade administrativa. A condenação foi dada pelo juiz José Valterson de Lima, da 13ª Vara Federal, após a Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Federal no Maranhão (MPF-MA).
 
Segundo informações contidas na sentença, o ex-gestor cometeu uma série de irregularidades envolvendo recursos federais repassados entre 2003 e 2004, o que causou prejuízo de mais de R$ 1,4 milhão aos cofres públicos. O MPF-MA aponta que foram realizados gastos sem comprovação da destinação da verba pública, dispensa indevida de processos licitatórios, irregularidades em construções de escolas, falha na remuneração mínima legal aos professores e emissão de cheques em favor do próprio ex-prefeito.
 
Ainda segundo o que conta na decisão, a quantidade de irregularidades apontadas no Relatório de Fiscalização demonstra o desprezo do ex-prefeito às regras básicas da gestão do dinheiro público e a má-fé na sua atuação.
 
José Ribamar Meneses Filho foi condenado ao ressarcimento de R$ 1,402.725,82 aos cofres públicos e ao pagamento de multa civil de R$ 467.575,27, valor referente a um terço do prejuízo verificado.
A pedido do MPF-MA, a Justiça Federal determinou, ainda, a suspensão de seus direitos políticos por oito anos e o impedimento de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos. Por não existir identificação de função de cargo público por parte do ex-prefeito, não foi aplicada pena de perda de função pública.
 
Fonte: imirante.com.br

Implantação da APAC em Balsas Avança a Passos Largos

Voluntários do curso de formação método APAC
 (foto: Emanuel Lemos)
 
Neste sábado (24) ocorreu a 11ª aula do curso de formação de voluntários, método APAC, em que teve com palestrante Enoque Barreto Filho, presidente da APAC em Pedreiras – MA. Uma das unidades mais avançada em atendimento, que hoje trabalha com 94 recuperandos.

Balsas é uma cidade com altos índices de criminalidade, e trabalha para concretizar o sonho de ter uma APAC. O curso de formação de voluntário, prepara e capacita a mão de obra para gerir a unidade e sobretudo para recuperar os presos.

Para se aplicar o método APAC é necessário que se tenha um local próprio. Sem a presença da polícia, dos agentes penitenciário. Mas com, com os voluntários e os próprios recuperando que trabalham para manter o bom funcionamento da unidade.

 
No período da manhã aconteceu uma reunião com os idealizadores do projeto, tratando do processo de implantação do Centro de Reintegração Social (CRS) em Balsas que está bastante avançado. Um terreno próprio foi adquirido, agora os idealizadores trabalham para obter o projeto de engenharia de planta da obra, para viabilizar a construção, firmar convênio com o estado que tem a responsabilidade de recuperar pessoas que cometeram crime.
Voluntários do curso de formação método APAC
(foto: Emanuel Lemos)

Regularizar a documentação da prefeitura tem sido um desafio, devido a burocracia existente e os valores de taxas e impostos elevados para uma instituição social que vive de doações. Nossa programação é firmar os convênios com o estado e com as entidades dispostas a apoiar a construção em 2016. Disse o Pe. Carlos Bianchi um dos idealizadores do projeto. “É possível mudar de vida, nós acreditamos e queremos criar as condições para que essa recuperação aconteça. Possibilidade estudar, trabalhar, rezar, encontrar com as pessoas e com Deus, reconstruir a própria vida.” Concluiu o Padre.

 
A APAC é para todos. Não é vida boa para preso. Há uma disciplina rigorosa: com horários para acordar, para trabalhar, para se recolher e exigências de bom comportamento na unidade. A APAC pune, cumpri a lei de execução penal, mas tem a proposta de recuperar o ser humano. Desde o 1º dia do cumprimento da pena o recuperando terá que se adequar a metodologia que vai propor reflexões, atendimento espiritual e psicológico para que ele entenda o motivo daquele erro, e a partir disso acontecer a mudança de vida, que será comprovado quando esse recuperando alcançar a liberdade. A reincidência de crimes por recuperando da APAC é de 4% enquanto no sistema convencional beira 90%, afirmou Yuri Sousa, psicólogo da APAC de Pedreiras – MA.
 
Para construir e/ou manter o Centro de reabilitação Social (CRS) em funcionado, é preciso mobilizar a sociedade, os empresários, os políticos, fazer parcerias com a sociedade civil. Convênio com o estado, e ter sócios contribuintes. Os voluntários do curso da APAC em Balsas tem muita disposição para tornar a realidade esse projeto, são pessoas que acreditam. Então apostem na ideia pois quem vai ganhar é a sociedade de Balsas, com a recuperação de pessoas que cometerem crimes, retornando para a sociedade depois de cumprir suas penas. Declarações de Enoque Barreto Filho, presidente da APAC em Pedreiras – MA.

APAC: Um Modelo de Humanização do Sistema Penitenciário que possui uma metodologia de valorização humana, oferecendo, aos condenados, condições de recuperar-se. A referida entidade tem o propósito de proteger a sociedade, socorrer as vítimas e promover a justiça.

APAC – Associação de Proteção e Assistência ao Condenado / Amando ao Próximo Amarás a Cristo, são os dois conceitos; dois sentidos que a representam. A primeira APAC nasceu em São José dos Campos (SP) em 1972 e foi idealizada pelo advogado e jornalista Mário Ottoboni e um grupo de amigos cristãos.         

 
Fonte: Diário de Balsas

Por Falta de Assinaturas Requerimentos Pedindo Criação de uma Comissão Parlamentar Processante Não Entraram na Pauta da Reunião dos Vereadores de Pedreiras

Os professores mais uma vez lotaram a galeria da Câmara de vereadores de Pedreiras. Eles, assim como outras pessoas foram acompanhar a reunião dos parlamentares, que poderiam criar uma CPP – Comissão Parlamentar Processante – para cassar o Prefeito e a vice-prefeita de Pedreiras.

 

A falta de assinatura, segundo os vereadores Otacílio Fernandes e Robson Rios, foi o motivo que impediu os requerimentos entrarem em pauta na sessão de hoje (26).

 

Durante a reunião, com exceção dos vereadores Paulinho SP e Cearense, todos se manifestaram a favor dos professores, mas Serapião Louro e o presidente Robson Rios disseram que, após a reunião com o Prefeito, sindicato e com alguns vereadores, se o gestor não cumprir mais uma vez o acordo, eles assinarão a cassação de Totonho Chicote.

Momento em que os professores viraram
as costas aos vereadores

 A reunião que deverá definir o futuro do Prefeito de Pedreiras Totonho Chicote, será logo mais às 16h (dezesseis horas), no gabinete do gestor, no CAIC.