Maranhão: Operação prende prefeito de Cândido Mendes por porte ilegal de armas

Na casa do gestor Mazinho Leite também foram encontrados mais de R$ 400 mil em espécie. — Foto: Divulgação/MPMA

O prefeito de Cândido Mendes, José Ribamar Leite Araújo, o “Mazinho Leite”, foi preso em flagrante na manhã desta quarta-feira (19), por posse ilegal de armas. Na casa do gestor também foram encontrados mais de R$ 400 mil em espécie. Mazinho Leite foi conduzido para a cidade de Godofredo Viana, onde será autuado por posse ilegal de arma de fogo.

A Operação Cabanos, que resultou na prisão do prefeito, foi realizada pelo Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), em parceria com a Policía Civil.

A operação cumpria mandados de busca e apreensão na sede da Prefeitura de Cândido Mendes, na residência de Mazinho Leite e em endereços de outros investigados, localizados nos municípios de São Luís, Cândido Mendes e Bom Jardim. Os mandados foram solicitados pelo Ministério Público do Maranhão e expedidos pela Justiça de Cândido Mendes.

O objetivo era apreender documentos relativos a processos licitatórios envolvendo o Município e diversas empresas que tinham contratos com a Prefeitura. As investigações foram iniciadas após a identificação de suspeitas de fraude em uma licitação realizada em 2013, para aquisição de materiais de limpeza. Descobriu-se que os materiais eram fornecidos por uma empresa de fachada, localizada em Turiaçu. No suposto endereço, funcionava uma lotérica.

As investigações apontaram a existência de irregularidades em diversos outros contratos envolvendo a compra de materiais médico-laboratoriais, manutenção de iluminação pública, reforma de hospitais e escolas, além da coleta de lixo.

O Gaeco estima que os contratos irregulares geraram um prejuízo de R$ 3,35 milhões, desde 2013, aos cofres de Cândido Mendes.

Participaram da Operação Cabanos 12 servidores do Gaeco e Segurança Institucional do MPMA. Da Polícia Civil, 7 delegados e 18 agentes cumpriram mandados em São Luís; 4 delegados e 3 policiais atuaram em Cândido Mendes e 1 delegado e 3 policiais realizaram a operação em Bom Jardim.

G1 entrou em contato com a Prefeitura de Cândido Mendes pelos contatos disponíveis nos canais oficiais do órgão solicitando um posicionamento, mas até a última atualização dessa reportagem não obteve retorno.

fonte: g1.globom.com/ma

Deixe uma resposta