Logo

Desabafo da Coordenadora Regional do SIMPROESEMMA de Pedreiras, Gisele Leal

Gisele Leal - Coordenadora do SIMPROESEMMA/Pedreiras (Foto: internet)

Gisele Leal – Coordenadora do SIMPROESEMMA/Pedreiras (Foto: internet)

A Lei do Piso Salarial Nacional do Magistério (11.738/2008) foi criada com o fim da equiparação salarial para profissionais do mesmo nível, e estabelece que o Piso Salarial dos docentes da Educação Básica deve ser reajustado anualmente,  todo mês de janeiro, de acordo com a variação do valor anual mínimo por aluno; valor este definido pelo Fundeb. Este ano de 2016 o MEC determinou, segundo estes cálculos que o Piso seria de 11,36%. No entanto desde de janeiro os professores do Estado vêm travando uma verdadeira batalha com o Governo do Maranhão para que se cumpra a Lei do Piso no Estado ao que se refere ao reajuste anual.

O Governo do Estado tem alegado impossibilidade financeira para cumprir o reajuste. Culpa a crise financeira nacional, sabendo nós que essa não é a primeira crise nacional pela qual passamos, e o Governo do Estado tem feito larga campanha publicitária mostrando para o Brasil as beneces de se viver e trabalhar no Estado. Inclusive, mesmo diante da “crise”,  realizando concurso público para professores com salário de 5 mil reais. 3 mil vagas foram oferecidas. Com que dinheiro o Governo do Estado está pagando 5 mil reais para esses 3 mil novos professores? Além do mais, segundo análises do Dieese o Estado do Maranhão tem margem suficiente para reajustar os salários dos professores como determina a Lei do Piso, o Estatuto do Educador do Estado e o MEC.

O certo é que o Governo do Estado tem utilizado os canais de comunicação e as redes sociais para fazer propaganda enganosa em torno da valorização da educação e do Educador, sobre sua “espetacular” política de promoção de garantias de direitos ao profissional da educação do Estado. O que bem sabemos é que a maioria dos direitos adquiridos pela categoria, foi conquistada na gestão dos governos que o antecedeu, por um sindicato que nos governos anteriores mostrava “pulso firme” em defender os professores do Estado. Desde que a Lei do Piso do Magistério foi criada, é a primeira vez que o Estado do Maranhão não reajusta os salários dos professores. Lembremos que assim que Flávio Dino assumiu o Governo do Estado, cumpriu um reajuste de 13,01%, mas com o orçamento da então governadora Roseana Sarney.

O fato é que o cenário mais uma vez é negativo para os professores do Estado e poucos dos que fazem parte do SINPROESEMMA a nível estadual são realmente coerentes e lutam pelo trabalhador em Educação.

O SINPROESEMMA-PEDREIRAS tem lutado para que haja aplicação total da Lei do Piso e que o trabalhador em educação tenha seus salários reajustados assim como acontece todo mês de janeiro com qualquer trabalhador desse país. . Estamos lutando para que nossa categoria não seja mais uma vez aviltada em seus direitos garantidos pela Lei Nacional e pelo nosso Estatuto.

Diante do exposto queremos esclarecer os fatos do último sábado dia 03/09/2016 envolvendo os professores da regional de Pedreiras e Henrique Pedras Verdes, militante do PCdoB.

Na semana que antecedeu o sábado, dia 03, Henrique Pedras Verdes e eu, sabendo através de grupos de Whatsapp que haveria uma carreata de um dos candidatos a prefeito da cidade de Pedreiras e da qual o Governador Flávio Dino faria parte, começamos a conversar no grupo sobre a possibilidade da realização de um manifestação que reinvindicasse melhorias para a cidade de Pedreiras e nós do SINPROESEMMA, o nosso reajuste. Então, professor Barreto, Henrique e eu começamos a articular o movimento, se juntando a nós outros companheiros. Dentre as pautas que enumeramos como prioritárias estavam a construção do hospital, a reforma do Colégio Olindina Freire e demais escolas do estado na regional, o reajuste do Piso para os professores, e outras pautas. Assim fizemos. Exatamente treze pessoas participaram do movimento: eu, dirigente regional do SINPROESEMMA e militante do PCdoB, os professores do Estado: Barreto, Jânio, Etnã, Gardênia, Nilma,  Marcos, três outros professores do município de Esperantinópolis, Jaime do Fóruns e Rede, Rogério do PT e Henrique do Blog Pedras Verdes. Portanto percebamos que não havia no ato nenhuma intenção de prejuízo à campanha de quem quer que fosse, uma vez que pertencemos a grupos políticos diferentes, outros cinco professores que faziam parte do movimentos são apolíticos e não estão envolvidos na política municipal, e Henrique Pedras Verdes e eu somos do PCdoB, partido do Governador Flávio Dino. Além do mais sou uma dentre os do grupo que tem simpatia pelo candidato  responsável pela carreata, Dr.Humberto Feitosa. Me exponho para que vejam que não havia no nosso ato nenhuma intenção de destruir a campanha do candidato.

Ratificando: não havia no movimento,  nenhuma pessoa infiltrada com a finalidade de tumultuar o evento do candidato à prefeito e a visita do Governador. Nossas manifestações nunca terão um cunho anarquista e de desordem à ordem pública. Todos os que participaram da manifestação fizeram parte da articulação do protesto pautado em objetivos afins e particulares,  não político-partidário mas político-sindical e social.

Ninguém  ali se utilizou de artifícios para nos manipular ou utilizar o nosso movimento em prol de interesses políticos ou particulares de uma pessoa ou grupo, mesmo porque não somos “massa de manobra” nem principiantes no mundo da luta classista e de política social. Sabemos onde Estamos pisando. Naquele momento éramos todos pessoas insatisfeitas com um governo que NÓS ajudamos a eleger e que agora desconsidera o trabalhador e a militância da qual diz fazer parte.

Então, articulamos o movimento  e nos dirigimos para a entrada da cidade, pois ficamos sabendo que a carreata sairia de lá. Ficamos concentrados à frente da carreata para que, caso o Governador já estivesse entre os participantes, veria nossa manifestação e lêsse nossas reinvindicações. Ficamos com nossas faixas na frente da carreata até que se organizassem para sair e permitíssemos a passagem de todos. Assim foi feito. Logo veio até nós o empresário Klebinho Branco tentando nos convencer da não realização da manifestação pois, segundo ele, o governador não tinha vindo participar da carreata.

Conhecendo o tipo de estratagema que o sistema utiliza para desarticular os movimentos da luta classista, nos dirigimos à Praça da SUCAM esperando o momento oportuno para que déssemos continuidade aos protestos, uma vez que Flávio Dino poderia estar ali na carreata. Quando o avistamos, estendemos nossa faixa na frente do carro em que ele se encontrava para que visse nosso protesto e lêsse nossas reinvidicações, ao que fomos surpreendidos por dois integrantes da comitiva do Governador e também da equipe do candidato do Solidariedade. Fomos agredidos por duas pessoas socialmente equivocadas que assim agiram na intenção de mostrar serviço tanto para o governador quanto para o seu candidatos. Vieram para cima de nós de maneira truculenta, arrancando a faixa de nossas mãos e nos empurrando para fora do evento. Fomos agredidos não apenas fisicamente (pois Henrique e Jânio foram em nossa defesa) mas também em nosso direito à livre manifestação.

A reação do Governador Flávio Dino foi a esperada uma vez que agora ignora a a nossa luta por um sistema social igualitário e pela valorização do professor.

A luta do SINPROESEMMA-PEDREIRAS não é e nunca foi a política partidária  mesmo que eu ou qualquer outro membro da nossa direção tenha simpatia por determinado político ou candidato. Nossa primazia é a luta popular e sindical pela manutenção de direitos para o trabalhador em Educação do Estado. Quem quer que assuma a prefeitura de PEDREIRAS ou outra cidade da regional terá que saber que não nos cansamos da luta, não baixamos nossas cabeças diante do descaso, da injustiça,  da desvalorização do trabalhador. Para nós não há política partidária mais importante que a nossa luta sindical, e nosso trabalho é pautado na tranparência e na verdade. Estamos atentos a todo tipo de política vil que tenta nos inserir com o único objetivo de se promover politicamente.

Nunca, desde o ocorrido, nós professores agredidos, recebemos uma só nota de retratação por parte de quem nos agrediu, muito menos uma só nota de apoio de NENHUM candidato a prefeito da cidade de Pedreiras. O que um dos grupo vem fazendo é usar a nossa luta para se promover. Usando as imagens da agressão que sofremos, não para nos apoiar mas para atingir A ou B e assim atingirem seus objetivos unicamente políticos. Usam a nossa luta é a nossa imagem sem a nossa permissão a fim de continuar construindo uma política suja e inescrupulosa. Sentimos muito pela nossa cidade.

Por fim reiteramos que o objetivo do nosso movimento nunca foi atingir a campanha política de Dr.Humberro Feitosa. Sentimos muito se o atingimos mesmo que de forma involuntária, mas a conjuntura da nossa luta se construiu dessa forma sem que pudéssemos medir pois a nossa preocupação de fato é a valorização do Educador e a garantia e manutenção dos direitos do trabalhador.

Foi-nos perguntado o porquê de não termos nos manifestado em frente ao Hotel San Pedro onde segundo informações vagas, o Governador estaria hospedado. Bem sabem os que nos questionaram o que estes mesmos fizeram na intenção de tentar desarticular nossa manifestação. Portanto, estamos certos de que as nossas ações seguiram a coerência da luta sindical e popular. Jamais nos desviaremos dela mesmo diante de muitas barreiras. Estamos convictos que nossas reinvidicações chegaram a lugares antes inimagináveis através não apenas da nossa voz mas também  do apoio que temos recebido das pessoas de todo o Maranhão.

Certa de que me fiz entender.

Gisele Leal- Coordenadora Regional do SINPROESEMMA-PEDREIRAS

O.B.B – As pessoas que se sentiram afetadas com as declarações da coordenadora, podem enviar suas respostas ao blog, que a publicaremos da mesma forma.

Sandro Vagner

14 Comentários

  1. Anônimo disse:

    Tudo que foi exposto, sobre a luta sindical eu concordo, e concordo também que o governo do estado está errando feio, em relação relação ao desrespeito ao professor.Mas, quero deixar também bem claro, que ninguém em Pedreiras, conhece Henrique , como militante, ou tão pouco, como um lutador por direitos.Ele, está, usando a entidade pra se valorizar, então tem que se tomar nuito cuidado, viu Gisele, porque a entidade , luta por direito de classe, e não, pra promover alguém ou prejudicar.

    • Alina disse:

      O descontrole daquele rapaz era visível. Ninguém age daquela forma sem um motivo pessoal muito forte!!!! Isso ali não era reivindicação de direitos.

  2. Anônimo disse:

    Acho muito interessante esse discurso, uma vez que o.grupo.era sabedor de que o Governador Flávio Dino estará a na cidade hospedado desde a noite anterior no hotel.San Pedro. Se ou intuito.da manifestação era APENAS O GOVERNADOR E NADO O CANDIDATO DO SOLIDARIEDADE porque não foram pra frente do hotel? Quando.nos achamos.inteligentes demais nãos percebemos que muitas vezes podemos ser USADOS. A reivindicação dos professores tomou outro rumo, se tornando politiqueiro. É triste vê o uso de atuações em benefícios que fogem do objetivo real. Desculpem, mas nesse período o grupo errou gravemente ao não. Procurar reivindicar a quem de fato.seria o “alvo”. Alguns dos grupos tentaram de maneira clara e objetiva prejudicar o candidato local no momento que escolheram agir da maneira como agiram.

  3. Joana disse:

    Acho até graça! !! Kkkkk Se vocês queriam fazer protesto para governo do estado deveriam ter ido pra frente do hotel onde ele estava hospedado e não tentar impedir um evento de um candidato do município. Me comprem um bode!!!

  4. Ana Maria disse:

    Os problemas a nível de estado deveriam ser resolvidos de.forma direta e não tentar prejudicar o candidato a prefeito que está na frente nas pesquisas. Um grupo que perderam a razão a partir do.momento que tornaram a situação politiqueira.

  5. Rejane Fernandes disse:

    Sou professora da rede estadual em Timon e concordo plenamente com suas idéias. Sua forma de organização foi e está correta. Coerência falta a muitas pessoas e quando a temos, embasamos nossas ações. Continue assim, firme e forte em seus princípios. Percebemos que estamos em tempos sombrios e truculentos mas nem por isso nos deixaremos abater ou de lutar. Parabéns mais uma vez. Força e avante.

    • Alina disse:

      Você não tem embasamento pra falar a respeito dos fatos. A política aqui em Pedreiras é suja e rasteira. Se o intuito era o Estado, então erraram gravemente e deveriam ir à público pedir desculpas. Pois o que se estar achando é que o movimento não passou de uma ação de laranjas pra prejudicar determinado candidato a prefeito.

  6. Anônimo disse:

    Gisele, vice se acha tão inteligente…ao ponto de não enxergar ou não querer vê que seu protesto virou assunto pra politicagem. Vergonha da classe

  7. Anônimo disse:

    Eu acho que queriam sim era prejudicar a campanha do Dr Humberto, haja visto que o Governador encontrava se no Hotel e pq não foram fazer na frente do Hotel ? Foram atrapalhar a passeata pois se a intenção foi atrapalhar a campanha não conseguiram o Barreto é uma pessoa excelente agora esse Rapaz não é professor e eu considero como um ato pitico sim

  8. Sonia Maria Mesquita disse:

    LAMENTAVELMENTE,NAO POSSO DIZER OUTRA COISA A NAO SER VOCÊ METEU OS PÉS OELAS MÃOS, FOI FAZER UM GIRO E FEZ UM GIRAL, NÃO QUERIA PREJUDICAR,MAS OREJUDICOU E NADA DO QUE VOCÊ DISSER VAI CONSERTAR O QUE FOI DESCONCERTADO.

  9. Luis Antonio disse:

    É desconcertante o rumo que o protesto se direcionou, em um momento como o atual, sendo o alvo o Governador Flavio Dino não teria porquê ser realizada a manifestação naquele local, impedindo a carreata e atingindo diretamente a capanha de Dr. Humberto. Ficou claro que o objetivo maior foi prejudicar a campanha e não chamar a atenção do Governador.

  10. Pedreirense que vota NULO disse:

    Vc é uma VERGONHA para a classe Gisele, infelizmente está fazendo a má política!!!

  11. Anonimo disse:

    Eu sempre digo que todos nós temos direito de ir e vir, porém nosso direito acaba no momento em que começa o do outro, se a intenção era realmente o governador,porque não protestatam no dia em que ele veio inaugurar o restaurante popular? Respondo eu mesmo essa pergunta. Pelo simples fato de um rapaz desequilibrado tentar manchar uma campanha linda que esta sendo feita a do Dr Humberto. E Também porque na época em que ele veio,veio em favor do prefeito onde o mesmo desequilibrado ganha uma boquinha Também, por isso não foi feito em outras ocasiões,pois oportunidades não faltaram e nem vão faltar, pois com Dr Humberto na prefeitura a presença do governador aqui vai ser uma constante.

    Gisely o minimo que você e os mesmos professores que estavam na manifestação deveriam fazer era ir ao público ou às tv’s locais pedir desculpas para apopulação e principalmente pra o Dr Humberto.

  12. Desconhecida. Anónimo disse:

    Todos. Vcs. Q. Fala. Contra. A. Gisele. Porq. Não vão para. O. Lugar. Dela. Este. Governo. Não. Passa. De. Um. Comunista. E Se. Este. Governar. Pedreiras. Vai. Fazer. Do. Mês no. Jeito

Deixe o seu comentário!

  • siga-nos no facebook

  • Clínica CardioMais – Excelência em Tudo/Rua Maneco Rêgo, 854 – Pedreiras/(99)99182-4989

  • Pedreiras Grand’ Hotel – Para pessoas que buscam tranquilidade, conforto, bons serviços e clima agradável

  • Clique na logo e visite nossa página

  • Clique no flyer e acesse o site da FAESF

  • Prefeitura de Lima Campos – Clique no banner e visite nossa página

  • Clique no banner – FEMAF/Telefone: 4003-5395 E-mail: academico@femaf.com.br

  • Venha nos visitar!

  • Vitorino Net

  • Connect Pedreiras

  • LOJA DOIS PAPELARIA O MAIOR MIX DE PAPELARIA DE PEDREIRAS – AV. RIO BRANCO – CENTRO

  • Telefones Úteis

    WhatsApp da PM (99) 8156-5426 Tenente do Dia (99) 98174-3547 Sargento do Dia (99) 98140-4154
  • downloadfilmterbaru.xyz nomortogel.xyz malayporntube.xyz