Pedreiras: Padre José Geraldo diz “Não vou deixar de ser Padre para ser Prefeito”

Padre José Geraldo Teófilo – Reitor do Santuário de São Benedito/Foto: Sandro Vagner

Na noite desta segunda-feira (12), o Padre José Geraldo, Reitor do Santuário de São Benedito, esteve acompanhando a sessão ordinária dos vereadores, e, na oportunidade, segundo ele, foi à casa do povo, por duas razões:

Primeira razão: Para estender o convite a todos os parlamentares sobre o festejo em Honra ao padroeiro São Benedito, que terá início no dia 16 de novembro.

Segunda razão: Solicitar ajuda dos vereadores para que pudesse ser concluído o Centro Comunitário Paulo VI, que, segundo o Reitor, é o centro de atividades múltiplas do Santuário. Padre José Geraldo disse a todos os presentes, que pretende deixar o local mais bonito para que a comunidade continue a fazer uso do prédio, um desejo que ele espera alcançar.

Sobre a conjuntura atual do Município, Padre José Geraldo teve a palavra facultada, onde alguns edis, chegaram a instigá-lo, para que ele tomasse uma posição, mas para surpresa de todos, o religioso foi muito claro e incisivo, quando disse que não tem pretensão de ser prefeito de Pedreiras. Segundo o Padre, ele não quer perder o brilhante trabalho que faz, se sente feliz em fazer isso pelos pobres, pelos doentes, pelos presos, por àqueles que estão com problemas sérios, até de suicídio.

Ao Blog e ao Programa Portal da Cidade, o Padre José Geraldo disse o seguinte:

Eu não posso deixar de ser Padre pra ser prefeito. Por que, aqui em Pedreiras, a casa nesse momento está cheia. Não vou deixar as pessoas que precisam de um alento, de uma palavra, de uma ajuda, de uma cesta básica, de remédio, que o Padre vá à sua casa, que o Padre corra pra resolver um problema de família. Eu acho que há muitas especulações sobre o meu nome. Eu acho que o povo confunde meu trabalho, achando que eu faço o bem, pensando em ser prefeito de Pedreiras. Eu já me considero uma pessoa que contribui. Continuo apostando no prefeito Antônio França, digo sem bajulação. Ainda faltam dois anos, vamos assumir esses dois anos dele como um plano piloto.”

Diante a grande especulação sobre seu nome com pré-candidato a prefeito de Pedreiras, Padre José Geraldo disse, ainda, que pretende ajudar o Município sendo Padre, mesmo que ele seja transferido, ainda assim, vai continuar ajudando seus irmãos pobres por meios de associações.

Eu não posso pregar a palavra de Deus e depois dizer que sou prefeito. A palavra de Deus não pode ser vendida. Alguns bajuladores malditos estavam querendo fazer a minha intriga com o prefeito. E, eu lhe digo, a gente, no momento, não ta pra apagar fogo com gasolina. Não obscureço, também os problemas sérios, mas o problema não é apagar fogo com gasolina, e esses bajuladores, além de morderem a língua, acredito que são inimigos de Pedreiras, por que amigo de verdade, diz a verdade.”

Ao final, o religioso lançou um desafio. Quem quiser apostar um milhão, que ele não será candidato a prefeito, pode apostar, pois aproveita para pedir ao ganhador, a metade, meio milhão, para construir a Igreja da Imaculada Conceição e uma creche para a Paróquia.

Que o nosso Pastor esteja e continue sempre ao lado dos mais humildes.

Brasil: Ex-prefeito de Baraúna é morto pelo pai após ser confundido com assaltante, na PB

Ex-prefeito de Baraúnas, Alyson Azevedo, foi morto pelo pai, Adilson Azevedo, após ser confundido com assaltante — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

O ex-prefeito da cidade de Baraúna, no Curimataú da Paraíba, foi morto pelo pai após ser confundido com um assaltante na noite desta segunda-feira (12). De acordo com a Polícia Civil, Alyson Azevedo tinha 37 anos e foi até a casa do pai, Adilson Azevedo, também ex-prefeito da cidade, depois de ser chamado por vizinhos porque uma fumaça estava saindo da casa dele e ninguém conseguia acordá-lo.

Alyson correu até a casa do pai e tentou arrombar a porta. Nesse momento, o pai atirou de dentro da casa contra o filho achando que se tratava de um assalto. Alyson Azevedo foi baleado no peito, chegou a ser levado para o Hospital de Picuí, mas não resistiu e morreu.

A fumaça que saía da casa e chamou a atenção dos vizinhos era de uma panela que estava no fogão. O pai, Adilson Azevedo, vai prestar depoimento à polícia nesta terça-feira (13) sobre o caso.

Alyson Azevedo foi eleito prefeito da cidade de Baraúna em 2008, pelo MDB, enquanto seu pai, Adilson Azevedo, foi o candidato eleito das Eleições 2000, pelo mesmo partido, na época ainda PMDB.

fonte: g1.globo.com

Brasília: Técnicos do TSE apontam ‘inconsistências’ nos gastos de campanha de Bolsonaro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro Foto: EVARISTO SA / AFP

Em relatório de 33 páginas entregue ao ministro do TSE Luis Roberto Barroso, técnicos do Tribunal Superior Eleitoral apontaram “inconsistências” na prestação de contas do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e pediram que a campanha forneça, no prazo de três dias, mais detalhes e responda as suspeitas de irregularidades e impropriedades em 16 pontos levantados pelos técnicos da Corte Eleitoral, que vão desde falta de documentação e detalhamento sobre serviços contratados de empresas de tecnologia, documentação para comprovar a impressão de santinhos e materiais de campanha, justificativas sobre a devolução de doações recebidas, e até dados de despesas que não haviam sido declarados nas prestações parciais.

“Ao efetuar o exame das manifestações e da documentação entregues pelo candidato, em atendimento à legislação eleitoral, foram observadas inconsistências ou registros na prestação de contas, relatados a seguir, para os quais se solicitam esclarecimentos e encaminhamento de documentação comprobatória”, diz o relatório.

O documento é assinado pela técnica judiciária Marcela de Araújo, e pelos analistas Carlos Henrique Pinheiro e Alexandre Araújo, todos do TSE. A análise da equipe da Corte Eleitoral faz parte do processo de julgamento das contas do presidente eleito levado a cabo pelo TSE.

“Foram aplicadas técnicas de cruzamento e confirmação de dados (procedimento analítico, análise documental, exame de registros e correlação de informações declarada pelo prestador com outras colhidas de declarações de outros prestadores de contas, além de informações voluntariamente enviadas à Justiça Eleitoral durante a campanha”, diz o documento.

Em um dos casos, que os técnicos apontaram como sendo uma diligência necessária e não uma irregularidade, foi constatado que a campanha não apresentou a documentação necessária para deixar claro o papel de cada uma das empresas envolvidas na vaquinha virtual que arrecadou R$ 3,5 milhões para a campanha de Bolsonaro. A empresa que depositou os valores arrecadados pela vaquinha nas contas da campanha foi a Aixmobil Serviços e Participações, que é registrada no TSE para realizar vaquinhas virtuais, mas a campanha não apresentou o contrato com ela para a prestação de serviços de vaquinha virtual. Os técnicos, porém, constataram que a campanha encaminhou uma documentação referente a doações arrecadadas pela AM4 Brasil Inteligência Digital, empresa cujo contrato com a campanha de Bolsonaro prevê a criação da plataforma de arrecadação virtual “Mais que Voto”, utilizada para conseguir doações na internet.

“Além disso, é importante destacar que a plataforma Mais que Voto está registrada no TSE pela empresa Ingresso Total Serviços Eletrônicos LTDA”, seguem os técnicos no relatório. Diante disso, a equipe do Tribunal pediu que a campanha encaminhe o contrato com a Aixmobil, detalhe as doações arrecadas pela AM4 e também a função das duas empresas e da Ingresso Total na arrecadação de recursos para a campanha do presidente eleito.

Em outro caso que os técnicos da Corte Eleitoral apontaram suspeitas de irregularidade envolvendo uma empresa de tecnologia, foi constatado que o gasto de R$ 147,7 mil com a Adstream Soluções Tecnológicas realizados antes da prestação de contas parcial, mas que não apareceram nela.

Também foram constatadas pelos técnicos divergências entre os dados declarados pela campanha das pessoas que fizeram doação e os dados da Receita Federal, que apontaram que alguns CPFs da prestação de contas eleitorais estariam relacionados a outras pessoas que não as descritas pela campanha. Essa divergência apareceu em doações que somam R$ 5.030.  Os técnicos também apontaram omissões de doações recebidas de outros candidatos da ordem de R$ 20.958 mil.

fonte: oglobo.globo.com

Pedreiras: Suspeito de furto foi preso mais uma vez pela Polícia Militar

Daniel pintor – Suspeito/Foto: Polícia Civil de Pedreiras

Daniel Sousa, conhecido como “Daniel pintor”, 47 anos, foi preso mais uma vez pela Polícia Militar, acusado de ter furtado alguns objetos, entre eles, um tablete e um celular.

Segundo informações do escrivão Braúna, o comprador dos produtos que teriam sido furtados por Daniel, foi até a delegacia de Polícia Civil e fez a entrega dos objetos.

Produtos que foram devolvidos/Foto: Polícia Civil

Essa não é a primeira vez que Daniel pintor se envolve em crime dessa natureza, ele é um velho conhecido das Polícias Militar e Civil, tendo várias passagens pela delegacia de Pedreiras.

Brasil: Ex-ministro de Dilma, Joaquim Levy será o presidente do BNDES de Bolsonaro

A indicação de Levy pode ser considerada uma vitória da visão econômica mais liberal, capitaneada pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, dentro do governo/Foto: Evarista Sá (AFP)

O ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy será o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Atual diretor financeiro do Banco Mundial, Levy já está esvaziando suas gavetas na sede da instituição multilateral, em Washington (EUA), para se mudar para o Rio, substituindo Dyogo Oliveira no comando do banco de fomento brasileiro.

Durante a manhã, fontes que acompanham a formação da equipe de governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmavam que Levy assumiria o cargo sob promessa de ampliar a interação do BNDES com os organismos multilaterais, como o próprio Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Eventuais parcerias para o banco brasileiro captar recursos junto a essas instituições permitiriam ampliar o montante a ser devolvido ao Tesouro no próximo ano.

À tarde, a assessoria  de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, confirmou a ida de Levy para o banco. O economista, que mora hoje nos Estados Unidos, estava em dúvida se aceitava o convite por conta da família — que não deve voltar ao Brasil de imediato —, mas acabou dizendo sim.

Liberal

A indicação de Levy pode ser considerada uma vitória da visão econômica mais liberal, capitaneada pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, dentro do governo. O grupo formado por militares na equipe de Bolsonaro, com visão um pouco mais estatizante, defenderia um BNDES menor, mas com alguma função no financiamento à inovação e aos investimentos em infraestrutura. 

Já para o grupo mais liberal, o BNDES poderia se dedicar apenas às privatizações de estatais e estruturação de projetos de concessões de infraestrutura à iniciativa privada. Essa função teria prazo de validade. Vendidas as estatais e concedidos os principais projetos de infraestrutura em carteira, o BNDES poderia até mesmo ser extinto.

Assim como Guedes, Levy, que é engenheiro naval, tem doutorado na Universidade de Chicago, mais importante centro do pensamento liberal em economia. Secretário do Tesouro Nacional no governo Lula, integrando a equipe montada pelo então ministro da Fazenda Antônio Palocci, foi também secretário de Fazenda no primeiro governo de Sérgio Cabral no Estado do Rio. 

Antes de voltar ao governo federal, no segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff, foi presidente da Bram, a gestora de recursos do Bradesco.

Quando assumiu o Ministério da Fazenda, em 2015, Levy comandou uma primeira rodada de contenção no BNDES, com elevação de taxas de juros. O economista Luciano Coutinho seguiu no comando do banco de fomento, mas o então ministro foi nomeado presidente do Conselho de Administração da instituição, ampliando a vigilância sobre suas ações.

Recursos

A atual programação do BNDES prevê a devolução de R$ 26,6 bilhões ao Tesouro em 2019, conforme o cronograma da reestruturação da dívida com a União, firmada em julho. Mas, na semana passada, o diretor financeiro do BNDES, Carlos Thadeu de Freitas, confirmou ao jornal O Estado de S. Pauloque o banco poderia devolver R$ 40 bilhões a mais, se os desembolsos de 2019 ficarem entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões e não houver necessidade de devoluções ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Ampliar os montantes a serem devolvidos a cada ano significaria acelerar a estratégia de diminuir o BNDES para devolver antecipadamente os R$ 416 bilhões aportados pelo Tesouro entre 2008 e 2014.

fonte: correiobraziliense.com.br

Brasil: Estrutura do Ministério da Agricultura será definida nesta semana

Antonio Cruz/ Agência Brasil/Agência Brasil

A estrutura do Ministério da Agricultura, que poderá englobar pesca e agricultura familiar, será definida nesta terça-feira (13), em Brasília. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, tem reunião marcada com a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), que comandará a pasta. Também é aguardado o anúncio do nome para o Ministério do Meio Ambiente que atuará em conjunto com a Agricultura.

No encontro, Tereza Cristina indicou que quer definir com o presidente eleito as medidas que poderão ser adotadas para garantir mais segurança jurídica para os produtores e a redução de impostos. A deputada federal é presidente da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA) na Câmara.

Tereza Cristina disse que sua intenção é começar o trabalho nas primeiras horas de segunda-feira (12). Engenheira agrônoma e empresária, ela afirmou que vai se sentar com técnicos e especialistas do atual ministério para entender melhor como funciona o trabalho. “É momento de ouvir muito agora”, afirmou a futura ministra.

Para a deputada federal, é fundamental também a definição sobre o Ministério do Meio Ambiente, que inicialmente seria fundido com a Agricultura. Segundo disse, ela espera ter uma relação “muito boa” com o titular que assumir a pasta. Após encontro com Bolsonaro, integrantes da bancada ruralista afirmaram que o nome para o Meio Ambiente será indicado pelo grupo. Não foi citado um nome específico.

fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Pedreiras: Colégio Correa de Araújo abre processo seletivo para professores

A Direção do Centro Educacional Cenecista “Corrêa de Araújo”, em razão do eminente aumento de turmas para o ano letivo de 2019 e com o intuito de compor Cadastro de reserva, vem de público comunicar que está recebendo Currículos para professores das disciplinas e áreas a saber:

  • Pedagogia
  • Arte
  • Biologia
  • Educação Física
  • Espanhol
  • Filosofia
  • Física
  • Geografia
  • História
  • Inglês
  • Língua Portuguesa
  • Matemática
  • Química
  • Sociologia

Os interessados deverão encaminhar Currículo impresso diretamente na Secretaria da Escola, até o dia 30 de novembro, à rua Crescêncio Raposo, sn, próximo à agência dos Correios, no Centro de Pedreiras.

Obs.: No currículo o candidato deve mencionar se tem DISPONIBILIDADE PARA O TURNO MATUTINO.

Ana Rosélis Kvitschal

Diretora.

Rio: Sobe para 15 o número de mortes em desabamento de morro em Niterói

Deslizamento no Morro da Boa Esperança. Vítimas foram soterradas quando uma rocha se partiu, levando junto casas, árvores e muita lama, na madrugada de sábado (10) – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Subiu para 15 o número de mortos no desabamento do Morro da Boa Esperança, em Niterói. A vítima mais recente é o menino Arthur Caetano Carvalho, de 3 anos. Ele foi uma das 11 pessoas resgatadas com vida dos escombros e estava internado, em estado grave, no Hospital Estadual Azevedo Lima, que confirmou a morte em nota.

“A direção do Hospital Estadual Azevedo Lima informa que o paciente Arthur Caetano Carvalho foi a óbito às 12:59h deste domingo, após apresentar piora de seu quadro clínico e consequente parada cardíaca, com múltipla falência dos órgãos. A família do paciente foi acolhida pela equipe da unidade e recebeu todas as informações sobre o estado de saúde do paciente, que esteve gravíssimo nas últimas horas. Todos os procedimentos para reverter o quadro foram adotados, porém não houve resposta clínica do paciente”, informou o hospital.

Com isso, a lista de mortos foi ampliada: Arthur Caetano Carvalho, 3 anos; Nicole Caetano Carvalho, 10 meses; Marcos Antony Martins de Aguiar, 9 anos; Maria Madalena Linhares de Resende, 54; Kaíque da Silva Resende, 1 ano e 2 meses; Dalvina Marins, sem idade confirmada; Alan Ferreira Teles, 29; Amanda Tomaz da Silva, sem idade confirmada.

A família Martins foi a mais afetada, com a perda de sete pessoas: Géssica Martins Firmino, 15; Maria Aparecida Martins Viana, 19; Claudiomar Dias Martins, 37; Janete Martins Ferreira, 53; Marcos Antônio Martins Aguiar, 9; Maria do Carmo, 80; e Beatriz Martins Pereira, 18.

Sobreviventes

Na Escola Municipal Portugal Neves, transformada em local de abrigo, alimentação e doações para as vítimas, Janice Martins estava em um canto, sendo consolada a todo o momento. Ela perdeu boa parte da família: mãe, irmã, cunhado e quatro sobrinhos. “Meu coração não está machucado, moço. Está estraçalhado”, limitou-se a dizer ela, pedindo para não falar mais nada e se encolhendo, como se quisesse se proteger da presença de todos que a rodeavam.

No alto do morro, enquanto máquinas e operários faziam os trabalhos de limpeza da área, vizinhos lamentavam a perda de tantas vidas, pessoas com quem conviveram por muitos anos e a quem conheciam pessoalmente. “Eu acordei assustado. Parecia que estava acabando o mundo. Estava tudo escuro. Eu e o meu filho saímos para salvar o povo. Salvamos uns cinco, mas o resto morreu”, relatou o pedreiro José Teixeira, que mora bem em frente ao desastre e viu a lama arrebentar o seu portão e inundar a garagem da casa.

Outros comentavam que só estavam vivos por sorte, pois recém tinham chegado em casa, momentos antes do desabamento. “Nós demos sorte, pois chegamos em casa e a barreira caiu em seguida. Eu conhecia o pessoal que morava ali há 30 anos. Não quero mais tocar neste assunto. Desculpe. Foi muito pesado”, disse Cristina, que também mora em frente ao local da tragédia. Muito emocionada, ela preferiu não dar o sobrenome e encerrou a entrevista aos prantos.

O sepultamento das vítimas foi marcado para ocorrer à tarde, no Cemitério de Maruí, em Niterói. Dois ônibus foram colocados à disposição da comunidade para levar os moradores. A prefeitura de Niterói prometeu realojar os desabrigados imediatamente, através do aluguel social, e dar a eles uma casa própria, até dezembro, em conjunto que está sendo construído em parceria com a Caixa.

fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Davinópolis: Prefeito e um segurança foram assassinados na zona rural do Município

Ivanildo Paiva – Vítima/Foto: Reprodução

O prefeito de Davinópolis, Ivanildo Paiva, foi encontrado morto neste domingo (11), na zona rural da cidade, dentro de uma chácara de sua propriedade, no povoado Jussara. De acordo com informações da polícia, além do administrador foi assassinado o seu segurança, ainda não identificado.

O veículo do prefeito foi encontrado na BR-010, ao lado da mata do 50 BIS em Imperatriz por volta das 10h.

Foto: Reprodução

Uma equipe da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa se deslocou da capital maranhense para Davinópolis.

fonte: jornalpequeno.com.br

Pedreiras: Weverton Rocha agradece votação e rebate críticas feitas pela secretária de administração ao governo Flávio Dino

Foto: Ruth Barreto

Durante uma recepção feita na Câmara de Pedreiras, ontem (09), realizada em decorrência da vinda do senador eleito, Weverton Rocha, que obteve um total de 1.997.443 votos em todo o estado do Maranhão, e em Pedreiras, uma votação expressiva com 13.564, o senador mais votado do estado, veio agradecer a toda à população.

Em entrevista concedida ao Blog, Weverton Rocha disse que tem adotado essa prática de agradecimento desde a sua primeira eleição, em que ficou na primeira suplência de Deputado Federal, em 2010, retornando a todos os municípios para agradecer pela votação e a todas as lideranças que sempre lhe apoiaram. Quando foi eleito deputado federal, na eleição passada, também esteve em Pedreiras e região do Médio Mearim, e assim continua cultivando e cativando essa relação de respeito. E agora, como senador, não poderia ser diferente. Lembrou um pensamento de Santo Ambrósio, que diz que ” A maior virtude do homem é a gratidão”.

Perguntado sobre a votação expressiva que obteve, o senador eleito considera que isso se deu, primeiramente, por ter participado de uma chapa vitoriosa, liderada pelo governador Flávio Dino, que é o líder do processo, amigo de todos e que deu a oportunidade de todos somarem forças juntos. Também considera que o seu trabalho prestado como deputado federal, foi muito importante para esse resultado, pois sempre votou e defendeu o trabalhador, lutou em defesa do povo; também relaciona a questão do partido, PDT, com  a sociedade. Agradeceu, também, a sociedade civil organizada, aos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do Maranhão, que através da FETAEMA, lhe prestaram total apoio, assim, como, os representantes de classes das categorias dos trabalhadores e aos partidos aliados.

Weverton Rocha reafirmou o compromisso de se refazer e se repactuar, que irá continuar na mesma relação com o município de Pedreiras, com a região e com o estado. Afirmou que pretende ter um mandato próximo da cidade de Pedreiras.

Por ser um dos líderes do governo do Maranhão e por acompanhar toda a caminhada e todo o compromisso firmado pelo governador Flávio Dino, para o desenvolvimento do estado, Weverton Rocha falou sobre as acusações feitas pela secretária de administração de Pedreiras, Socorro Rios, irmã do prefeito Antônio França, que em entrevista concedida ao Programa Tribuna 101, na Rádio Cidade FM, no dia 08/11, onde a mesma disse o seguinte: “O governador Flávio Dino trabalha com uma “politicazinha” partidária, pois o governador mandou as máquinas para Pedreiras só para as pessoas votarem e depois as máquinas saíram”. A mesma ainda fez uma previsão, afirmando que Flávio Dino foi eleito, mas não governará.

Diante esse posicionamento, e afirmando já ter tido a oportunidade de escutar a entrevista da secretária, o senador eleito se posicionou sobre o fato:

Senador eleito Werverton Rocha/Foto: Ruth Barreto

“Lamento, pois primeiramente não cabe a secretária representar o município junto ao governo pra falar sobre política, aqui tem um prefeito, e foi ele que, inclusive, eu apoiei. Então, é ele que deve tratar a política do município com a relação estadual. Eu tenho certeza que ele não deve ter orientado ela para fazer esse tipo de cometário. Você já ouviu falar aquela história simples de cada um no seu lugar? E acho que ela extrapolou, não é ela que tem que ir pra  salão se arrumar pra falar com o governador, quem tem que falar com o governador, representando o município, é o prefeito da cidade. Mas não irei passar recibo pra ela, até por que, na verdade, eu nem a conheço direito, sei que é irmã do prefeito, e já cheguei a falar em um evento, rapidamente, e acho que ela foi infeliz e não tinha por que fazer esse tipo de ataque desnecessário, até por que a maioria da base aliada do prefeito é aliada do governador.  E não é por conta de um declaração mal feita, mal colocada e fora de tempo que vai se prejudicar uma relação política com a cidade, o prefeito é nosso amigo, tenho nele uma consideração, assim como vice-prefeito, Éverson Veloso, que é do nosso partido, o presidente da Câmara, vereador Bruno Curvina, que também é do nosso partido, vários vereadores de partidos aliados, e várias forças, que inclusive não são aliadas do prefeito, como o deputado estadual Vinicius Louro, o grupo de Simplício Araújo. Então, não é por conta dessa colocação fora de hora e sem contexto que vai se cortar uma relação com a cidade. Por isso, a população de Pedreiras pode ficar tranquila, que o governador Flávio Dino continuará, sim, investindo no município, visando melhorias para todos”. Afirmou o senador eleito, Weverton Rocha.

Em seu discurso na plenária, Weverton Rocha afirmou que será oposição ao governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, pois jamais irá ser contra os trabalhadores e contra os direitos conquistados. Continuará lutando pelas minorias e buscando investimentos para o Maranhão.

O presidente da Câmara de Pedreiras, vereador Bruno Curvina (PDT), que articulou a vinda do senador eleito, agradeceu pela presença do mesmo e a todos pela confiança, reafirmou o compromisso e disse estar sempre à disposição no que estiver ao seu alcance.

O senador foi recepcionado, também, pelo vice-prefeito, Éverson Veloso, que esteve engajado na sua campanha, pois sabe que Weverton Rocha, está sempre preocupado com a melhoria do município de Pedreiras. Quem parabenizou o novo senador, foi a presidente da FAESF, Aldenora Veloso, que contribuiu muito durante a trajetória para a vitória.

Fotos: Ruth Barreto

Participaram da recepção: alguns vereadores de Pedreiras; representantes do PDT de Pedreiras; Juventude Socialista do PDT;  Major Ricardo, Comandante do 19º BPM; Deputado Estadual, Vinicius Louro; Prefeita de Bernardo do Mearim, Eudina Costa; Líder de articulação política do Médio Mearim, Totota; e outras autoridades de Pedreiras e região.