Toque retal

O urologista Elimilson Brandão destaca que o toque retal não é o mais importante para a detecção do câncer se for feito isoladamente. “Se o paciente fizer só o toque retal, há uma chance de quase 60% de deixar passar um câncer despercebido. Para uma avaliação completa há um tripé para o câncer de próstata, que é o toque retal, o PSA e o ultrassom, para se fazer o rastreamento do paciente. O toque retal consegue identificar até 80% dos nódulos que o paciente possa ter na próstata, na periferia, mas, se ele tiver nódulo central, o toque não consegue identificar, o que é possível ser feito pelo ultrassom”, explica o médico.