Logo

Brasil: Dez pessoas são mortas durante ação da Polícia Militar no Pará

Armamento encontrado em local onde dez pessoas foram mortas, em Pau d’Arco (PA)

Uma ação conjunta das polícias Militar e Civil do Pará terminou com dez pessoas mortas na fazenda Santa Lúcia, em Pau d’Arco (867 km ao sul de Belém), nesta quarta-feira (24).

Trata-se do episódio mais violento ligado à disputa agrária em 21 anos, desde o massacre de Eldorado do Carajás, cidade na mesma região. Na ocasião, PMs mataram 19 sem-terra ligados ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

Os corpos dos nove homens e uma mulher foram levados pela polícia para o necrotério de Redenção (PA). A identidade dos mortos não havia sido divulgada até a publicação desta reportagem.

À imprensa local, a Secretaria Estadual de Segurança Pública do Pará afirmou que os policiais estavam cumprindo mandados de prisão de suspeitos de terem matado um segurança da fazenda Santa Lúcia, alvo de disputa agrária, no início deste mês.

Ainda de acordo com a versão oficial, eles foram recebidos à bala no local e reagiram. No acampamento, teriam sido apreendidas algumas armas de fogo. Não há informação de policiais feridos.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT), no entanto, afirma que se tratou de uma ação de despejo que desrespeitou um acordo que havia desde Eldorado do Carajás.

“A polícia local fez o despejo, descumprindo determinação estadual pós Eldorado dos Carajás, que deve ser feito pela PM de fora”, afirmou o padre Paulo César Moreira, coordenador nacional da CPT.

O novo massacre ocorre em meio a uma escalada de violência ligada a disputas agrárias no Pará. Ao menos 17 pessoas morreram nas últimas semanas no Estado por esse motivo, segundo a CPT.

Em um desses casos, a líder rural Kátia Martins, 43, foi morta a tiros no início do mês no acampamento 1º de Janeiro, a 130 km de Belém, no Pará. Ela era presidente da associação local havia cinco anos.

O Pará é o Estado com mais mortes no campo, de acordo com a CPT. De 2007 a 2016, foram 103 assassinatos. Cerca de dois terços dos casos ocorreu no sudeste do Pará, palco do massacre desta quarta.

Trata-se do segundo massacre no país envolvendo disputa de terras neste ano. Em 19 de abril, nove posseiros e trabalhadores rurais foram mortos a tiros e facadas em Colniza (MT). Um madeireiro da região foi acusado de ser o mandante do crime e está foragido.

Fonte: Folha de São Paulo

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

  • siga-nos no facebook

  • Clique no flyer e acesse o site da FAESF

  • Vitorino Net

  • LOJA DOIS PAPELARIA O MAIOR MIX DE PAPELARIA DE PEDREIRAS – AV. RIO BRANCO – CENTRO

  • Prefeitura de Lima Campos – Clique no banner e visite nossa página

  • Pedreiras Grand’ Hotel – Para pessoas que buscam tranquilidade, conforto, bons serviços e clima agradável

  • Connect Pedreiras

  • Venha nos visitar!

  • Clique na logo e visite nossa página

  • Clínica CardioMais – Excelência em Tudo/Rua Maneco Rêgo, 854 – Pedreiras/(99)99182-4989

  • Telefones Úteis

    WhatsApp da PM (99) 8156-5426 Tenente do Dia (99) 98174-3547 Sargento do Dia (99) 98140-4154
  • downloadfilmterbaru.xyz nomortogel.xyz malayporntube.xyz