Bandidos Explodem Agência Bancária em São Luís Gonzaga do Maranhão

policia_investigacao
Agentes da Seic investigam explosão em caixas eletrônicos em São Luís Gonzaga do Maranhão (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Oito homens armados explodiram os caixas eletrônicos da agência do Bradesco na cidade deSão Luís Gonzaga do Maranhão, a 209 Km de São Luís, na madrugada deste sábado (28). Eles fugiram em quatro motos e não há indícios do paradeiro dos criminosos. A quantia levada não foi divulgada pelo banco.

Segundo informações da polícia, os bandidos atiraram contra uma viatura e um posto policial antes de fugirem. O veículo ficou completamente danificado.

Há um mês bandidos já haviam explodido a agência do Banco do Brasil na cidade. Segundo informações da polícia, na ocasião os bandidos desligaram o alarme e o sistema de videomonitoramento. Logo após os criminosos cortaram o cofre com a ajuda de um maçarico e levaram toda a quantia que estava no banco.

Com a ação desta madrugada, os moradores da cidade ficaram sem agência bancária para realizar transações. O ano de 2016 já acumula 22 roubos a banco.

Municípios atacados em 2016
Na lista de cidades atacadas neste ano estão: Alto Alegre do Pindaré, Igarapé Grande, Bacuri,Maracaçumé, Icatu, Grajaú, Alcântara, Paulo Ramos, Paraibano, Araguanã, Duque Bacelar,Tufilândia, Peri Mirim, Colinas, Nova Olinda do Maranhão, Santa Luzia do Tide e São Luís Gonzaga do Maranhão.

Fonte: g1.maranhao.com/imirante.com.br

A Cultura de Estupro!!!

12342366_939595282761884_8264112110626753510_n
Ricardo Costa Gonçalves – Professor

Foram 33 homens, em nenhum instante um deles para refletir sobre o que estavam fazendo? Pelo contrário, eles fizeram, e mostraram com o orgulho o feito, como se fosse um troféu. Compartilharam vídeos e imagens do corpo da jovem dilacerado depois do estupro nas redes sociais e tiveram centenas de “likes” e comentários de aprovação.

Mas, o que fez estes homens se sentirem confortáveis para fazer o que fizeram e acreditar que não seriam punidos? Foi preciso acontecer um caso emblemático desse para que possamos refletir sobre a cultura de estupro. De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ocorre um estupro a cada 11 minutos no Brasil. E apenas 10% dos casos são denunciados porque normalmente as mulheres têm medo de denunciar os agressores.

O estupro é o crime que monstra quem manda na sociedade. Este permite ao homem mostrar que a mulher é inferior, que para ele não existe limites, ele pode invadir o corpo alheio porque a sociedade ensina a todos os dias as mulheres a se defenderem e não os homens a não atacarem.

Este caso reacende o debate sobre um termo chamado de “cultura de estupro”. Mas, afinal o que é a cultura de estupro? Comerciais de cerveja, preservativos e marcas de grife que mostram com naturalidade uma mulher submissa servem para fortalecer a cultura de estupro. Piadas machistas endossam a cultura de estupro. Erotização infantil contribui para a cultura de estupro. Em suma, uma sociedade que questiona a vítima e não o agressor, foi moldada por uma cultura de estupro.

Recentemente, o deputado Jair Bolsonaro, quando da votação do impedimento da presidente Dilma na Câmara Federal exaltou o torturador Brilhante Ustra. Uma das atrocidades praticadas frequentemente contra as mulheres presas por ele era o estupro. É o mesmo deputado que proferiu a frase “não te estupro porque você não merece” à deputada Maria do Rosário (PT).

Além disso, Bolsonaro, juntos com outros deputados da bancada bíblia, entre eles Marco Feliciano, defendem um projeto de lei que impede o atendimento de vitimas de estupro no SUS. Eles oficializam a “culpa das mulheres” e colocam sobre suspeita a palavra de quem sofreu a violência.

O crime praticado por esses homens que chocou o país é resultado de uma sociedade que não empodera as mulheres. Nenhum de nós pode imaginar o que essa menina sentiu. Podemos pensar na dor, na humilhação, no medo, na vergonha, mas jamais teremos a dimensão do quanto à vida dela ficará marcada para sempre. Não podemos mudar o que aconteceu, infelizmente, mas podemos lutar juntos para que a cultura de estupro acabe agora. Uma comoção nacional nos faz lutar contra este crime, mas devemos fazer isso todos os dias, até que nenhuma mulher mais seja vítima de qualquer tipo de violência simplesmente pelo fato de ser mulher.

Ricardo Costa Gonçalves
Graduado em Matemática, professor, ex-secretário de educação de Pedreiras, ex-superintendente adjunto do INCRA-MA, mestrando em Estado e Políticas Públicas pela FPA/FLACSO.

Moro Alerta Sobre Tentativa de Retorno ‘ao Status quo da Impunidade’

Brazilian Federal judge Sergio Moro participates in the Economic Forum in Sao Paulo, Brazil, on May 23, 2016. Moro heads the corruption investigation in the state-owned oil company Petrobras, known as Operation Car Wash. / AFP / NELSON ALMEIDA
                            Juiz Federal Sérgio Moro

O juiz federal Sergio Moro, que conduz os processos da Operação Lava-Jato, criticou na quinta-feira (27/5) dois projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados, que impedem o fechamento de acordos de delação premiada com alvos presos e que alteram a nova regra jurídica que prevê a prisão de réus condenados em segundo grau, como um retrocesso no combate à corrupção e aos crimes do colarinho branco no País.

“Eu fico me indagando se não estamos vendo alguns sinais de uma tentativa de retorno ao status quo da impunidade dos poderosos”, afirmou Moro, em conferência no XII Simpósio Brasileiro de Direito Constitucional, evento da Academia Brasileira de Direito Constitucional, na noite de quinta, em Curitiba.

Leia mais notícias em Política

“Em determinado ponto, a Mãos Limpas (operação italiana similar à Lava-Jato), perdeu o apoio da opinião pública. E a reação do poder político foi com leis, como as que proibiam certos tipos de prisão cautelar ou que reduziam penas.”

Projetos

Os alvos das críticas de Moro foram dois projetos de lei propostos este ano pelo deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), um dos interlocutores gravados em conversas com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em março, tentando obstruir as investigações da Lava Jato.

Um deles é o projeto de lei 4577/2016 que altera decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que estipulou a prisão de réus condenados após a decisão final no segundo grau, ainda cabendo recursos no processo. “Se pode comentar que essa exigência do trânsito em julgado não tem por objetivo proteger necessariamente os acusados mais abastados, mas todos. Mas a grande verdade, isso é inegável, é de que a proteção aqui não é dirigida ao João da Silva, mas sim a uma gama de pessoas poderosas que por conta de regras dessa espécie, por muito tempo foram blindados de uma efetiva responsabilização criminal nas nossas cortes de Justiça.”

O segundo tema abordado por Moro na palestra foi a proposta de lei 4372/16, que quer a proibição de colaboração premiada por pessoas que estejam presas. “Será que nós podemos de uma maneira consistente, qual o direito da defesa na nossa Constituição, negar ao colaborador, por estar preso, o recurso a esse mecanismo de defesa? Como é possível justificar isso?”, questionou juiz.

“Eu fico pensando ‘mas isso é consistente com o direito a ampla defesa?’. Será que a colaboração premiada não tem que ser analisada de duas perspectivas? Na do investigador que quer colher as provas, mas também na perspectiva do acusado e do investigado e sua defesa?”

Moro não citou o nome do deputado, autor das propostas, falou em “coincidência” que os dois projetos sejam de uma mesmo autor membro do PT.

“Quando nós escutamos essas questões nós temos que ter em mente que não estamos discutindo conceitos jurídicos abstratos, mas realidades de vida. Precisamos pensar o nosso direito penal e o processo penal de maneira que eles funcionem. Não com objetivo de alcançar condenações criminais, mas naquelas casos em que for provado no devido processo a prática de um crime, tem que existir consequências, e tem que ser proporcional à gravidade do crime.”

“Como chegamos a esse ponto? O que deu errado?” Para Moro, o processo penal da Justiça brasileira tem sua parcela de culpa. “Talvez essa leniência seja um dos fatores para chegar ao quadro atual, que é realmente muito preocupante”, disse. “A corrupção existe em qualquer lugar do mundo. Mas é a corrupção sistêmica não é algo assim tão comum.”

Fonte: correiobraziliense.com.br

Quatro suspeitos de estupro coletivo no PI são soltos após decisão judicial

img-20160526-wa0033
Delegado Aldely Fontineli (Foto: João Vitor/Portal B1)

Os quatro adolescentes apreendidos por suspeita de terem embriagado e estuprado uma garota de 17 anos em Bom Jesus, no Sul do Piauí, foram liberados nesta sexta-feira (27) após determinação judicial. Na sentença, o juiz Eliomar Rios Ferreira justificou que os menores têm bons antecedentes e a soltura deles não representaria risco para a sociedade e nem prejudicaria o andamento do processo. Apenas o jovem de 18 anos foi mantido preso e encaminhado ao presídio da cidade.

A vítima de 17 anos foi encontrada em uma obra abandonada no sábado (21), amarrada e amordaçada com a própria calcinha. Ela chegou a contar que foi conduzida ao local e violentada pelos cinco suspeitos. Populares socorreram a vítima, que foi encaminhada para o hospital de Bom Jesus e liberada após avaliação psicológica.

Na quarta-feira (25), a promotora de Justiça Gabriela Santana havia solicitado a internação dos quatro adolescentes para o Centro Educacional Masculino (CEM) em Teresina, depois que o laudo médico confirmou o abuso sexual na vítima. Apesar do exame, o juiz Eliomar Rios Ferreira negou o pedido do Ministério Público Estadual e decidiu por liberar os menores, mas marcou uma audiência do processo para o dia 1º de junho.

img-20160526-wa0029
Quatro adolescentes estavam detidos na delegacia de Bom Jesus (Foto: João Vitor/Portal B1)

Para o delegado Aldely Fontineli, responsável pelo caso, a liberação dos quatro adolescentes também foi motivada pelo excesso de prazo dado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que permite a permanência de menores na delegacia por até cinco dias. Ele revelou aoG1 não ter dúvidas da participação dos suspeitos no estupro coletivo.

“O jovem assumiu ter dito conjunção canal com vítima e detalhou a participação dos demais no crime. Inclusive dois dos menores, no calor da emoção, também confessaram o estupro e no dia seguinte apresentaram uma outra versão idêntica. Não há dúvidas do envolvimento dos adolescentes, a própria vítima confirmou que eles também cometeram o crime. Resta agora esperar o resultado dos exames dos espermas coletados na garota, que vão confirmar o estupro coletivo”, declarou.

A ONU Mulheres divulgou um comunicado na quinta-feira (26) solidarizando-se com as duas adolescentes que foram vítimas de estupro coletivo nos últimos dias no Brasil, uma no Rio de Janeiro e outra em Bom Jesus, Piauí. O braço da organização internacional no Brasil pede à sociedade brasileira “tolerância zero a todas as formas de violência contra as mulheres e a sua banalização”.

Menores negam participação
Em depoimento para promotora de Justiça Gabriela Almeida de Santana, os adolescentesnegaram o estupro coletivo e relatam ter visto a garota sendo abusada pelo jovem de 18 anos, que estava na companhia deles. Eles também confirmaram que a vítima ingeriu bebida alcoólica e estava desorientada.

“Eu questionei se eles não fizeram nada para impedir e os quatro declararam achar normal o ato, mesmo com a vítima embriagada e sem condições de responder por si. Eles relataram com riqueza de detalhes a vítima reclamando da sensação de tortura e vomitando. Só que eu achei estranho alguém ir em uma obra abandonada para apreciar a paisagem, como os adolescentes alegam. Tudo indica que os menores combinaram a mesma versão e foram ao local para fazer uso de droga”, revelou a promotora.

img-20160526-wa0028
Vítima foi atendida no Hospital de Bom Jesus (Foto: João Vitor/Portal B1)

Depoimento da vítima
Gabriela Almeida de Santana revelou ter ouvido também a garota, que ainda está em estado de choque. A vítima disse não se recordar o que aconteceu depois de ter passado mal e confirmou que todos ingeriram bebida alcoolica, sendo que dois dos suspeitos usaram droga.

“O laudo médico confirmou o abuso, mas somente um exame de DNA vai provar o estupro coletivo. Já conversei com o delegado e vamos solicitar o teste, assim como ouvir testemunhas e os socorristas do Samu. Pedi também ao Creas a realização de um estudo social das famílias desses menores para saber em quem meio eles estão inseridos e como isto pode influenciar na pena”, disse.

Vitima e suspeitos eram amigos
Na segunda-feira (24), o delegado Aldely Fontineli, que investiga o caso, revelou ao G1 que a vítima do estupro coletivo e os cinco suspeitos do crime tinham vínculo de amizade. Segundo ele, a adolescente de 17 anos e os envolvidos se conheciam e por isso estavam bebendo juntos. A polícia suspeita que alguma substância tenha sido colocada na bebida da jovem.

“A vítima bebia sozinha, depois de ter brigado com o namorado, quando os suspeitos se aproximaram para fazer companhia a ela. Em determinado momento, a menina ficou completamente bêbada e eles realizaram o ato criminoso”, contou.

Estupro coletivo em Castelo do Piauí
No dia 27 de maio de 2015, quatro adolescentes foram vítimas de estupro coletivo em Castelo do Piauí. Quatro garotos suspeitos de violentarem as meninas foram condenados pela Justiça a cumprir medida socioeducativa por participação no crime. Adão José Silva Sousa está preso, mas ainda não foi julgado.

No mês em que o estupro coletivo completa um ano, o G1 conseguiu entrevistar com exclusividade os três adolescentes. Eles alegam inocência e dizem que confessaram o crime após serem torturados pela polícia.

Neste primeiro ano após o crime, as garotas deixaram a antiga escola em Castelo e passaram morar e estudar em Teresina. Conquistaram novos amigos e pretendem fazer o Exame do Ensino Médio (Enem) em novembro.

Na Casa de Detenção Provisória de Altos, o G1 também conversou com o homem apontado pela Polícia Civil e Ministério Público Estadual como o suspeito de ser o mentor do estupro coletivo contra quatro garotas em Castelo. Adão José Silva Sousa, de 42 anos, alega inocência, diz que não estava na cidade no dia do crime.

Fonte: g1piaui.com.br

Livros “Rio dos Ventos” de Antônio Carlos Lobato e “Versos Cinzentos” de Samuel Barreto Serão Lançados Hoje em São Luís

page

O Livro “Rio dos Ventos“, de autoria do escritor Antônio Carlos Lobato, ou Dr. Lobato, criador do brasão do município de Pedreiras, desenhou o obelisco da Praça do cinquentenário, criou a logomarca do Armazém Paraíba e foi o projetista da Igreja de Nossa Senhora das Graças, atendendo um pedido do então Padre Jacinto, hoje arcebispo de Teresina, será autografado pela esposa de Dr. Lobato, a professora Maria Helena Lobato, que acontecerá a partir das 14:40h, no Shopping da Ilha em São Luís.

Versos Cinzentos“, de Samuel Barreto autor de vários livros, incluindo “A Rua da Golada e sua Identidade”, também será lançado no mesmo local, logo após o lançamento do livro do conterrâneo Dr. Lobato.

A tarde de autógrafos será promovida pela FLAEMA (Feira do Livro do Autor e Editor Maranhense).

O Blog parabeniza os dois pelo lançamento e aproveita para parabenizar a senhora Maria Helena Lobato que comemora mais um ano de vida.

Proteção de Parada de Ônibus Pode Virar Abrigo do Mosquito da Dengue em Pedreiras

IMG-20160526-WA0033
Água acumulada no teto da proteção da para de ônibus na Praça Melico Rêgo em Pedreiras – MA

Não existe em Pedreiras uma frota padronizada de ônibus coletivo, mas mesmo assim foram construídas algumas paradas, só que um grande problema pode afetar a população, sobre o teto numa dessas paradas, na Praça Melico Rêgo, sempre que chove a água fica acumulada e pode ser um grande criadouro do mosquito Aedes Aegypti.

Os moradores nas proximidades estão preocupados, segundo eles, nunca foi visto no local a presença de Agentes de endemias para realizar uma limpeza ou colocar remédio para evitar o proliferação do transmissor da dengue, zica e chikungunya.

IMG-20160526-WA0031

Como a Secretaria de Saúde do Município está realizando um trabalho preventivo, seria importante alguém se preocupar em fazer uma visita a esses locais, e não apenas nas residências.

Aprenda uma língua Estrangeira. Outro Idioma é Importante no Mundo

IMG-20160526-WA0123

Não é um segredo que hoje em dia o Inglês é uma língua muito importante e se não a mais importante de todas. Não podemos negar que as pessoas que sabem falar e escrever Inglês são vistas pela comunidade global com outros olhos e para a pessoa que sabe, é como uma boa arma.

Para as pessoas que gostam de viajar o inglês é mais que fundamental. Os principais destinos internacionais adotam o inglês como idioma padrão para atender aos turistas. Se você sabe inglês terá uma comunicação excelente que lhe proporcionará obter o melhor aproveitamento de sua viagem.

Ao realizar pesquisas poderá notar que a quantidade de informações em inglês sobre a maioria dos assuntos é consideravelmente maior. Ou seja, se você sabe inglês poderá adquirir muito mais conhecimento sobre tudo (história, arte, ciência, literatura, negócios, esportes, entre outros diversos assuntos).

Aprender inglês é muito mais fácil do que você pode imaginar. Comparado aos outros idiomas como Russo, Alemão, Chinês e Japonês, o Inglês é muito mais simples de aprender. Aumente as portas que estarão abertas pra você. Sua vida depende de mais alternativas! (WFours Cursos)

Para quem tem vontade de aprender falar inglês, a grande oportunidade está mais perto do que você pensava. E tudo isso sem precisar sair de Pedreiras.

A iniciativa de proporcionar a você essa opção partiu do IPEDE, que irá realizá um curso de inglês dentro de um prazo de 18 meses, com aulas aos sábados das 10h as 12h, a instituição pensou num preço acessível que facilitará sua participação, ou seja, apenas R$ 50,00 (cinquenta reais) a inscrição, com mensalidade no valor de R$ 170 (cento e setenta reais).

Quem estiver interessado em obter mais informações é só entrar em contato pelos telefones: (99) 3642 – 0885 ou (99) 99609 – 0201.

Lembre-se; nunca deixe escapar uma chance de realizar seu sonho.

Partidos que Apoiam Antônio França Promoveram Curso com Pré-candidatos.

IMG-20160526-WA0051
Dr. Marcos Abreu – Fonoaudiólogo

Foi realizado no último domingo (22), o curso de MARKETING POLÍTICO E PESSOAL COM ÊNFASE EM COMUNICAÇÃO E ORATÓRIA.

O evento foi realizado pelos diretórios municipais dos partidos PTB, PHS e PSD que apoiam a pré candidatura de Antônio França a prefeito de Pedreiras.

Além de Antônio França, também participaram do curso, pré-candidatos a vereador e alguns membros da coordenação de pré-campanha. Os trabalhos foram conduzidos pelo competentíssimo fonoaudiólogo Dr Marcos Abreu.

IMG-20160526-WA0062

“O objetivo é preparar estes pré-candidatos nos mais diversos quesitos que envolvem a disputa de outubro”. Informou uma das coordenadoras.

Este curso foi muito importante para nós, pois nos ofereceu estudos aprofundados sobre o interesse público e toda a competência que um futuro candidato precisa ter em sua imagem ao eleitor. Está de parabéns Antônio França e toda sua equipe”. Ressaltou a pré candidata a vereadora Rose Castro (PTB).

As eleições municipais de 2016 prometem ser um grande desafio! O panorama está bastante alterado em relação à corrida eleitoral de 2012 e nossos pré-candidatos precisam estar atentos e preparados para estas mudanças”. Declarou Daguimar Branquinho.

IMG-20160526-WA0060

É conveniente dizer que o fracasso de uma gestão municipal tem início muitas vezes em uma campanha eleitoral quando o então candidato vende ilusões a respeito do que faria, o planejamento é algo importante para a vida pessoal e par a vida pública. Estamos hoje aqui planejando um trabalho sério e real” Enfatizou Antônio França.

Fonte: ASCOM/Antônio França

O Fantasma da Enxurrada Voltou a Assustar Pedreiras

IMG-20160525-WA0038
Avenida Rio Branco – Centro de Pedreiras (Foto: WhatsApp)

Enquanto a população não se conscientizar que não pode jogar lixo em locais inadequados, enquanto as autoridades não se preocuparem com o meio ambiente e cuidar dos esgotos e igarapés, enquanto não houver uma coletividade para tentar resolver esses problemas que assolam não só o solo pedreirense, mas outros municípios, as enxurradas vão continuar causando danos a todos, e não somente a quem de fato, e de forma irresponsável é o próprio causador desses desastres ambientais.

Avaliando esses contextos chegamos à conclusão que ainda estão por vir situações piores, se alguém não chamar pra si a responsabilidade de pelo menos tentar, mas tentar mesmo, ir fundo em busca de pelo menos amenizar os problemas que afetam uma população.

O mais revoltante é acompanhar os belíssimos projetos “de boca”, principalmente em tempo eleitoreiro, quando seu fulano ou seu beltrano disse ser conhecedor da “causa”, mas quando chega lá, assim com a água contaminada da enxurrada, tudo desce pelo ralo, e, ai, quem paga o pato? Claro! somos nós, que somos culpados, na maioria, por não saber escolher o seu representante.

IMG-20160525-WA0036

A enxurrada de ontem em Pedreiras foi apenas para avisar que os problemas continuam, e irão perdurar por muito, mas muito tempo mesmo, até que alguém em sua sã consciência pare pra pensar que ele também pode sofrer as consequências.

Vídeo: Ruth Barreto

Poeta e Escritor Samuel Barreto Homenageia Papete em Rede Social

13076879_995798790456796_4185143570758366331_n
Samuel Barreto – Poeta

Conhecedor profundo da arte maranhense, o poeta, escritor, compositor e professor Samuel Barreto usou as redes sociais para prestar sua última homenagem ao amigo Papete, que morreu nesta madrugada (26), em São Paulo, vítima de um câncer na próstata.

Intitulado “Estrofes para Papete”, o poema já recebeu inúmeros elogios pela bela homenagem ao cantor maranhense que cantou e encantou nossa arte, principalmente o bumba-meu-boi.

13240083_1092760687449198_4337426364884501577_n
Papete – Cantor e instrumentista

Estrofes para Papete

A mão que brilhou
No tempo parou
Não toca mais som
Papete se foi
Lamenta meu boi
No choro do tom.

A música soluça
O tambor ainda pulsa
Querendo cantar
Teixeira é da lua
Josias é da rua
Que vão recordar.

A arte não cansa
Papete é a dança
Do seu batalhão
Acenda a fogueira
O amor na lareira
Do meu Maranhão.

Samuel Barrêto