Simplício Araújo Quer Bira do Pindaré e Marlon Reis no Solidariedade

Entre esforços para viabilizar programas de incentivo à industrialização e a outros segmentos da economia como titular da Secretaria de Estado de Indústria e Comércio, o suplente de deputado federal e presidente do Solidariedade no Maranhão, Simplício Araújo, ensaiou uma tacada política de mestre ao convidar o juiz Márlon Reis e o deputado estadual licenciado Bira do Pindaré (PSB) se filiarem ao SD e, nessa condição, serem lançados candidatos às Prefeituras de Imperatriz e de São Luís, respectivamente. Um movimento ao mesmo ousado e inteligente, porque, se resultar em ação concreta, empurrará o partido, hoje na periferia, para o centro do debate político que já começa a ser travado com vistas às eleições municipais de outubro. Não se trata, no caso, nem da viabilidade eleitoral dos convidados, mas da relevância que eles levarão para o grande debate sobre o futuro das duas maiores e mais importantes cidades do Maranhão, se atenderem ao convite.

Magistrado de carreira e hoje personalidade nacional, o juiz Márlon Reis ganhou e consolidou projeção dentro e fora do país como líder de movimentos cidadãos, com viés político no sentido filosófico, contra a corrupção eleitoral, uma das manchas da vida política brasileira, que resultou no Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, do qual nasceu e se consolidou como realidade a Lei da Ficha Limpa. Marlon Reis foi auxiliar da presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tornou-se palestrante conhecido em todo o país, ganhou prêmios importantes e ampliou sua influência no debate sobre corrupção eleitoral divulgando suas ideias e críticas ao sistema em artigos e no livro “O Nobre Deputado”, no qual mapeia focos de corrupção eleitoral, como também analisa as brechas por mio das quais a legislação eleitoral permite distorções no processo de escolha pelo voto direto e secreto, mesmo depois da adoção do sistema eletrônico de votação. O magistrado e militante político mostra que as velhas fraudes praticadas no ato de votar foram substituídas pela corrupção, que é a afrontosa compra de votos nas mais diferentes formas.
Márlon Reis tem, de fato, autoridade para falar de política saudável e de eleições decentes e justas, pois sua militância começou nos primórdios deste século, em Alto Parnaíba, onde em período eleitoral começou a orientar eleitores a não trocarem seus votos por sandálias, dentaduras, cestas básicas ou dinheiro, mostrando-lhes que a força de cada um está no direito de escolha. Atraí-lo para a disputa eleitoral como candidato a prefeito de Imperatriz é um movimento arrojado e de visão larga do presidente estadual do Solidariedade. O magistrado seria um ponto de referência não apenas para a corrida ao voto na Princesa do Tocantins, onde tem domicílio eleitoral, mas também para todo o Maranhão. Poderia, de cara, atrair os holofotes da imprensa nacional para os seus atos de campanha, dando àquele processo eleitoral uma dimensão bem maior do que a que lhe é dada a cada quatro anos. Independente do resultado eleitoral, o Solidariedade marcaria gol de placa se conseguisse inscrever o respeitado magistrado na maratona eleitoral tocantina. Imperatriz ganharia forte projeção, que valorizaria também os demais candidatos a prefeito, em especial o ex-prefeito Ildon Marques (PMN) – que já comandou aquele município como interventor e como prefeito eleito –, Rosângela Curado, a enfermeira popular que carregará a bandeira do PDT, e, provavelmente, o deputado Marco Aurélio, que pode ser o candidato do PCdoB.
Em São Luís, a candidatura do deputado licenciado e atual secretário de Estado de Tecnologia e Inovação, Bira do Pindaré, seria outra grande tacada do Solidariedade. A explicação eleitoral é simples: Pindaré é um político talentoso, experiente e ousado, que mostrou coerência ao deixar o PT para se filiar ao PSB depois que o partido de Lula firmou aliança com o PMDB no Maranhão. E pode ganhar viabilidade eleitoral na Capital se repetir o desempenho da sua campanha para o Senado em 2006, quando, ainda no PT, disputou os votos ludovicenses em pé de igualdade com João Castelo (PSDB) e Epitácio Cafeteira (PTB), que acabou eleito. Elegeu-se deputado estadual pelo PT em 2010 e se reelegeu, com votação crescente, pelo PSB em 2014.
Não será surpresa de Bira do Pindaré topar ser lançado candidato à Prefeitura de São Luís pelo Solidariedade. Afinal, não é segredo para ninguém que ele está numa posição desconfortável no PSB, onde disputa espaço com o senador Roberto Rocha – que andou dizendo que pode ser candidato ao Palácio de la Ravardière – e com o deputado federal José Reinaldo Tavares – que declarou abertamente apoio à candidatura da deputada federal Eliziane Gama (Rede). Dificilmente terá o aval dos dois chefes para ser candidato. O chefe do SD, Simplício Araújo percebeu a complicada situação de Pindaré e abriu-lhe caminho para uma candidatura avalizada e sem traumas.
Pode não passar de um movimento apenas, sem desdobramentos nem consequências. Mas já valeu para mostrar que em política é importante ousar, apurar a visão e tentar enxergar adiante. E nesse sentido o chefe do SD no Maranhão fez a sua parte, pensou grande e enxergou longe. Se nada der certo, ficará pelo menos o registro de que até o momento esse foi um dos lances ousados e politicamente saudáveis dessa fase preparatória da corrida ao voto  nos municípios.

One comment on “Simplício Araújo Quer Bira do Pindaré e Marlon Reis no Solidariedade

  • Esse Secretário pensa que é Governador.nem aqui tem essa moral ,imsgina em São Luis e Imperateiz.imagina se Lideranças importantes ,servir de tijolo pra engrandecer Simplicio…

    Reply

Deixe uma resposta