Olindina Nunes Freire. A dura Realidade da Instituição de Ensino

Poucas são as famílias que não têm laços com o Colégio Olindina Nunes Freire, considerado por muitos como um dos melhores de Pedreiras. Os tempos de glórias, daquela instituição de ensino, foram jogados ao vento, e como cinzas se espalharam rapidamente.
É triste parar em frente ao prédio e observar o abandono total. Uma reforma, anunciada ainda na gestão da ex-governadora Roseana Sarney, alimentou a esperança dos educadores e professores que sonhavam com tudo novo. Pouco aconteceu, e o que era um colégio passou a ser visto como um local esquecido por todos.
No ano passado já na gestão do atual governador do Maranhão Flávio Dino, a obra parou de vez. Meses depois foram vistos alguns operários trabalhando no prédio, e parecia que a coisa iria mudar. Perguntado ao responsável pela obra, disse que em dezembro do ano passado a empresa FUNDCON – Fundações e Construções Ltda –  entregaria a obra concluída à população. 

Com o prédio fechado, ou abandonado, para reforma, todos os alunos passaram a estudar no antigo Palmeirinha, uma estrutura inadequada para receber outra quantidade de alunos. Esse assunto foi questionado no início do ano legislativo pelo presidente da Câmara de vereadores, Robson Rios, que chegou a pedir aos colegas que fossem em busca de ajuda dos seus deputados, que foram eleitos em Pedreiras, para que a reforma continuasse. 
Vereador Robson Rios – Presidente da Câmara (Foto: Arquivo do Blog)
O parlamentar também disse na tribuna da casa, que ficou sabendo que será construída uma quadra poliesportiva no Olindina, mas que isso seria impossível, devido o local não ter segurança e tudo está abandonado.
Ontem (06), o Blog comprovou a veracidade de abandono no Olindina, relatada pelo vereador Robson Rios. O mato toma conta de toda área. A quadra de esporte está precária, só não parou de vez, por que um grupo de jovens que a usa para a prática do futsal é que faz algum benefício; ajeitou as traves, fizeram tapa-buracos no piso e vez em quando pagam do próprio bolso um senhor para limpar ao redor.
Quadra de esportes do Olindina em péssimas condições
Livros queimados no auditório do colégio
Os livros que foram queimados continuam no auditório, que também está com a estrutura bastante comprometida. Até vasos sanitários velhos que foram arrancados são encontrados com facilidade no pátio do colégio, um local que pode até servir para o mosquito da dengue por suas larvas.
Esperamos que a preocupação do presidente da câmara de vereadores de Pedreiras, Robson Rios, também não fique apenas em plenário. É preciso cobrar de fato e de direito por intermédios dos seus representantes na Assembleia Legislativa do Estado, algo que possa ainda trazer a esperança de Pedreiras voltar a se orgulhar de uma instituição de ensino que muito contribuiu para o desenvolvimento educacional de boa parte da população.  

8 comments on “Olindina Nunes Freire. A dura Realidade da Instituição de Ensino

  • Diêgo Siqueira says:

    Que situação lamentável, um prédio do porte do Olindina totalmente abandonado, acho que minha turma foi uma das últimas a ficar nesse prédio pelos anos de 2007, 2008,2009 durante o ensino médio.

    Reply
  • Eu e toda minha família estudamos no Olindina.Peço aos amigos q leiam o blog q se sensibilize e façamos um apelo às autoridades para q não só o prédio mas às histórias as lutas os desafios de nosso Olindina não se faça esquecido pelo descaso e o tempo la foram formados médicos advogados professores dentro outros não vamos deixar nossa escola ao abandono vamos resgatar nossa história.

    Reply
  • Muito triste essa situação. Esse colégio já foi muito importante, formando diversos profissionais como professores,advogados, médicos, engenheiros e tantos outros.
    Infelizmente a dura realidade de hoje parece não ter fim, sendo muito prejudicial à todos nós. Toda população de Pedreiras sai perdendo.

    Reply
  • Sandro quero aqui relembra qui relembrar e é importante falar isso que o centro de consciência negra de Pedreiras mobilizou mais de trezentos alunos e fizemos ali na frente da escola um ato público.pedindo justamente isso o fim dessa reforma

    Reply
  • Colégio onde me formei… Hoje morando no Rio de Janeiro nunca mais pretendo voltar a morar em pedreiras por causa de acontecimentos como esse. Nossa cidade está largada

    Reply
  • É triste ver essa situação de precariedade do patrimônio público, que poderia estar funcionando em bom estado (após o término da reforma, que já ultrapassou o prazo estabelecido) e beneficiando a população com a educação.

    Reply

Deixe uma resposta