Pedreiras: “Prevenir para não punir” vai às escolas

Foto: ASCOM

A Prefeitura Municipal de Pedreiras, através da Secretaria de Assistência Social e o CREAS iniciou nesta terça-feira,10, o projeto Prevenir para não punir”, nas escolas da rede municipal de ensino.

A ideia está dentro do Maio Laranja, e visa levar informações acerca do combate à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Segundo a coordenadora do CREAS, Camila Lima , é importante que o assunto seja discutido, para conscientizar os alunos sobre diversos assuntos, como o bullying, conflitos familiares, além de provocar conversas sobre a violência sexual contra crianças e adolescentes.

A primeira palestra aconteceu na U. E Manoel Romário e percorrerá todas as unidades escolares do município.

Dados

De acordo com o Instituto Liberta, o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de exploração sexual de crianças e adolescentes. Por ano, são 500 mil vítimas.

Os dados mostram ainda que, a cada 24 horas, 320 crianças e adolescentes são explorados sexualmente no Brasil, no entanto, esse número poder ser ainda maior, já que apenas 7 em cada 100 casos são denunciados.

A Prefeitura Municipal de Pedreiras, através da Secretaria de Assistência Social e o CEAS iniciou nesta terça-feira,10, o projeto Prevenir para não punir”, nas escolas da rede municipal de ensino.

Foto: ASCOM

A ideia está dentro do Maio Laranja, e visa levar informações acerca do combate à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Segundo a coordenadora do CEAS, Camila Lima , é importante que o assunto seja discutido, para conscientizar os alunos sobre diversos assuntos, como o bullying, conflitos familiares, além de provocar conversas sobre a violência sexual contra crianças e adolescentes.

A primeira palestra aconteceu na U. E Manoel Romário e percorrerá todas as unidades escolares do município.

Dados

De acordo com o Instituto Liberta, o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de exploração sexual de crianças e adolescentes. Por ano, são 500 mil vítimas.

Os dados mostram ainda que, a cada 24 horas, 320 crianças e adolescentes são explorados sexualmente no Brasil, no entanto, esse número poder ser ainda maior, já que apenas 7 em cada 100 casos são denunciados.

Deixe uma resposta