Piauí: Seis pessoas da mesma família morrem afogadas em Miguel Alves

Por Efren Ribeiro

Vítimas/Foto: Arquivo família

A família que desapareceu nas águas do Riachão, após uma caminhonete S-10, cair na ponte no povoado Calção Redondo, em Miguel Alves (110 km de Teresina), na tarde de quinta-feira (13), é formada José Helmo Mesquita de Sousa, funcionário do supermercado Carvalho de Miguel Alves, a esposa Leila Mara Sampaio Dias, funcionária pública do município de Miguel Alves e que atualmente trabalhava na Unidade Escolar Mariano Mendes; filho do casal, Everton, de 17 anos, e a irmã de Leila, Lucélia Sampaio, 37 anos que era também funcionária pública de Miguel Alves, trabalhava no Fórum do Tribunal de Justiça da cidade. A polícia confirmou hoje (14), a morte de todos os ocupantes do veículo.

De acordo com o delegado titular de Miguel Alves, Francílio Queiroz, as outras vítimas foram: Pamela Gabriela Dias, 17 anos e Evelin Kailane, de 7 anos. De acordo com o delegado, os seis corpos foram encontrados na manhã desta sexta – feira (14)

A principal suspeita é de que o carro tenha submergido no riacho e os vidros estariam fechados impedido que os ocupantes conseguissem deixar o veículo. Os corpos serão encaminhados para exame cadavérico no Instituto de Medicina Legal (IML) de Teresina.

Um laudo pericial será preparado pelo Instituto de Criminalística para apontar como o acidente aconteceu e as reais causas das mortes da família. A população de Miguel Alves está bastante abalada já que as vítimas eram bastante conhecidas na localidade e estavam seguindo viagem para um povoado próximo, para passar o feriadão de Semana Santa.

No momento da queda do carro da ponte Riachão, o riacho, devido às fortes chuvas que têm caído nos últimos dias, encontra-se muito cheio com fortes correntezas e bastante profundo.

Alguns moradores do povoado Calção Redondo entraram no riacho, mergulharam até ao carro, mas não conseguiram socorrer as vítimas, devido o cansaço, e a forte correnteza evitou que o carro fosse destravado.

Fonte: Meio Norte (PI)

Pedreiras: Falta d’água é por causa de problema na rede de energia elétrica da captação

Captação da CAEMA no rio Mearim em Pedreiras/Foto: Arquivo do Blog

Em plena sexta-feira santa, a população de Pedreiras está enfrentando falta d’água em vários pontos da cidade. Segundo informações da gerência de distribuição da CAEMA, houve uma queda de uma das “canelas” do transformador que alimenta a captação. A CEMAR teria sido informada do problema, desde às 06h, mas até o fechamento dessa matéria, o problema continuava.

“É importante ressaltar que a CAEMA, como cliente especial, existe um acordo que a companhia elétrica tem até duas horas após abertura de um ordem de serviço para ser atendida.” Disse o encarregado do Sistema de Pedreiras, José Lima.

Maranhão: Cobrador é preso por estupro em Coroatá

Aldemar Mendes foi cobrar uma dívida e acabou estuprando uma jovem (Foto: )

COROATÁ – A polícia encaminhou ontem Aldemar Mendes da Silva Júnior, o Seu Louco, de 30 anos, à unidade prisional de Coroatá onde vai responder pelo crime de estupro. Ele teria violentado sexualmente uma adolescente de 16 anos, na última terça-feira.

O delegado Cláudio Mendes, titular da delegacia de Coroatá, informou que o detido trabalhar como cobrador de uma loja na cidade e, na terça-feira, 11, ele teria ido fazer uma cobrança em uma casa, na zona rural de Coroatá e ao chegar abordou a adolescente ao perceber que ela estava sozinha.

A menor teria obedecido às ordens do suspeito, com receio de ser morta. Ela, após verificar que Aldemar Mendes tinha fugido, procurou a delegacia e registrou a ocorrência.

Os policiais começaram a realizar incursão na localidade e conseguiram prender o suspeito e levá-lo para a delegacia onde ele foi autuado. “Há possibilidade de o criminoso ter cometido outras vezes esse tipo de crime, e por isso ele vai continuar sendo investigado”, disse o delegado.

Fonte: imirante.com

Pedreiras: Morre Júlio César, genro do radialista Ribinha da FM

Júlio César/Foto: Facebook

Após alguns dias internado em Teresina, devido complicações renais, morreu hoje (13), Júlio César, genro do radialista e apresentador do programa “Tribuna Notícias”, Ribinha da FM.

Segundo informações do próprio sogro, Júlio César sofreu duas paradas cardíacas. Na primeira, os médicos o reanimaram, mas na segunda não foi possível salvá-lo.

Júlio César trabalhava com montagem de som, na rua Eurico Ribeiro, em Pedreiras. Ele deixa a esposa Jéssica Mayara, e a filha Julia Maria (2 anos).

Júlio César completaria 30 anos de idade no próximo dia 25.

Os nossos sentimentos aos familiares pela grande perda. Que Deus em sua infinita bondade o receba em Vossos Braços.

Pedreiras: Cadastro favorece cliente comprar botijão de gás com pagamento após 40 dias

Foto: Sandro Vagner

Uma das maiores revendedoras de gás de cozinha de Pedreiras e região, a Lima Gaz, facilita a compra do botijão de gás, da Butano, com 13kg. O cliente só tem que ir até à empresa e preencher um cadastro, Com ele, fica fácil comprar o gás de cozinha sem dinheiro, isso mesmo, sem dinheiro! O pagamento fica para 40 (quarenta) dias após a compra, no boleto. Você só fica sem gás, se quiser.

Outra Promoção

Você que é cliente da Lima Gaz, pode juntar 24 comprovantes de compra e trocar por um botijão de gás. É sem sorteio; basta juntar e se dirigir a Lima Gaz para fazer sua troca.

Contatos

Com mais comodidade para os clientes, a empresa Lima Gaz dispõe de vários meios pra você receber seu gás de cozinha em casa. Ligue: (99) 3642 – 22121/(99) 98415 – 2162

WhatsApp

Lima Gaz está disponível nas redes sociais:

Arte: Sandro Vagner

A Lima Gaz deseja a todos os seus clientes e amigos uma páscoa de paz e amor no coração.

Brasil: Delações da Odebrecht mencionam os cinco ex-presidentes vivos

Da esq. para dir., os ex-presidentes José Sarney, Lula, Dilma, FHC e Fernando Collor

As delações de ex-executivos da Odebrecht mencionaram os cinco ex-presidentes da República ainda vivos: José Sarney (PMDB), Fernando Collor (PTC), Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT).

Os pedidos relacionados a Dilma, Lula, FHC e Sarney –que não têm mais foro no STF (Supremo Tribunal Federal)– foram encaminhados pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato, a instâncias inferiores. No caso de Collor, Fachin decidiu pela abertura de inquérito já que o parlamentar mantém foro no Supremo por ser senador.

Segundo o ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht Alexandrino Alencar, a petista Dilma Rousseff –chefe do Executivo de 2011 até maio de 2016– recebeu “vantagens indevidas, não contabilizadas, no âmbito da campanha eleitoral no ano de 2014”. Ela sempre negou o recebimento de qualquer vantagem indevida.

Em um dos depoimentos, Emílio e Cláudio Melo Filho descrevem tratativas com o petista para a edição de uma medida provisória que permitira acordos de leniência sem a participação do Ministério Público. Outro trecho sustenta que a empresa custeou reformas no sítio em Atibaia, interior de São Paulo, que é usado pelo petista.

A assessoria do petista diz que “delações não são provas” e que “não há o que comentar de depoimentos aos quais não se tem acesso”. “O ex-presidente continuará prestando esclarecimentos para a Justiça e sempre agiu dentro da lei, como será provado.”

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

FHC, presidente entre 1995 e 2002, também foi citado por Emílio Odebrecht. De acordo com o patriarca do grupo, o tucano recebeu “vantagens indevidas, não contabilizadas, no âmbito da campanha à Presidência nos anos de 1993 e 1997”.

O tucano disse que só se manifestaria depois de ler o documento em que é citado e observou que as campanhas mencionadas se passaram há mais de 20 anos e, por tanto, não estão frescas na memória.

Fernando Henrique, Michel Temer e José Sarney

FERNANDO COLLOR

Fernando Collor, que presidiu o país de 1990 a 1992, é o único dos ex-presidentes que, por ser senador, mantém foro no Supremo. Fachin determinou a abertura de um inquérito para investigar a afirmação de dois executivos de que Collor recebeu R$ 800 mil de caixa dois em sua campanha ao Senado em 2010. Collor não quis se pronunciar sobre a decisão de Fachin.

O senador Fernando Collor de Melo (PTC-AL) discursa durante sessão do impeachment de Dilma Rousseff

JOSÉ SARNEY

Presidente entre 1985 e 1990, Sarney é mencionado de maneira lateral. Segundo delatores, seu grupo político –representado por José Francisco das Neves, então presidente de uma estatal da área ferroviária– recebia 1% de contratos da ferrovia Norte-Sul em 2008 e 2009.

INVESTIGAÇÃO

O ministro Edson Fachin determinou a abertura de inquérito contra oito ministros do governo Michel Temer (PMDB), 24 senadores e 39 deputados federais. Serão abertas 76 investigações pedidas pela Procuradoria-Geral da República após as delações da Odebrecht.

Entre os citados estão os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB). Dois dos principais aliados de Temer, Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secreraria-Geral), também estão na lista, que abrange ainda os senadores Romero Jucá e Renan Calheiros, do PMDB, e Aécio Neves (PSDB).

No total a relação tem 98 nomes e inclui três governadores e um ministro do Tribunal de Contas da União. Algumas suspeitas da Procuradoria são corrupção, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, fraude e cartel. Fachin remeteu 201 outros casos a tribunais de instâncias inferiores envolvendo citados sem foro no Supremo –entre os mencionados estão os ex-presidentes Lula, Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso.

Os inquéritos iniciam longo trâmite. Investigarão o teor das delações, que precisarão de provas adicionais para tornar-se efetivas. Ainda há as fases de denúncia e do processo, com ampla defesa, antes do julgamento.

Fonte: Folha de São Paulo

Pedreiras: Polícia Civil prendeu ladrão de motos no centro da cidade

Geovane/Suspeito de vários roubos de motos em Pedreiras/Foto: Polícia Civil

Após várias denúncias sobre roubo de motos no centro de Pedreiras, a Polícia Civil, através do 1º DP, conseguiu prender o principal suspeito de ter furtado cinco motocicletas, uma delas foi roubada em janeiro deste ano, na praça Corrêa de Araújo, em frente a uma loja de importados; e, ontem (11) outra no centro comercial de Pedreiras, em frente ao prédio do Sistema Cidade de Comunicação.

A prisão

Segundo informações, o Delegado, Dr. Jânio Pacheco, estava passando na avenida Rio Branco, quando  viu o suspeito mexendo no guidão de uma motocicleta que estava estacionada. O reconhecimento foi feito pelo Delegado, graças a imagens e fotos que ele já tinha visto do elemento. Dr. Jânio pediu reforço ao Delegado Dr. Lucas Smith e ao investigador Raniere, que fizeram a abordagem e deram ordem de prisão. Com o suspeito, a Polícia Civil encontrou um capacete, e seis chaves de motos que estavam no bolso do mesmo.

Geovane Silva Cantanhede disse à polícia que uma das motos está na cidade de Coroatá, cidade natal do ladrão.

Veja dois vídeos que mostram Geovane roubando duas motocicletas em Pedreiras.

A Polícia Civil está de parabéns, por tirar de circulação mais um bandido que vinha atormentando a população de Pedreiras.

Pedreiras: 19º Batalhão de Polícia Militar recebeu novos policiais

Novos policiais militares para o 19º BPM/Pedreiras/Foto: Sandro Vagner

A apresentação dos 30 (trinta) policiais foi realizada na manhã desta quarta-feira (12). Esse reforço, segundo o comandante do 19º BPM de Pedreiras, Tenente-coronel Everaldo Coutinho, estará disponível a partir de amanhã (13), mas somente na próxima segunda-feira (17), os PMs já saberão onde serão lotados.

Tenente-coronel Everaldo Coutinho/Comandante do 19º BPM/Pedreiras/Foto: Sandro Vagner

Durante uma entrevista concedida ao Blog, o comandante demonstrou sua satisfação em receber os Militares.

Brasil: Senado aprova lei que cria Documento de Identificação Nacional

O RG fará parte do novo Documento de Identificação Nacional/Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O plenário do Senado aprovou hoje (11) o projeto de lei que cria o Documento de Identificação Nacional, que reunirá dados biométricos e civis, como Registro Geral, Carteira Nacional de Habilitação, Cadastro de Pessoa Física (CPF) e título de eleitor em um único documento.

De acordo com o projeto, a Identificação Nacional dispensará a apresentação dos documentos que lhe deram origem ou nele mencionados e será emitida pela Justiça Eleitoral, ou por delegação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a outros órgãos para aproveitar o cadastro biométrico nacional realizado para as eleições. O documento será impresso pela Casa da Moeda e usará como base de identificação o CPF.

Conforme o texto, o documento único será emitido com base na Identificação Civil Nacional, criada pelo projeto com o objetivo de juntar informações sobre o cidadão. A nova base de dados será gerida pelo TSE, que garantirá o acesso à União, aos estados, ao Distrito Federal, aos municípios e ao Poder Legislativo.

O relator do projeto, senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) acatou apenas uma emenda de redação e, por isso, o texto não precisará retornar para revisão da Câmara dos Deputados. Com isso, a matéria segue para sanção do presidente Michel Temer.

Fonte: Agência de Notícias

Brasil: Fachin determina inquéritos contra ministros e parlamentares

O ministro do STF Edson Fachin, relator da Lava Jato no tribunal

O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin determinou a abertura de inquérito contra oito ministros do governo de Michel Temer, 24 senadores e 42 deputados federais.

A informação foi antecipada pelo jornal “O Estado de S. Paulo”. O Supremo confirmou a abertura dos inquéritos.

Entre os que serão investigados estão ainda os presidentes das duas Casas Legislativas, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (PMDB-CE). Segundo o jornal, também serão investigados no Supremo um ministro do Tribunal de Contas da União, três governadores e 24 outros políticos e autoridades.

A abertura dos inquéritos não implica culpa dos investigados. A partir da decisão, os investigadores e os advogados apresentam provas para determinar se há indício de autoria do crime ou não.

Depois disso, o Ministério Público decide se apresenta uma denúncia ou pede o arquivamento do inquérito. Se a denúncia for apresentada e aceita pelo Supremo, o investigado se torna réu e passa a ser julgado pelo tribunal.

Os senadores Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, e Romero Jucá (RR), presidente do PMDB, serão investigados em cinco inquéritos cada. Já o ex-presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), será investigado em quatro.

Dos ministros de Temer, foram citados Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Destes, Padilha e Kassab responderão em duas investigações.

Sobre o caso de Roberto Freire (PPS), acusado de ter recebido R$ 200 mil de caixa dois em sua campanha de 2010, Fachin pede à PGR que se manifeste sobre possível extinção da punibilidade, já que o ministro tem mais de 70 anos.

Estão citados ainda os governadores dos Estados de Alagoas, Renan Filho (PMDB), Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD) e Acre, Tião Viana (PT).

O presidente Michel Temer é citado na lista, mas não há pedido de investigação contra ele, por ter “imunidade temporária”. Por ser presidente, ele não pode ser investigado por crimes não relacionados ao mandato. Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff também não aparecem, por não terem prerrogativa de foro.

A lista é baseada na chamada “lista do Janot”, mandada ao STF no dia 14 de março. Ao todo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou 83 pedidos de inquérito ao tribunal, com base nas delações dos 77 executivos da empreiteira Odebrecht. Fachin teria decidido a respeito dos pedidos no dia 4 de abril, de acordo com a assinatura eletrônica dos documentos.

O material permanece em segredo de Justiça. Além dos 83 inquéritos, a PGR (Procuradoria-Geral da República) solicitou 211 pedidos de declínio de competência ( envio de investigação para outras instâncias do Judiciário), além de 19 “providências” (para incluir trecho de delação da Odebrecht em inquérito já aberto, por exemplo) e 7 arquivamentos.

Continue lendo