Bacabal: Forte chuva causa transtorno e enxurrada derruba motocicletas

Foto: Reprodução WhatsApp

A população de Bacabal, 246 Km da capital São Luís, foi surpreendia por um temporal, que alagou ruas, causou enxurradas e deixou os proprietários de motocicletas preocupados. As ruas atingidas pela chuva, principalmente no centro da cidade, ficaram parecendo um rio. Muitos veículos ficaram praticamente submersos.

Fotos já circulam nas redes sociais. Veja com ficaram as ruas da cidade nesta tarde de segunda-feira(27).

Fotos: Reprodução WhatsApp

Segundo o INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, amanhã (29), a previsão é de Pancadas de Chuva – Chuva de curta duração e pode ser acompanhada de trovoadas a qualquer hora do dia.

Fonte: INPE

Projeto de Prevenção Contra as Drogas será lançado nesta terça-feira em Vitória do Mearim

Após ser lançado oficialmente no dia 10 de março, em São Luís, MA, o Projeto “Parceiros da paz e da Campanha Maranhão na prevenção às Drogas, que tem como objetivo mobilizar diversos atores sociais, na prevenção e combate ao consumo de drogas e à violência entre jovens e adolescente, o Município de Vitória do Mearim, será mais um parceiro que irá abrilhantar o lançamento do Projeto, que acontecerá neste terça – feira (28), na Câmara de Vereadores.

Diversas cidades do interior do Maranhão, já tiveram a oportunidade de ingressar no Projeto, com apoio do poder executivo, o prefeito, vice-prefeito, e o parlamento, com a participação de vereadores; como foi o caso de Pedreiras.

Várias entidades participam e apoiam o Projeto, como por exemplo; Conselho Tutelar, assim, também, como a sociedade representada por diversos setores.

O governo do Estado, Tribunal de Justiça do Maranhão, Ministério Público, Câmara dos Deputados e Polícia Rodoviária são os responsáveis pela criação  do Comitê Estadual de Prevenção às Drogas.

Todos estão convidados para abrilhantar o lançamento do Projeto, em Vitória do Mearim.

Piauí: Peixe de 30 kg é pescado na Barragem do Estreito, interior do Piauí

Peixe de 30 kg é pescado na Barragem do Estreito

Um peixe de 30 kg foi encontrado  por um grupo de pescadores nas margens da barragem do Estreito, no Município de Francisco Macedo, no interior do Piauí.  O peixe, que é da espécie tambaqui de 30 quilos, é o segundo peixe com o mesmo tamanho pescado na referida Barragem.

Na manhã do último  sábado (18), um pescador de São João da Canabrava conseguiu uma façanha que é para poucos: ele pescou com um engancho dois tambaquis, um de 30 quilos e outro de 31 quilos.

Peixe pescado na Barragem do Estreito no último sábado

O filho do pescador, John Maklow Costa contou que essa foi a primeira vez que seu pai pescou peixes tão grandes. “É algo muito raro de acontecer, até agora ainda não estou acreditando, foi muita sorte”, disse.

Assim como o reservatório de Bocaina, a Barragem do Estreito enfrenta uma das piores secas dos últimos anos e está com apenas 10% de sua capacidade de hídrica.

Fonte: meionorte.com.br

Brasil: ‘Por pouco não fiquei tetraplégico’, diz promotor de Justiça baleado no RN

Wendell Beetoven Ribeiro Agra, promotor de Justiça do Rio Grande do Norte (Foto: Arquivo Pessoal)

“Estou na UTI, ainda muito mal, com um pulmão perfurado e costelas quebradas. O projétil passou raspando na coluna vertebral. Escapei de morrer e por pouco não fiquei tetraplégico”. O relato é do próprio paciente. No caso, o promotor público Wendell Beetoven Ribeiro Agra, que falou com exclusividade ao G1 por meio do WhatsApp. Beetoven foi baleado nas costas durante um atentado ocorrido na última sexta-feira (24) dentro da sede do Ministério Público do Rio Grande do Norte, em Natal. O procurador-geral adjunto de Justiça Jovino Pereira Sobrinho também foi atingido. Ambos passaram por cirurgias e se recuperam dos tiros que levaram.

O atirador está preso. É o servidor público Guilherme Wanderley Lopes da Silva, de 44 anos, que se apresentou à polícia no sábado (25). Exonerado do cargo comissionado, ele trabalhava no MP há 20 anos.

Crime premeditado
Em uma carta escrita antes do crime, ele admite a intenção de matar. E, segundo o próprio servidor, Jovino e Wendell não eram os únicos alvos. O procurador-geral Rinaldo Reis também deveria ser eliminado. O primeiro disparo, inclusive, foi contra Rinaldo, mas Guilherme errou o tiro. “Terrorismo se combate com fogo”, escreveu o servidor. “Alguém precisava fazer algo efetivo e dar uma resposta a esse genuíno crime organizado”, argumentou.

O advogado Jonas Antunes, que defende Guilherme, quer um diagnóstico psicológico do servidor. A defesa também disse que o cliente ‘está em uma situação emocional terrível’.

Sobre o atentado, Beetoven disse se recordar com detalhes do ocorrido. “Lembro sim. Estávamos na sala do PGJ, numa reunião, quando ele entrou dizendo que tinha um documento urgente do Corregedor-Geral, Dr. Anísio Marinho, que é chefe dele. Por isso ninguém desconfiou de nada. Lá dentro ele entregou os documentos a Rinaldo, que perguntou do que se tratava. Nesse momento ele sacou um revólver e disse ‘a vingança veio a galope’. Eu estava sentado, de frente para o PGJ e de costas para Guilherme. Por isso, talvez, tenha sido o último a perceber a arma. Quando tentei me levantar, ele disparou contra as minhas costas”, relatou.

“Rinaldo, Jovino e os outros promotores correram pela porta secundária, que dá para a sala do chefe de gabinete. Nesse momento ele atirou de novo na direção de Rinaldo, mas o tiro pegou na porta. Depois ouvi outros tiros, mas fiquei caído na sala do PGJ até a chegada do socorro”, acrescentou o promotor.

Beetoven, que durante muitos anos atuou na Promotoria de Investigação Criminal e Combate ao Controle Externo da Atividade Policial, atualmente é lotado na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, onde atua como coordenador jurídico.

Atirador do Ministério Público chega ao Comando da Polícia Militar (Foto: Carlos Lima/Inter TV Cabugi)

Indiferença
Quanto ao atirador, Beetoven disse que ainda não definiu bem qual o sentimento ele tem. “Acho que indiferença, pois nunca tive qualquer relacionamento com esse sujeito. Era um servidor como outro qualquer. Os assessores, como ele, trabalham diretamente com o procurador assessorado, sem contato próximo com outros servidores ou promotores. É um trabalho de gabinete, burocrático”, disse.

“Ainda estou perplexo, surpreso. Até imaginava que poderia sofrer um atentado por conta da minha atuação contra criminosos comuns ou grupos de extermínio. Mas não suspeitava, jamais, que pudesse vir de um servidor do MP com quem nunca tive qualquer relação. Quero que ele fique preso e pague pelo que fez”, acrescentou.

Por fim, Beetoven disse que respira com a ajuda de um catéter, e que consegue falar, mas que tem pouco fôlego. “Ainda não fui ouvido pela polícia, mas assim que sair da UTI estarei disponível”, afirmou.

Prisão
Guilherme Wanderley Lopes da Silva ficará preso por tempo indeterminado, até nova ordem judicial. Ele se apresentou à Polícia Civil, no final da manhã do sábado (25), mas a polícia já estava de posse de um mandado de prisão preventiva contra ele. Após se apresentar, Guilherme prestou depoimento.

O delegado Renê Lopes, da 5ª DP, que conduziu o interrogatório, disse que o servidor passou a maior parte do tempo calado. “Ele nos respondeu apenas três questionamentos. Negou quando questionamos se mais alguém participou da ação, negou que já tenha sido internado anteriormente por problemas psiquiátricos ou psicológicos e negou também que o atentato tenha tido relação com um processo que seu genitor respondeu”.

Ainda de acordo com o delegado, Guilherme não quis se pronunciar sobre as motivações para atacar os procuradores e o promotor. Ele também não falou sobre quais seriam os seus alvos, conforme consta em uma carta escrita por ele.

Carta
Neste sábado, o Ministério Público divulgou páginas da carta deixada por Guilherme na mesa do procurador-geral Rinaldo Reis, no dia do atentado. No documento, o servidor cita várias questões políticas e administrativas referentes à gestão de Rinaldo Reis, bem como do procurador-geral adjunto e do promotor Wendell Beetoven.

Ministério Público do RN divulga carta de atirador (Foto: Divulgação/MPRN)

Sobre o motivo para matar os três, o funcionário do MP criou um tópico específico no qual escreveu: “Ora, o motivo é intuitivo: legítima defesa sui generis própria e alheia. Alguém precisava fazer algo efetivo e dar uma resposta a esse genuíno crime organizado. Resposta do tipo: ‘para algumas ações, haverá sim reação’. Ou: ‘quem planta… colhe’. A verdade não pode ser calada, nós estamos numa guerra que, infelizmente, é imperceptível por muitos dada a gigantesca cegueira do nosso povo ignorante, desorganizado e, por isso mesmo, culpados. A caneta tem o poder de ferir e matar. Meu lema há muito tempo é: trate os outros como gostaria de ser tratado e procurando dar a cada um o que é seu. Tão fácil de seguir, mas, infelizmente, tão desprezado”.

Fonte: g1.com.br

Trizidela do Vale: PM promete presença da viatura no Transwal após vários assaltos

Tenente Neris/Comandante do 2º Pelotão da PM de Trizidela do Vale/Foto: Sandro Vagner

Sexta-feira (24), um  casal de estudantes foi vítima de cinco elementos, que tomaram uma Pop vermelha, a bolsa da jovem, que ainda foi perseguida, no local conhecido como Porto da Madeira, no bairro Transwal, em Trizidela do Vale. Após tomar conhecimento da matéria, através do Blog, o comandante responsável pelo 2º Pelotão de Polícia Militar, Tenente Neris, disse que vai tomar as medidas de segurança para inibir a presença desses bandidos que atormentam os condutores de veículos, principalmente os motoqueiros. Uma da ação da PM de Trizidela do Vale, segundo o tenente Neris, será a presença da viatura na área.

“Estamos realizando um trabalho de segurança à altura em Trizidela do Vale. Fizemos várias prisões de traficantes, cumprimos mandados de prisão, recuperamos vários veículos que foram tomados em assaltos. O que aconteceu na sexta-feira (24), queremos afirmar às vítimas, que a PM não ficará de braços cruzados, e, iremos, inclusive, colocar na rota, a presença da viatura no local que esses bandidos ficam atacando as pessoas”. Disse o Tenente Neris.

Essa afirmação do Tenente Neris, trás, com certeza, mais segurança, principalmente para os moradores de vários povoados que usam a estrada para transportar seus produtos, e, muitos jovens que se deslocam para estudar em Trizidela do Vale.

Movimentos fazem atos esvaziados pró-Lava Jato

Enquanto a classe política debate maneiras de minimizar os efeitos da Lava Jato sobre si, as manifestações convocadas em diversas cidades do país para a defesa da operação tiveram adesão acanhada neste domingo (26).

Chamados pelos grupos que encabeçaram as manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff em 2016, os atos tiveram um público muito inferior ao dos protestos do início do ano passado, quando a pauta principal era a saída da então presidente.

O maior deles, no dia 13 de março de 2016, chegou a reunir cerca de 500 mil pessoas na avenida Paulista, em São Paulo, segundo o Datafolha.

Neste domingo, a estimativa de organizadores é de que cerca de 15 mil pessoas foram às ruas na cidade. A PM não fez contagem de público.

Pelo menos 21 capitais tiveram protestos neste domingo, segundo levantamento da Folha. Em algumas cidades, como Belém e Manaus, não havia mais que cem pessoas.

Em Porto Alegre e Recife, a estimativa dos organizadores não passou de 5.500 pessoas. Em Brasília, foram 500 pessoas, segundo a Polícia Militar. No Rio de Janeiro, manifestantes decidiram não divulgar números de público.

O motivo apontado pelos grupos para a menor presença de pessoas é a difusão de pautas do protesto.

Em São Paulo, sobre cerca de cinco carros de som, movimentos como Vem Pra Rua, e MBL (Movimento Brasil Livre) discursaram sobre temas que variavam desde a defesa da Lava Jato, o fim da contribuição sindical compulsória até pedidos de intervenção militar.

“O público é o que esperávamos”, disse o coordenador do MBL Kim Kataguiri. “Agora as pautas são diferentes. O impeachment mobilizava mais porque as pessoas estavam fazendo parte da história.”

No Vem Pra Rua, posicionado em frente ao Masp e que atraiu a maior parte do público, os principais alvos de críticas foram a anistia para o crime de caixa dois, o foro privilegiado, o sistema de lista fechada nas eleições e os projetos para aumentar o financiamento público dos partidos políticos.

Para o líder do movimento, Rogério Chequer, a oportunidade de “alertar a sociedade” sobre esses temas foi mais importante que o número de presentes no ato.

“A pauta não é mais binária, não é ‘sou contra’ ou ‘sou a favor'”, afirmou. “A gravidade do momento hoje é tão grande quanto era há um ano atrás. Mas os riscos agora não estão tão explícitos.”

No caldeirão de reivindicações, havia pautas opostas. Enquanto no carro de som do MBL os coordenadores discursavam a favor de reforma da Previdência, era possível encontrar manifestantes com cartazes contrários às mudanças.

No último dia 15,movimentos de esquerda levaram milhares às ruas contra a reforma e o governo do presidente Michel Temer.

Com a menor adesão de público, ganharam visibilidade na Paulista grupos mais radicais e com pautas heterodoxas, como os que pediam o retorno da ditadura militar.

Também sobraram críticas a políticos de diversos matizes. Os ex-presidentes petistas Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva se mantiveram alvos preferenciais das reclamações de manifestantes.

No entanto, diversos movimentos criticaram Temer, o presidente do Senado Eunício Oliveira (PMDB-CE) e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), entre outros. Os senadores tucanos Aécio Neves e José Serra e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também foram alvo dos discursos.

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes foi criticado por manifestantes que consideram suas falas contra vazamentos de delações da Odebrecht uma ameaça à Lava Jato.

Ao contrário de 2016, poucos políticos compareceram aos atos. Entre eles, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) foi o de maior destaque a ir à rua em São Paulo.

O ato na cidade teve ainda personalidades contumazes em protestos do tipo, como Alexandre Frota, Marcelo Madureira e Regina Duarte.

“Vocês são a razão do fim do meu medo”, discursou a atriz, em referência a declaração que deu em 2002, quando disse que tinha medo da vitória do PT na eleição presidencial.

Fonte: Folha de São Paulo

Missionária pedreirense leva paz e assistência social aos mais necessitados pelo mundo

Irmã Cleide na África/Foto: Arquivo da família

A irmã Ana Cleide Nascimento, que há 20 anos cumpre seu papel de solidarismo social, acompanhada de outras missionárias evangélicas, está realizando um trabalho voltado aos mais carentes, em países que sofrem com as guerras, onde os mais necessitados chegam a passar fome, por conta de tanto desmando. Cumprindo seu papel de missionária, a irmã Cleide esteve em Portugal, e, agora, Guiné Bissau, país que sofre com o alto índice de pobreza; e, o mais cruel, o medo! Levar um pouco de paz a essas pessoas não é uma tarefa fácil para as missionárias, mas a fé em Deus e a força de vontade em ver o próximo feliz, vence todos os obstáculos.

Assistente social, a irmã Cleide contribui com sua ação voluntária, e sente bem em fazer outra pessoa, também, se sentir melhor.

Foto: Irmã Cleide

Como missionária, em 1998, irmã Cleide fez sua primeira viagem, e de cara enfrentou logo a África, onde permaneceu por dois anos ajudando os mais necessitados. Passou dois anos morando em uma aldeia com Muçulmanos. Ao longo dos seus 20 (vinte) anos como missionária, já passou por vários países, como por exemplo: Senegal, Gambia, Burkina Faso e Nigéria.

Foto: Arquivo da família

Esse é meu trabalho, essa é minha missão. Vivo para ajudar os mais necessitados. Sei o quanto dói ao presenciar, principalmente, crianças que passam e até chegam morrer de fome. Por isso, tento fazer minha parte, assim como as demais missionárias. Se cada um tivesse esse mesmo pensamento, viveríamos em mundo diferente, mas diferente mesmo, é o desprezo que presenciamos, principalmente por quem deveria ajudar muito mais.” Disse irmã Cleide.

Irmã Cleide e Ana Maria (presidente das missões)/Foto: Arquivo da família

A missionária Cleide é irmã do jovem Maxs Ramon, que preocupado em saber das dificuldades que a irmã enfrenta, pede a todos em seus momentos íntimos com Deus, que possam pedir proteção, e sabedoria para a mesma continuar poder desenvolvendo esse trabalho junto aos mais necessitados, como sempre fez.

Justiça do Ceará acata denúncia e cinco acusados de assassinar travesti são presos

Após ser espancada, Dandara é jogada dentro de um carrinho de mão/Foto: Reprodução do vídeo

A Justiça do Ceará recebeu a denúncia do Ministério Público Estadual contra sete acusados da morte de Dandara dos Santos, ocorrido em fevereiro em Fortaleza, e determinou a prisão preventiva de todos. Cinco estão presos e dois seguem foragidos.

O inquérito do crime indica a participação de doze pessoas, sendo oito adultos e quatro adolescentes. Um dos adultos é tido como um líder do tráfico de drogas da região do Bom Jardim, bairro da periferia da capital cearense onde ocorreu o crime.

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro, mas o homicídio ganhou repercussão em março, quando um vídeo de celular com imagens dela sendo espancada começou a circular na internet.

Dandara era travesti e morava no Conjunto Ceará, bairro próximo ao Bom Jardim. O promotor Marcus Renan Palácio, responsável pelo caso, explica que as investigações da Polícia Civil indicam que o crime teria sido motivado por pequenos furtos que ela supostamente cometia na região.

O laudo da Perícia Forense do Ceará determinou a causa da morte como traumatismo craniano, causado por dois disparos contra o rosto e pelo arremesso de uma pedra contra a cabeça dela.

O promotor determinou na denúncia que o crime é quadruplamente qualificado: por motivos fútil e torpe, por tortura e crueldade e por utilizar recursos que dificultaram a defesa da vítima.

Fonte: Agência Brasil

Dr. Allan Roberto comenta sobre a ação da secretaria de infraestrutura de Pedreiras no mercado central

Print do Facebook do Blog

Na manhã deste sábado (25), o Blog entrevistou o Secretário de infraestrutura de Pedreiras, Francisco Flávio, “Cacimbão”, sobre a mudança em torno do mercado central, realizada pela administração municipal, na tentativa de organizar o trânsito naquele local. A matéria, também, foi postada nos dois Facebook do Blog, onde geraram alguns comentários; como por exemplo,do ex-vereador de Trizidela do Vale, Chagas Melo, do empresário Klebinho Branco, e, do médico Allan Roberto, esse, em contato com a produção do Blog, autorizou que o seu comentário fosse postado como matéria, para que outras pessoas tivessem acesso à sua opinião.

Veja o comentário do médico Allan Roberto.

Allan Roberto Sobre o questionamento que um blog regional me fez sobre o assunto acima, considerando que não vivo e nem dependo da Prefeitura de Pedreiras, nem de política ou cargos políticos, reiterando minha lealdade, confiança e compromisso com meu amigo-irmão prefeito Antonio França, independente de que status ocupo no governo, me pronunciarei aqui como CIDADÃO PEDREIRENSE, sem medo das consequências políticas e/ou outras advindas deste meu pronunciamento; a saber:

Entendo e recomendei ao governo que ação de tal magnitude, politicamente melindrosa e complexa pela cultura local para o entendimento popular, deveria vir precedida obrigatoriamente de no mínimo 60 dias de campanha informativa, notificativa, com exaustivos debates sobre o assunto na imprensa local, explicitando bem a questão legal, trazendo o Ministério Público, órgão oficialmente considerado “defensor da sociedade”, para a parceria das ações, assim como outras entidades relacionadas ao assunto, como o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Associação Comercial e Sindicato dos Comerciários, entre outras, além do envolvimento do Poder Legislativo para a realização de audiências públicas na Câmara Municipal com os vários segmentos envolvidos, pois as ações teriam que ser globais e concomitantes dentro de todo o município, abrangendo feirantes, empresários que invadem calçadas e ruas para seus negócios, endinheirados que constróem dentro de igarapés e áreas ambientalmente proibidas de nascentes e rio, a invasão da Praça do Jardim por comerciantes em detrimento do povo, loteamento irregulares etc etc etc…

Em Pedreiras atualmente na principal avenida da cidade e adjacências, o pedestre está condenado a ser atropelado, pois as calçadas estão ocupadas ilegalmente pelo comércio; e em toda a cidade o cadeirante e/ou outro deficiente físico está condenado a não sair de casa pelo mesmo motivo. Isso é um absurdo inaceitável e a Prefeitura tem que tomar providências e resolver essa excrescência fazendo valer com austeridade o Código de Postura do Município!

ASSIM, CONSIDERO A AÇÃO DO GOVERNO NO MERCADO MUNICIPAL NECESSÁRIA, PORÉM EXTEMPORÂNEA E ERRADA NA SUA FORMA DE EXECUÇÃO.

Da forma que se iniciou tais ações, que foi pelo mais humilde defendendo o seu pão de cada dia, algo correto soa como algo cruel, ilegal, errado, desumano e socialmente insensível. Se com antecedência, informada e alertada a população da necessidade e legalidade de tais atos EM TODA A CIDADE E ENVOLVENDO TODOS OS SEGMENTOS SOCIAIS E DE COMÉRCIO, todos entenderiam que tais ações visam o cumprimento da lei, a organização da cidade e o bem estar do nosso povo, que é obrigação do governo municipal e compromisso de nosso prefeito.

Entendo que esse governo foi eleito pelos mais humildes de Pedreiras e é para os humildes que deve se voltar para cuidar e proteger. Erros administrativos e políticos como esses só estão ocorrendo porque está faltando mais diálogo do governo com a sociedade e mais discussão e integração das várias áreas do governo para o melhor planejamento das ações governamentais.

Tenho dito!

Allan Roberto Costa Silva – Cidadão Pedreirense.

O Blog está à disposição das pessoas citadas, caso queiram se manifestar sobre o comentário de Dr. Allan Roberto.

Loteria: Mega-Sena, concurso 1.915: ninguém acerta resultado e prêmio vai a R$ 20 milhões

Mega-sena (Foto: Heloise Hamada/G1)

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.915 da Mega-Sena, realizado neste sábado (25), em Teodoro Sampaio (SP).

Veja as dezenas sorteadas: 02 – 20 – 21 – 33 – 48 – 57.

Segundo a Caixa Econômica Federal, a estimativa de prêmio para o próximo concurso, que será sorteado na próxima quarta-feira (29), é de R$ 20 milhões.

A quina teve 39 apostas ganhadoras, e cada uma vai levar R$ 53.170,03. Já a quadra teve 3429 apostas ganhadoras, e cada uma receberá R$ 863,90.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Fonte: g1.com.br