São Luís: Maranhenses reclamam que ‘Caixa Tem’ apresenta falhas na liberação do auxílio emergencial

Aplicativo do Caixa Tem. Foto: Divulgação

Antes, era a angústia sobre a aprovação ou não para o recebimento do auxílio emergencial; agora, o que tem tirado o sossego de muita gente é a dificuldade de usar o recurso que tem sido depositado pelo Governo Federal nas contas de quem obteve a aprovação. “O dinheiro está lá, caiu, mas a gente não consegue pagar nada, usar de jeito nenhum. Para sacar ou transferir pra minha conta bancária, só em setembro, porque nasci em outubro, e agora na terceira parcela a Caixa inventou isso”, relatou a Microempreendedora Individual (MEI) que mora em São Luís e prefere não se identificar.

Como forma de evitar a superlotação das agências bancárias, a Caixa limitou, em primeiro momento, saques e transferências das parcelas do auxílio emergencial. Os beneficiários só podem pagar boletos ou fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos, por meio do cartão de débito digital, gerado pelo aplicativo Caixa Tem. No entanto, inúmeras pessoas tentam movimentar o recurso, mas são barradas por falhas que têm impedido ou atrapalhado o acesso aos valores.

A beneficiária do auxílio emergencial Maria Adelaide Araújo Rodrigues, de 57 anos, se queixa de travas no aplicativo Caixa TEM. Maria mora no Residencial Nova Terra, em São José de Ribamar. Ela se submeteu, nesta terça-feira (7), a uma fila grande na agência da Caixa Econômica Federal, da Praça João Lisboa, Centro de São Luís, na busca por solução. A dona de casa, que antes da pandemia já era amparada por outro programa social, disse que, sequer, tem conseguido abrir o Caixa Tem no seu celular.

“Saquei a primeira parcela do auxílio emergencial em maio, por meio do Banco do Brasil. Desde o mês passado, o valor da segunda parcela está creditado na poupança social digital da Caixa, mas eu não consegui transferir o dinheiro para outra conta. Vim ao banco saber o porquê não consigo utilizar o Caixa Tem. As agências permanecem lotadas. Aplicativo nenhum pouco informativo”, desabafou Maria Adelaide.

Nas redes sociais, os beneficiários também têm reclamado de não conseguir utilizar o saldo, por meio da ferramenta on-line do banco. “Não consigo desde segunda-feira (6) fazer pagamentos de boletos atrasados, por meio do Caixa Tem. Também não consegui fazer compras de supermercados, utilizando o cartão na máquina dos estabelecimentos. Já instalei e desinstalei o aplicativo mais de dez vezes”, disse uma seguidora da página da Caixa Econômica (@Caixa) no Instagram. A mensagem em aspas foi escrita nesta terça-feira (7), por volta das 14h,  no post “auxílio emergencial – 4/7 sábado”, publicado no sábado (4).

“Há quatro dias estou tentando entrar no Caixa Tem, e hoje (esta terça-feira, 7), pela manhã, a ferramenta informou que não tem conta aberta com o meu Cadastro de Pessoa Física (CPF). Sendo que, nas outras tentativas que fiz, a mensagem foi a seguinte: ‘quantidade máxima atingida por este dispositivo’”, publicou outra beneficiária, no mesmo post de sábado, no Instagram da Caixa.

Fila de espera virtual e constrangimento

Mesmo aqueles que conseguiram acessar a ferramenta têm relatado dificuldades para movimentar o recurso ou usar o aplicativo para outras funções, como pagar boletos. “Está liberado para mim o pagamento de contas. Ocorre que, quando tento pagar algum boleto, dá erro; somente nesta segunda-feira fiz mais de 13 tentativas sem sucesso”, explicou a microempreendedora individual que tem 30 anos de idade e duas filhas, uma de 16 e outra de 4 anos.

Outro ponto recorrente de reclamação dos beneficiários diz respeito à fila de espera para acessar o aplicativo Caixa Tem. Dependendo do horário, há esperas superiores a duas horas na fila virtual. “Tenho deixado para tentar acessar o aplicativo no período da noite, até de madrugada eu tento pra ver se é mais rápido, porque, pela manhã e pela tarde, a mensagem é sempre a de que a espera é de mais de uma hora. A gente acaba esquecendo, fica sem comprar, fica sem pagar o que precisa. Não tenho coragem de passar essa vergonha em uma fila de supermercado!”, contou com chateação a empreendedora que está até agora sem conseguir trabalhar, na área de prestação de serviços educacionais.

Caixa: “intermitências momentâneas”

Em nota, a Caixa informou que, devido à magnitude de acessos, média de 500 mil usuários por hora, o aplicativo Caixa TEM pode apresentar “intermitências momentâneas em alguns serviços”.  Mas, mesmo com as falhas, o banco informou que já fez o registro, na ferramenta, de mais de 1,2 bilhão de consultas de saldo/extrato, 17,7 milhões de boletos pagos e 3,5 milhões de compras utilizando as maquininhas/QR Code.

CONTINUA DEPOIS DOS COMERCIAIS

A Caixa disse, ainda, que o aplicativo está disponível 24 horas por dia, todos os dias. “O banco tem implementado melhorias no aplicativo, como a ampliação da validade da sessão de cada usuário durante 72 horas, o que evita a necessidade de nova fila virtual para acessar o Caixa Tem durante esse período”, traz a nota.

A Caixa respondeu que a ferramenta digital é a única forma de acesso às poupanças digitais criadas pelo banco. Disse, ainda, que a inclusão de dados de outros bancos para recebimento do auxílio somente pode ser feita pelo Caixa Tem. E, em relação aos boletos, quando pagos com o aplicativo, dentro da própria ferramenta são gerados comprovantes de pagamento. Por fim, o banco informou que no caso de dificuldades, o beneficiário pode recorrer à central telefônica 111.

Calendários de pagamento

Os valores caem na conta conforme o mês de aniversário.

Nascidos em  Crédito na conta poupança
social digital
Disponível para saque
ou transferência
para outras contas
Janeiro 29 de junho 25 de julho
Fevereiro 6 de julho 8 de agosto
Março 13 de julho 22 de agosto
Abril 20 de julho 5 de setembro
Maio 27 de julho 19 de setembro
Junho 3 de agosto 3 de outubro
Julho 10 de agosto 17 de outubro
Agosto 24 de agosto 17 de outubro
Setembro 31 de agosto 31 de outubro
Outubro 8 de setembro 31 de outubro
Novembro 14 de setembro 14 de novembro
Dezembro 21 de setembro 14 de novembro

fonte: oimparcial.com.br

Deixe uma resposta