Pedreiras: Projeto “Criança Feliz” foi apresentado aos Vereadores durante Sessão Ordinária

Demonstração do Projeto Criança Feliz/Foto: Sandro Vagner

Através de slides, foi apresentado aos Vereadores de Pedreiras, na noite desta segunda-feira (16), todo o conteúdo sobre o projeto “Criança Feliz”, que tem como objetivo principal ajudar as crianças carentes de Trizidela do Vale. O Projeto foi detalhado pela Secretária Elaine Bonfim, ex-diretora do Hospital Geral de Pedreiras.

A demonstração teve como linha mostrar como o Projeto funciona, o que a instituição necessita e mostrou, ainda, pessoas que são responsáveis pelo seu bom andamento, que contribuem com donativos ou através de seu profissionalismo. 

Foto: Sandro Vagner

Os vereadores atentos à explanação se prontificaram em ajudar, mas não naquele momento. Alguns se colocaram à disposição em datas especiais, como por exemplo, dia das crianças, onde deverão ajudar com qualquer doação. Enfermeira como profissão, a Vereadora Ceiça disse que irá fazer uma visita, e possivelmente vai agendar um dia para atender as crianças.

Elaine Bonfim – 1ª Secretária/Foto: Sandro Vagner

O Projeto visa o acolhimento dessas crianças para que possam vivenciar, também, um ambiente agradável, onde, lá, é oferecido aula de reforço, lanche e almoço. O objetivo é resgatar essas crianças que estão afastadas da escola, em situação de risco, e àquelas que passam uma grande parte de suas vidas nas ruas. O Projeto, ele acolhe. As pessoas que puderem e quiseram colaborar podem se deslocar até lá, na Rua da Salvação, 1067, em Trizidela do Vale, ou entrar em contato conosco que fazemos parte do Projeto Criança Feliz.” Disse Elaine Bonfim, primeira secretária.

Integrantes do Projeto Criança Feliz/Foto: Sandro Vagner

Os interessados em ajudar podem entrar em contato através do telefone: (99) 98217-3000.

Na madrugada desta terça-feira (17), vândalos arrombaram a sede do Projeto “Criança Feliz” e levaram alguns bens. Agora, mais do que nunca, os idealizadores e participantes da instituição estão necessitando de sua ajuda. 

Contribua! Faça sua Parte!

Imperatriz – MPMA aciona ex-prefeito, ex-procurador-geral do Município e juiz por improbidade administrativa

Ministério Público de Imperatriz/Foto: Reprodução

O Ministério Público do Maranhão propôs Ação Civil Pública por improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, o ex-procurador-geral do município, Gilson Ramalho de Lima, e o juiz titular da Fazenda Pública de Imperatriz, Joaquim da Silva Filho. A ACP, protocolada no dia 13, foi elaborada pelos titulares da 1ª e 6ª Promotorias de Justiça Especializada em Defesa do Patrimônio Público e Probidade Administrativa, Nahyma Ribeiro Abas e Albert Lages Mendes.

De acordo com as investigações do Ministério Público, Sertammy Andrade Melo e Jaqueline Ferraz dos Santos foram nomeadas para o cargo em comissão de assessoras jurídicas, lotadas na Procuradoria-Geral do Município. No entanto, as servidoras foram cedidas para prestarem serviços de natureza particular ao juiz da Vara da Fazenda Pública de Imperatriz, Joaquim da Silva Filho.

O MPMA apurou que o envio das servidoras para o gabinete do juiz não obedeceu a procedimentos legais nem foi informado à direção do Fórum ou ao Tribunal de Justiça. Além disso, o Artigo 85 do Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Imperatriz prevê a possibilidade de cessão apenas de servidores efetivos para prestarem serviços em outros órgãos, vedando assim a disponibilidade de pessoas em cargos de comissão.

“Todo o processo de lotação das servidoras foi realizado na mais absoluta informalidade, contrariando os trâmites necessários para a realização deste tipo de cessão, o que leva a presumir que elas estavam prestando serviço de natureza particular às expensas do erário municipal”, ressalta o promotor de justiça Albert Lages Mendes.

O depoimento das testemunhas também constatou que apesar de as servidoras estarem sob o regime de jornada de trabalho semanal de 40 horas, o magistrado permitia que elas cumprissem jornada de trabalho de apenas 20 horas semanais, quatro horas por dia, caracterizando lesão ao erário.

“Não havia interesse público em jogo que justificasse a nomeação e cessão das servidoras, mas única e exclusivamente o interesse do ex-prefeito e do ex-procurador-geral em agradar o magistrado, nomeando pessoas do seu círculo de amizade, já que Sertammy já havia estagiado voluntariamente no gabinete do juiz” , conclui a promotora de justiça Nahyma Ribeiro Abas.

PEDIDO

O Ministério Público pediu ao Poder Judiciário que bloqueie os bens dos requeridos e aplique as sanções listadas no artigo 12 da Lei de Improbidade Administrativa, que prevê ressarcimento integral do dano ao erário, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a dez anos e proibição de contratar com o poder público por até dez anos.

Fonte: www.mpma.mp.br

Brasília: STF aceita denúncia contra Aécio por corrupção e obstrução de Justiça

Os ministro do STF Rosa Weber e Marco Aurélio Mello durante julgamento do inquérito em que o senador Aécio Neves é acusado de corrupção passiva e obstrução de Justiça – José Cruz/Agência Brasil

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (17) pelo recebimento da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pelos crimes de corrupção e obstrução de Justiça. As acusações fazem parte de um dos inquéritos resultantes da delação do empresário Joesley Batista, do grupo J&F. Com a decisão, o senador se torna réu no processo.

A decisão foi tomada com base no voto do ministro Marco Aurélio, relator do caso. Para o ministro, o fato de o senador ter sido gravado por Joesley e citar que tentaria influi na nomeação de delegados da Polícia Federal mostra indício dos crimes que teriam sido praticados por ele.

Por unanimidade, o relator, e os ministros Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Rosa Weber e Barroso votaram pelo recebimento da denúncia pelo crime de corrupção.Sobre a acusação de obstrução de Justiça, a votação foi obtida por maioria. Moraes e o relator entenderam que não é possível acusar o senador pelas votações no Congresso, ato inerente a sua atribuição.

Também são alvos da mesma denúncia e também se tornarão réus a irmã do senador Andrea Neves, o primo Frederico Pacheco e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), flagrado com dinheiro vivo. Todos foram acusados de corrupção passiva.

Segundo a denúncia, apresentada há mais de 10 meses, Aécio pediu a Joesley Batista, em conversa gravada pela Polícia Federal (PF), R$ 2 milhões em propina, em troca de sua atuação política. O senador foi acusado pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot.

A obstrução ocorreu de “diversas formas”, segundo a PGR, como por meio de pressões sobre o governo e a Polícia Federal para escolher os delegados que conduziriam os inquéritos da Lava Jato e também de ações vinculadas à atividade parlamentar, a exemplo de interferência para a aprovação do Projeto de Lei de Abuso de Autoridade (PLS 85/2017) e da anistia para crime de caixa dois.

“Há indicativos de solicitação de vantagem indevida por detentor de mandato eletivo, com auxílio da irmã, de Frederico Medeiros e de Mendherson Souza Lima”, disse o relator.
 
No início da sessão, o advogado Alberto Toron, que representa o senador Aécio Neves afirmou que o valor era fruto de um empréstimo e que o simples fato de ele possuir mandato no Senado não o impede de pedir dinheiro a empresários. 

Após o voto do relator, o ministro Luís Roberto Barroso chegou a afirmar que a conduta de Aécio Neves caberia uma nova decisão para afastá-lo do mandato, no entanto, o ministro preferiu não encaminhar o pedido, porque o plenário da Corte derrubou no ano passado outra decisão do colegiado que afastou o senador do cargo. 

Para Barrroso, os indícios mostram que o parlamentar usou cargo para recebimento de vantagem ilícita. “Quais os indícios de que tem alguma coisa errada? O primeiro deles, um empréstimo de R$ 2 milhões é materializado em um contrato mútuo, no qual se estabelecem as condições do ajuste, prazo para pagamento, correção monetária e garantias. Aqui, não existe contrato. No mundo dos negócios lícitos, o pagamento de R$ 2 milhões, em quatro parcelas de R$ 500 mil, se faz por transferência bancária ou por cheque.  Nos dias de hoje, ninguém sai por aí transportando por estrada mochilas e malas de dinheiro”, afirmou.  

Fonte: agenciabrasil.com.br

Brasília: Turma do STF decide nesta terça-feira se aceita denúncia contra Aécio Neves

Aécio Neves – Senador (PSDB/MG)/Foto: Reprodução

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decide hoje (17) sobre o recebimento da denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) em um dos inquéritos resultantes da delação do empresário Joesley Batista, da JBS.

A sessão está marcada para as 14h. A Primeira Turma é composta pelos seguintes ministros: Marco Aurélio Mello (relator), Alexandre de Moraes (presidente), Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Rosa Weber.

Segundo a denúncia, Aécio solicitou a Joesley Batista, em conversa gravada pela Polícia Federal (PF), R$ 2 milhões em propina, em troca de sua atuação política. O senador foi acusado dos crimes de corrupção passiva e tentativa de obstruir a Justiça. 

Também são alvos da mesma denúncia a irmã do senador, Andrea Neves, o primo dele, Frederico Pacheco, e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), flagrado com dinheiro vivo. Todos foram acusados de corrupção passiva.

Em entrevista à imprensa ontem (16), Aécio negou as acusações, criticou a Procuradoria-Geral da República (PGR) e desacreditou as informações obtidas por meio da delação de Joesley Batista, um dos executivos da J&F.

Nesta segunda-feira (16), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, reiterou no Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de abertura de ação penal contra o senador Aécio Neves. Se o pedido for aceito, o senador se tornará réu do processo.

Fonte: agenciabrasil.com.br

Pedreiras: Vereadores denunciam suposta licitação em nome do Ex-secretário de Esportes

Vereadores Elcinho Gírio e Sérgio Profiro/Fotos: Sandro Vagner

Segundo os Vereadores Elcinho Gírio e Sérgio Profiro, a denúncia envolvendo o nome do Ex-secretário de esportes do Município de Pedreiras, Raimundo Nonato de Moura, sobre ter ganhado uma licitação no Pregão Presencial para fornecimento de materiais de jazida (lateríticos – Piçarra e argila/barro), no valor de R$ 515.211,50 (Quinhentos e quinze mil, duzentos e onze reais e 50 centavos), está baseada na publicação do Diário Oficial da Prefeitura de Pedreiras, datada no dia 05 de abril de 2018.

De acordo com as cópias distribuídas aos vereadores e à imprensa, a empresa denominada é Moura Construções e Serviços Eireli, com endereço na Rua 08, nº 10, QR – 09, Conjunto Parque das Palmeiras, em Pedreiras – Maranhão, CNPJ 05.834.468/0001-03, e tem como representante legal o senhor Raimundo Nonato de Moura.

A dúvida que pairou sobre os edis, é se o senhor Raimundo Nanato de Moura continua como Secretário de Esportes ou Diretor de Departamento, que diante os boatos o mesmo já teria sido exonerado do cargo, mas oficialmente nada chegou ao conhecimento da presidência da Câmara, fato relatado a todos pelo próprio Presidente, Vereador Bruno Curvina.

O Blog ouviu alguns Vereadores sobre a suposta denúncia:

Foto: Sandro Vagner

Bruno Curvina (Presidente da Câmara) – “Realmente é uma denúncia gravíssima, a gente acabou de receber essa denúncia, estamos com ela em mãos, agora, a gente pretende avaliar ela, mas a primeiro contato, trata, aqui, de um pregão que foi realizado, que já foi homologado em nome do senhor Raimundo Nonato de Moura, que pelo que conhecemos é o Secretário de Esportes. Foi indagado se ele ainda está no cargo, isso tudo vai ser averiguado no decorrer da semana. Nós temos aqui 13 (treze) Vereadores, pra abrir o que está sendo solicitado da oposição, é que seja aberta uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), eles já têm os votos para requerer essa formação de uma comissão, quatro votos que precisam para ser requerido isso, no entanto, eles precisam de 09 (nove) votos pra poder efetivar a CPI. Com certeza no decorrer dessa semana eles estarão passando todas as informações que eles colheram na investigação que eles fizeram, e, eu tenho certeza que a Câmara Municipal irá agir da melhor maneira possível; sendo, lembrado que, há a possibilidade de defesa. A gente vai procurar o Prefeito, para que ele possa explicar essa situação, realmente o que houve! A gente espera que ele tenha a resposta necessária pra que sejam sanadas todas as dúvidas e que seja resolvido isso da melhor forma possível, caso contrário, os vereadores, eu tenho certeza, se for necessário, irão aprovar essa Comissão Parlamentar de Inquérito.”

Elcinho Gírio – Vereador (PRP)/Foto: Sandro Vagner

Elcinho Gírio – “A gente espera de fato, que possa investigar. A gente já levou essa denúncia ao Ministério Público, que já sabe, já foi protocolado lá, eu e o Vereador Sérgio estivemos hoje (16), lá pela manhã, e a gente está pedindo, aqui, a instauração e abertura de uma CPI, nós já temos 04 (quatro) nomes, que é: Vereador Elcinho, Sérgio, Adonias e do Robson, então, a gente já pode fazer essa abertura dessa CPI, para que a gente possa investigar, aqui, também, nessa casa; porque a população está cobrando uma participação mais efetiva dos vereadores que foram eleitos, não é só o Ministério Público que vai ter dar um veredicto sobre isso, nós temos aqui também. Então, cada um é responsável, e que cada pessoa saiba cobrar do seu representante.”

Robson Rios – Vereador (PSC)/Foto: Sandro Vagner

Robson Rios – “São indícios fortes, por que está aí a publicação em Diário Oficial, onde coloca ai, o Secretário de Esportes como representante legal da empresa que ganhou o processo licitatório, e todos nós sabemos que isso não pode. O endereço da suposta empresa é a residência do Secretário, localizado no Parque das Palmeiras, vizinho, lá, do Prefeito de Pedreiras, Antônio França. Então, isso mostra, realmente, um favorecimento, indício de irregularidade grande. Até, porque, é de conhecimento de todos nós, que o Secretário, além de amigo, aliado, foi um cabo eleitoral forte de primeira hora, na campanha do Prefeito. Então realmente isso é um motivo de se investigar profundo, já foi dado o primeiro passo que foi denunciar junto ao Ministério Público, denunciado também nesta casa, distribuídas cópias a todos os Vereadores, e, eu acho que o próximo passo, seria isso, uma CPI.”

Filemon Neto – Vereador (DEM)/Foto: Sandro Vagner

Filemon Neto (Líder do Governo na Câmara) – “Chegou essa denúncia na Casa, hoje, não ainda protocolado documento, apenas falado na Tribuna da Casa e nos pegou de surpresa essa denúncia, e a gente está com a documentação em mãos, a gente vai ler essa denúncia, depois de ler, a  gente vai se reunir com os demais vereadores e procurar o Prefeito para se explicar. Tenho certeza que tem uma explicação plausível pra isso, pois tenho certeza, que nem ele, nem a equipe jurídica dele, a CPL, seriam tão ingênuos em fazer o que está dito aqui na denúncia, então eu tenho certeza que tem explicação pra isso.

Público presente na Galeria da Câmara de Vereadores de Pedreiras – MA/Foto: Sandro Vagner

Tentamos ouvir o senhor Raimundo Nonato da Cunha, “Natinho”, via WhatsApp, mas até o fechamento da matéria ele não se pronunciou. O espaço continua à disposição do senhor Raimundo Nonato e ao senhor Prefeito, Antônio França, caso achem necessário seus esclarecimentos sobre a suposta denúncia.  

Matéria editada as 09:04h – Natinho, em contato com o Blog, disse que foi exonerado no mês de dezembro, que está comandando a pasta de esportes, sem remuneração, até o Prefeito nomear outro servidor, que será o Diretor de Esportes.

Pedreiras: De quem é a culpa?

Avenida rio Branco – Pedreiras – MA/Foto: Sandro Vagner

Comerciantes e moradores ao longo da Avenida Rio Branco, em especial no centro comercial estão sendo notificados pelo setor de fiscalização de obras, da Secretaria de Infraestrutura, afirmando que algumas lojas, como por exemplo, a Loja Dois, de está espalhando lixo pelas calçadas e sarjetas, que segundo a notificação, todo lixo está causando entupimento da rede de esgoto, devido as chuvas que estão caindo em Pedreiras.

Em defesa, e como prova que todo o lixo está sendo colhido de forma normal, ou seja, separadamente em várias caixas, a direção da Loja Dois nos enviou um vídeo, onde aparece uma pessoa que realiza busca por alguma coisa em todas as caixas, e deixa o lixo espalhado pelas calçadas. Isso, prova, que a culpa não é dos moradores e nem dos comerciantes.

Seria importante o setor de fiscalização efetuar uma abordagem às pessoas que estão causando todo esse transtorno, para evitar a obstrução das galerias, e punir de fato, os responsáveis por espalharem o lixo nas calçadas do comercio e casas ao longo da Avenida Rio Branco. 

A Secretaria de Assistência Social deveria ser comunicada pelo Setor de Obras da Infraestrutura, para tomar as medidas cabíveis sobre essa situação, que envolve dependentes químicos, assim, os verdadeiros culpados teriam alguma orientação para deixar de causar esse dano.

Pedreiras: Delegado Regional, Lucas Smith, será transferido para São Luís

Lucas Smith – Delegado de Polícia Civil/Foto: Sandro Vagner

Dr. Lucas Smith, Delegado Regional de Polícia de Pedreiras, será transferido para São Luís. Hoje (15), ele viajará a capital maranhense e amanhã (16) irá conhecer a Delegacia que irá se titularizar. Segundo Dr. Lucas, a transferência é um procedimento normal, diante das aposentadorias de alguns Delegados que atuavam em São Luis.

Surgiu uma vaga, fui convidado e aceitei. Não houve nenhuma interferência ou pedido político. Nesta semana retornarei a Pedreiras, para providenciar a minha mudança e passar as investigações ao meu sucessor.” Disse o Delegado.

Ainda não foi definido o nome do substituto, que só deverá ser anunciado no decorrer da semana. Assim que tudo for oficializado, Dr. Lucas Smith disse que irá se pronunciar, mas já antecipou o apoio da imprensa em geral, segundo ele, uma parceira da Policia Civil.

O Blog deseja sucesso ao Delegado Lucas Smith, que ele continue fazendo um bom trabalho em prol da segurança do Maranhão.

Loteria: Mega-Sena, concurso 2.031: ninguém acerta as 6 dezenas e prêmio vai a R$ 6 milhões

Foto: Reprodução

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.031 da Mega-Sena. O sorteio ocorreu às 20h (horário de Brasília) deste sábado (14) em Unaí (MG). O prêmio estimado para o próximo sorteio é de R$ 6 milhões.

Veja as dezenas sorteadas: 18 – 23 – 37 – 39 – 50 – 55.

A Quina teve 48 apostas ganhadoras; cada uma leva R$ 36.807,99. A quadra teve 3252 apostas ganhadoras, com prêmio de R$ 776,13 para cada.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Fonte: g1.com.br

Rio: Após um mês, investigação da morte de Marielle é marcada por incógnitas

Passeata em homenagem à vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Pedro Gomes, no centro do Rio de JaneiroFernando Frazão/Agência Brasil

Um mês depois do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, ninguém foi identificado como mandante ou mesmo executor do crime. Poucas informações foram divulgadas até o momento e as autoridades continuam investigando o caso.

Nesta semana, o ministro interino da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, afirmou que a investigação “está avançando, mas essas informações estão todas restritas à polícia que está fazendo a investigação”.

As primeiras pistas foram imagens das câmeras de segurança espalhadas pelo trajeto percorrido por Marielle e Anderson até a rua onde foram mortos, mas exatamente no local há um “ponto cego” das câmeras, que não gravaram o momento do assassinato.

A polícia chegou a apreender um carro em Ubá (MG) que poderia ter sido usado no crime, o que depois foi descartado.

As balas recolhidas no local do crime foram analisadas. Identificou-se que a maior parte teria sido roubada de um carregamento da Polícia Federal há alguns anos, como anunciou o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann. Até agora, não foi divulgado o resultado da análise das munições.

Continue lendo

Brasília: Raquel Dodge denuncia Bolsonaro ao STF por racismo

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) – Marcos Alves / Agência O Globo

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou nesta sexta-feira uma denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) por racismo. Um dos filhos de Jair, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), foi denunciado, em outro processo, por ameaçar uma jornalista.

A acusação contra Jair Bolsonaro foi baseada em uma palestra que ele deu no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, em abril do ano passado. Para Raquel Dodge, ele demonstrou preconceito contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs.

Uma das frases questionada é a que ele diz que visitou um quilombo e que os moradores de lá “não fazem nada” e “nem para procriador servem mais”. A procuradora-geral considerou essa declaração “inaceitável”.

Pela mesma declaração, o deputado já foi condenado, pela Justiça Federal do Rio de Janeiro, a pagar R$ 50 mil como indenização.

Raquel Dodge classificou a conduta dele como “severamente reprovável” e disse que ele atingiu “atingiu valores e princípios fundamentais da República Federativa do Brasil”.

A procuradora-geral pede que Jair Bolsonaro pague uma mula de R$ 400 mil, por danos morais coletivos. Caso condenado, ele pode pegar de um a três anos de prisão.

‘ACABO COM SUA VIDA’

Já Eduardo Bolsonaro é acusado de ter afirmado que iria “acabar com a vida” da jornalista Patrícia Lélis, por meio de mensagens enviadas pelo aplicativo Telegram.

“Se você falar mais alguma coisa, eu acabo com a sua vida”, teria dito ele. Quando ela questionou se aquilo era uma ameaça, ele respondeu: “Entenda como quiser. Depois, acrescentou: “Mais uma palavra e eu vou pessoalmente atrás de você”.

Patrícia Lélis apresentou queixa contra o parlamentar na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Brasília (DEAM) e apresentou reproduções das mensagens. As imagens indicam que opção de deletar os textos automaticamente, depois de cinco segundos, foi ativada pelo interlocutor dela.

De acordo com Raquel Dodge, isso indica “que o denunciado teve a preocupação em não deixar rastro das ameças dirigidas à vítima”.

O número que apareceu nas imagens como responsável por enviar as mensagens pertence a Eduardo Bolsonaro, segundo informou à PGR a operada responsável.

No caso de Eduardo, a pena prevista é de um a seis meses de detenção, que pode ser cumprida nos regimes semiaberto e aberto.

Raquel Dodge apresentou a proposta de um acordo, para substituir a pena por medidas alternativas.

O GLOBO procurou a assessoria dos dois parlamentares, mas ainda não teve retorno.

Fonte: oglobo.com.br